Convivendo

Adeus! Fui viver e não volto… ao passado!​

“Todos os dias quando acordo,

não tenho mais o tempo que passou,

mas tenho muito tempo.”

(Renato Russo, Tempo Perdido)

Isso pode estar lhe acontecendo. Você tenta, até o momento em que decide desistir…entrega-se ao desespero, à tristeza, ou à falta de fé em si mesmo. Você está preso ao passado e a sua vida é como um círculo vicioso, revivendo, remoendo acontecimentos que já não fazem parte da sua vida nesse momento.

Você quer continuar assim?

Estimado leitor, a vida é bem mais do que isso. Saiba que todos os dias preenchemos o nosso caderninho da existência com uma nova história; nem todas são agradáveis, porém, fica o aprendizado. Como em um livro, as páginas devem ser viradas, depois de lidas e compreendidas.

O passado, tenha sido ele bom ou ruim, é como uma porta fechada.
 Obviamente que se algum acontecimento prazeroso ou edificante nos vem à mente, é uma delícia reviver…às vezes, até parece que sentimos a mesma emoção daquele tempo em que o fato aconteceu, não é mesmo?

Mas, e quando há coisas ruins, imagens desagradáveis que não nos saem da mente, que povoam nossos pensamentos convertendo-se em crenças dominantes, limitantes e nocivas ao nosso bem-estar mental e espiritual?

Responda: você considera justo estar atado ao passado, quando há uma vida lá fora te esperando? Como você tem lidado com tudo isso?

Lembre-se que o perdão a si mesmo é um santo remédio. Perdoe-se! Você é humano, possui características únicas e merecedoras de respeito; se um dia você logra êxitos, pode ser que em outro as coisas não saiam tão bem como foram esperadas…aí, você decide o que fazer com a questão: será uma decepção ou uma lição?

Faça as pazes consigo mesmo e repita quantas (mil) vezes forem necessárias que sim, você se aceita do jeito que é, você é dono de sua vida e merece o melhor! Diga isso em frente ao espelho, se puder, enquanto observa e admira o ser maravilhoso e único que é. A cada dia você tem uma nova chance e nos parece injusto parar no tempo por conta de erros e decepções. Liberte-se!

Busque ajuda se julgar necessário. Um profissional poderá orientá-lo nesta fase e dê tempo ao tempo. Viva cada momento, sentindo-se pronto para as surpresas da vida; saboreie o presente, as horas vividas, tenha em mente que o passado não voltará, e o futuro…bem, ele pode ser um reflexo do seu presente, portanto, se você tem vivido amargurado, decepcionado e triste…o que será do seu amanhã?

Concept conceptual 3D male businessman on stair or steps over sunset sky background, metaphor to success, climb, business, rise, achievement, growth, job, career, leadership, education, goal or future

Trabalhe as questões conflitivas de maneira objetiva e desapegue-se de tudo o que lhe causa dor. Deixe ir embora, limpe sua mente, claro que isso exige tempo e dedicação, mas os resultados são surpreendentes. Seja você o condutor de sua mudança e catalisador de boas energias; aprenda com os seus erros ao invés de julgar-se; ouça aqueles que lhe amam e peça ajuda sempre que precisar. Durante o seu dia, reafirme o compromisso de amar-se incondicionalmente; respeite-se, valorize-se e redescubra-se.

Alguns exercícios poderão ajudá-lo a liberar-se de medos, frustrações e o apego ao passado, como aqueles sugeridos pela prática da PNL, por exemplo, dentre tantos exercícios de visualização criativa. Posso ajudá-lo?

Exercício

Conectando-se ao presente e liberando-se do passado:

Sentado de maneira confortável e com os seus olhos fechados, respire lentamente até alcançar uma sensação agradável e um ritmo adequado. Imagine-se em um lugar tranquilo, silencioso. Sinta a boa vibração do lugar, note os detalhes, uma brisa acariciando seu rosto, sinta seus pés tocando o chão enquanto você caminha logo à frente.

Então, você avista os seus erros sobrevoando o espaço, e as sensações ruins voltam a lhe perturbar…este é o momento em que você deve focar nas tais sensações que desencadeiam toda a limitação para que você não saia desse sofrimento.

Permita-se chorar. Caminhe mais um pouco até que aviste um riacho…você irá atravessá-lo, sentindo-se fatigado, chorando, ainda assim, caminhe…sinta a água tocando-lhe o pés e o frescor na pele…você deve focar agora nesta sensação…que em segundos tomará conta de você. A brisa ainda o acompanha. E assim você atravessa o rio, sentindo-se fresco, tendo o seu rosto limpo das lágrimas e sem ter no que pensar…já que ocupou-se com a tarefa de atravessar o rio. Sim, você atravessou o rio! Você seguiu, deu o primeiro passo e novas sensações lhe invadiram enquanto o fazia. Agora, deste lado do rio, surpresas lhe acontecerão, mas você não sabe…porque somente ateve-se à tarefa de atravessá-lo, você simplesmente viveu o momento.

Realize este exercício naquelas horas em que você sentir o desespero tomar-lhe conta, refugie-se nesta tarefa…atravessando o rio e detendo-se ao momento.

E depois?

Depois… viva a sua vida! Foque em coisas boas, pessoas do bem, ouça conselhos daqueles que lhe amam e siga no seu ritmo. Coração e mente agradecem!

Deixe ir embora o que lhe causa dor! Atreva-se a ser feliz, livre de crenças limitantes e sofrimento desnecessário. A vida é sábia…ela te livra de coisas ruins, quando você pensa que ela lhe tirou algo, ela somente te livrou!

Sobre o autor

Claudia Jana Sinibaldi Bento

Claudia Jana Sinibaldi Bento

Olá, sou a Claudia Jana Sinibaldi Bento, metade brasileira, sendo a outra metade encontrada na Espanha… rs... e aqui compartilho o que aprendi ao longo desta trajetória, seja estudando, traduzindo, escrevendo, lendo ou conversando… ah, melhor ainda: conhecendo pessoas que me acrescentaram o que carrego como sendo meu tesouro mais precioso: conhecimento. São anos aqui e ali, onde me chamam ou aonde eu simplesmente vou, para aprender, ajudar, sentir… e assim sigo esta estrada rumo ao autoconhecimento, evolução e simplicidade! Vem comigo aprender! Ah, também quero aprender com você!

Email: [email protected]