Convivendo

Escolas que ensinam agricultura para as crianças

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Agricultura significa “arte de cultivar os campos”, mas também pode ser a arte de ampliar horizontes. Cada vez mais, as escolas perceberam a importância de ensinar as crianças de onde vem a comida e promover a integração com a natureza. Selecionamos quatro iniciativas de escolas que ensinam agricultura para crianças, venha conhecer!

Golden Bridges

Localizada em São Francisco (Estados Unidos), a Golden Bridges é a primeira escola que ensina agricultura para crianças em área urbana no país. A escola-fazenda projetada pelo arquiteto Stanley Saitowitz tem 4.000 m2.

A Golden Bridges é particular, entretanto, cada família paga o quanto pode. A instituição voltada para crianças da pré-escola até a 8ª série adota o sistema pedagógico Waldorf, onde o objetivo é fazer os alunos entenderem a ecologia como algo próximo. Os 55 alunos têm aulas ao ar livre quando a temperatura está agradável e em barracas durante o frio. Eles aprendem como plantar e cultivar os alimentos que comem durante o intervalo.

Em breve, a fachada e o telhado da escola serão cobertos por plantas, a fim de reter água, purificar o ar, reduzir a poluição sonora e acabar com as constantes enchentes.

London Nursery Fields Forever

A London Nursery Fields Forever foi projetada pela equipe de designers italianos comandada por Edoardo Capuzzo Dolceta. A escola agrícola em Londres (Inglaterra) é voltada para crianças da pré-escola que aprendem técnicas e práticas sobre plantio e cultivo. Assim como na Golden Bridges, na London Nursery Fields Forever também não há salas de aula.

Na opinião de Edoardo Capuzzo Dolceta, a iniciativa desenvolve a habilidade do trabalho em equipe, pois os alunos precisam se unir para cuidar das hortas.

O projeto do designer italiano venceu a International Ideas Competition nas categorias arquitetura e planejamento urbano.

Campo Cozinha

O projeto de Agricultura e Alimentação Natural na Escola Quintal do Mato, na cidade de Campo Largo (Paraná) é voltado para crianças de até 12 anos. A iniciativa visa incorporar frutas, legumes e verduras na dieta das crianças e também ensiná-las técnicas de plantio, cultivo e preparação dos alimentos. A horta foi implementada sob orientação da engenheira agrônoma Vanessa Marceniuk.

A Campo Cozinha ainda fornece produtos para a comercialização de cestas com alimentos aos pais e moradores da região que ajudarão a manter o projeto.

Quem quiser conferir de perto, a Escola Quintal do Mato fica na Rua Marcos Rigoni, 270, no bairro Ferraria.

Coisas que ligam o campo e a cidade

Mais uma escola agrícola do Paraná. O projeto é ideia de Diego Paulo Ambrozio, professor da escola municipal Professor Flávio Sarrão, na cidade de Cruzeiro do Sul, noroeste do estado. Preocupado com o fato dos alunos desconhecerem a origem dos alimentos, resolveu apresentar um vídeo sobre pratos preparados com milho, caso da canjica, pamonha e bolos. O grão foi escolhido devido sua popularidade e por estar em destaque no jornal da região chamado O Diário.

A iniciativa de Diego Paulo Ambrozio ganhou o apoio do Departamento de Agricultura e Meio Ambiente da cidade, que autorizou os alunos a fazer um piquenique no Parque Ecológico, onde comeram alimentos feitos com milho e plantaram o grão. Após a atividade, os alunos prepararam um mural com as impressões que tiveram sobre a experiência.

Com o projeto, Diego espera que as crianças entendam como a agricultura é importante para a cidade e que elas repensem seus costumes em prol da preservação da natureza.

Adoramos esta ideia de ensinar agricultura para as crianças. E você, gostou também? Diga o que achou e se conhecer exemplos de escolas agrícolas, divida com a gente.


Texto escrito por Sumaia de Santana Salgado da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]