Autoconhecimento Maternidade Consciente

Agosto Dourado — Todos juntos pela amamentação

Imagem de um lindo campo florido com flores amarelas. Ao fundo uma mãe amamentando o seu filho.
Foto por: Evgeny Atamanenko no 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O Agosto Dourado é uma Campanha de Conscientização acerca da amamentação exclusiva até os 6 meses de idade. Neste mês, o foco das ações de saúde é relacionado à importância do leite materno nos primeiros meses de vida, que influencia no desenvolvimento saudável dos bebês e das crianças.

A Campanha tem como objetivo empoderar pais, mães e familiares sobre como eles são essenciais para apoiar o aleitamento materno. Dessa forma, o ambiente pode se tornar favorável para que a mãe amamente, como fonte exclusiva de alimento, o bebê até os 6 meses e que, depois, possa amamentar complementando a nutrição da criança até os dois anos de idade.

Esse período de conscientização é semelhante ao Outubro Rosa e ao Novembro Azul, que também são anuais e servem para alertar a população sobre um tema muito importante, envolvendo além da sociedade, as instituições de saúde e os órgãos públicos e privados.

Como surgiu o Agosto Dourado?

A origem da Campanha começou com a Semana Mundial de Aleitamento Materno, conhecida pela sigla SMAM, que ocorre em diversos países do 1° ao 7° dia de agosto.

Esse período foi decidido durante uma reunião em Nova York, em 1991, com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O foco desse encontro era acompanhar o surgimento da Declaração de Innocenti (documento voltado para a amamentação) e planejar ações mundiais relacionadas à causa.

Imagem em preto e branco de um bebê sendo amamentado pela sua mãe.
Foto por Manojiit Tamen no Pixabay

A Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA) é responsável por coordenar a SMAM, define os temas anuais e promove ações globais sobre a importância da amamentação. O Brasil comemora a Semana de Aleitamento Materno desde 1999, coordenada pelo Ministério da Saúde.

Recentemente, em 2017, foi sancionada a Lei n° 13.435 instituindo o mês de agosto como Mês do Aleitamento Materno e, a partir dela, a cor dourada é usada na decoração e na iluminação de locais públicos, por causa da referência ao leite materno, que é de qualidade ouro para bebês e crianças nos primeiros anos de vida. Além disso, são estabelecidos encontros e palestras na comunidade para abordar a importância da causa.

Por que celebrar a data?

É muito comum ouvir relatos de mulheres que são mães em fase de aleitamento materno sobre o constrangimento de amamentar em público. A desinformação e a falta de respeito da sociedade são enormes e a cultura machista reforça ainda mais essas atitudes.

Esse é um dos principais motivos para se ter uma fase de conscientização social acerca da necessidade da amamentação e de que ela deve ser tratada com normalidade, e não estranhamento ou algo do tipo.

Imagem de um casal e o seu bebê. A mãe está amamentando o seu filho. Ela usa uma tiara de flores e todos estão felizes.
Foto por Adina Voicu no Pixabay

Não deve ter censura, muito pelo contrário, as mães devem ser incentivadas e protegidas, para seguirem com a alimentação do bebê, pois isso traz diversos benefícios, inclusive para crianças de 1, 2 anos ou mais, se assim seguirem amamentando.

Um ponto importantíssimo desse movimento também é incentivar doações para o banco de leite, a fim de os locais ficarem estabelecidos com frequência, o que certamente ajudará muitas mães que precisarem, principalmente quando o nascimento do bebê é prematuro.

A conscientização também é importante para reduzir os níveis de mortalidade infantil, pois a amamentação protege as crianças. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o recém-nascido que recebe o leite materno até uma hora após o nascimento está mais protegido contra infecções. Além disso, essa conscientização aumenta o sucesso das próximas amamentações e reduz as taxas de mortalidade neonatal.

Leite materno é ouro

O leite materno é um alimento completo, inclusive o colostro que é secretado nos primeiros dias pós-parto é considerado a primeira vacina do bebê, pois o leite materno tem em sua composição água, proteínas, gorduras, vitaminas e açúcares que o bebê precisa para se desenvolver bem e crescer de forma saudável.

Além desses nutrientes básicos e essenciais, o leite contém anticorpos, ou seja, protege contra infecções, como as gastrointestinais, e ajuda no combate à desnutrição, principalmente nesse primeiro período de vida.

Imagem em preto e branco de uma mãe e sobre o seu colo o seu bebê. Ela está amamentando a criança.
Foto por StockSnap no Pixabay

Até os seis meses de idade, ele deve ser alimento exclusivo, a digestão é fácil e sempre está na temperatura certa. O ato de sugar é muito importante, pois ajuda no desenvolvimento da arcada dentária, da fala e da respiração do bebê. Por esses e tantos outros motivos, não é à toa que o leite materno seja considerado um alimento ouro.

De acordo com a OMS, as crianças e os jovens que foram amamentados no início da vida têm menos chances de apresentar obesidade e estão mais protegidos de alergias e problemas respiratórios.

Agosto Dourado – como ajudar esta causa?

Uma forma de as entidades auxiliarem na campanha é promover eventos durante o mês, como palestras, distribuição de materiais informativos, entre outras formas de informar a importância da causa.

Além de encontros presenciais, a internet pode ser um bom caminho para divulgar informações sobre o assunto, já que cada vez mais as pessoas passam o tempo conectadas não só aos sites de pesquisa, mas também às redes sociais.

Você também pode gostar

Apesar de as organizações terem maior possibilidade de promover informativos sobre o assunto, também é importante o bate-papo entre amigas e familiares para falarem sobre o tema. Além disso, é essencial que as mães em fase de amamentação, caso possam, façam a doação do leite materno nos bancos de leite.

Em suma, que esse assunto seja cada vez mais divulgado e que as pessoas se apropriem da importância do aleitamento, não apenas durante o Agosto Dourado, mas durante todo o ano. Abrindo condições para que os bebês, as crianças e as mães sejam cada vez mais saudáveis e dispostos a fazerem o bom uso do alimento ouro na primeira fase da vida!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]