Convivendo

Agroecologia para crianças

Se alimentação saudável e consciência ambiental é difícil para os adultos, explicar e aplicar estes conceitos no cotidiano das crianças é um verdadeiro desafio. Bombardeados com lanchinhos rápidos, guloseimas e a degradação constante do meio ambiente, as crianças precisam ter uma educação adequada diariamente para que possam criar este costume. O problema é quando os adultos que a cercam também se perdem entre a correria do dia a dia e deixam de dar a devida atenção para estas questões, cada vez mais importantes e pertinentes.

A ONG pernambucana Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá produziu um vídeo, entitulado “Comida que Alimenta”, que, sem dúvida, irá ajudar a ensinar para as crianças um pouco do que é a agroecologia. No vídeo temas como agricultura familiar, alimentos orgânicos e agrotóxicos são abordados através de uma animação de maneira lúdica e de fácil entendimento.

Cuidar do meio ambiente significa respeitá-lo; sabendo que se bem cuidado o pedaço de terra explorado poderá dar muitos frutos seguidas vezes.

A importância da agroecologia – soma das palavras agricultura e ecologia – investe na possibilidade de tirar proveito da terra respeitando o meio ambiente. É uma agricultura feita preservando o espaço sem o uso de agrotóxicos ou qualquer outro insumo perigoso.

A ONG Sabiá implantou, ao longo de mais de 20 anos de existência, mais de mil sistemas agroflorestais em Pernambuco. Também trabalham na recuperação de nascentes e áreas de proteção permanente, além de acompanhar feiras agroecológicos e investir na educação contextualizada.

Depois de mostrar este vídeo aos pequenos cabe a você – pais, responsáveis, educadores e ou qualquer adulto que a criança tenha convivência – dar o exemplo e incentivar o consumo de produtos naturais.

Uma boa maneira é levá-los às compras sempre que possível e sempre incentivar a escolha de frutas, verduras e legumes.

Ajudar no preparo da comida também desperta a curiosidade de novos sabores e texturas, além da sensação de orgulho em ter produzido sua refeição. Nutricionistas indicam que cinco cores no prato são a garantia de uma alimentação balanceada, incentive-os a fazer uma comida bem colorida!

E por que não separar um cantinho da casa para uma hortinha básica em que as crianças possam cultivar pequenos temperos e alimentos? Dessa forma, além de incentivar a alimentação saudável, de quebra possibilita o conhecimento de como as plantas são cultivadas e a importância de regar e cuidar bem sempre.


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]