Autoconhecimento Comportamento

Aprenda exercícios que podem ajudar na criatividade

Imagem do rosto de uma pessoa. Parte da cabeça está saindo vários tipos de elementos como: flores e borboletas coloridas representando uma mente criativa, bonita e aberta ao novo, próspera para a criatividade.
Quesnay Aguiar / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A criatividade é uma capacidade que todos desejam ter bem desenvolvida, porque por meio dela se obtém inovação, solução de problemas e facilidades na vida cotidiana.

Independentemente de qualquer conceito, ela se processa no nosso cérebro, resultado de sinapses e conexões. Esse, por si só, é um elemento muito útil para entendermos que ela é própria de qualquer ser humano, mas também passível de desenvolvimento.

Quando somos crianças, não estamos ainda “enjaulados” pelas convenções e por crenças que limitam a nossa criatividade, por exemplo “Não acredito que eu seja criativo, não tenho habilidade artística”. Pode parecer absurdo, mas é real. Como essa frase, há outras que assumimos como verdades e não percebemos.

Temos de desconstruir esse modelo mental e resgatar a plasticidade da criatividade. Por isso, conheça alguns exercícios que permitem fazê-la se expandir.

Comece criando

A curiosidade é um aspecto fundamental para a criatividade. Ela impulsiona as descobertas e as investigações e “destrava” a mente de pré-concepções, porque se está em um processo em que tudo precisa ser desvendado, de uma forma pura, como quando éramos crianças. O exercício a seguir vai aguçar a curiosidade.

Anote diariamente, em um caderno próprio para essa finalidade, tudo (absolutamente tudo) o que você estiver vendo ou percebendo do seu dia – objetos, pessoas, comportamentos, a natureza, os aromas, a música, os sentimentos, as lembranças, etc.

Escreva, desenhe, faça símbolos… Você é livre para registrar do jeito que quiser.

Faça isso com no mínimo 50 anotações. Vale tudo: palavras soltas, frases sem sentido, dúvidas, lembretes, colagens, fotos, o que surgir na mente. O importante é começar a fazer. Comece criando o seu caderno.

Imagem de uma prancheta com um papel branco onde estão anotadas diversas palavras. Ao lado uma caneta e um notebook. Trata-se de um exercício para ajudar na criatividade.
Markus Winkler / Pixabay

Destrave a sua mente

Faça uma lista de palavras aleatórias, a partir da observação consciente dos ambientes por onde você passa. Aproveite o seu material de trabalho (o seu caderno de anotações) para essa finalidade.

Permita-se anotar sem medo de errar, até porque os erros não existem. Libere a sua mente de qualquer juízo de valor.

Depois de alguns dias, resgate essa anotação e tente relacionar ou conectar as palavras aleatórias. Repita o exercício o quanto desejar por pelo menos seis meses.

Saia da sua zona de conforto

Imagine-se em um lugar totalmente diferente de onde você está, novo, surreal, inexistente no mundo real.

Crie o desconforto. Deixe a sua mente divagar sobre um lugar totalmente desconhecido, um cenário inusitado e com o qual você não tem qualquer familiaridade, inclusive até se sente “deslocado”.

Caso prefira escrever sobre uma situação desconfortável para você, também é válido.

Anote no seu caderno tudo sobre esse lugar ou sobre a situação, o que você puder imaginar e sobre como você se sente por estar vivenciando isso tudo.

Reveja-o depois de 15 dias. Reflita sobre os sentimentos daquele momento e os atuais. Repita o exercício semanalmente.

Imagem de uma mesa com vários objetos como: chapéu, óculos de grau, canetas e lápis, porta canetas, câmera fotográfica, nnotebook, caneca com café, camiseta, fone de ouvido. São objetos que serão utilizados para a prática de um exercício para aguçar a criatividade.
Pexels / Pixabay

Veja algo antigo sob uma nova perspectiva

Crie o seu ambiente ou a sua história a partir de um ambiente conhecido ou de uma situação real, vendo de um ângulo diferente ou sob uma nova perspectiva.

Observe um ambiente da sua preferência, porém de um ponto onde normalmente você não fica, ou pense em uma situação como se fosse uma pessoa que desconhece o contexto (um pouco mais difícil em um primeiro momento).

Escolha três objetos ou três cores desse ambiente ou relacione três objetos ou três cores à situação pensada. Anote no caderno.

Associe a cada um dos objetos ou cores um atributo, que pode ser um sentimento, um adjetivo, um sabor, um aroma. Anote.

Imagine um cenário ou uma situação em que coexistem os objetos ou as cores, considerando a palavra atribuída a cada um deles.

Por exemplo:

Uma calculadora – sensatez.

Um aparelho de telefone – ligação.

Um abajur – pensamento.

Cenário criado: um mosteiro budista onde os aprendizes estão em meditação e onde a sensatez é libertar o pensamento para ter uma ligação com o “eu superior”.

Anote no caderno e repita o exercício pelo menos uma vez por semana. Assim, você exercita olhar sob outra perspectiva. Você vai perceber que o ambiente observado não será mais o mesmo.

Imagem de uma cama e sobre ela um caderno fechado de anotações. Esse também é um exercício para que a pessoa, depois que ela dormir e sonhar com algo interessante, ela possa acordar e já fazer as suas anotações. Outra forma de exercitar a criatividade.
Esther Carabasa / Pixabay

Aprenda com o subconsciente

Quando sonhamos, temos uma expansão da mente. Você já deve ter ouvido alguém falar que teve uma boa ideia em um sonho.

Relaxe o corpo e desligue-se de eletrônicos, das redes sociais, com pelo menos 30 minutos de antecedência ao exercício. Deixe o seu caderno de anotações e o lápis ou a caneta na cabeceira ou em local próximo à cama.

Pense em um problema que deseja solucionar, nos seus objetivos ou em uma situação desafiadora. Durma.

Ao acordar, pense durante uns cinco minutos sobre o que sonhou. Pode acontecer de você não se lembrar do sonho. Não tem problema. Tente na noite seguinte.

Anote no caderno as cores, os sentimentos, as palavras, as pessoas, as frases, as sensações, as imagens, até o que não considerar importante, porque pode ser útil mais tarde.

Repita esse exercício todos os dias. Em um primeiro momento, pode não surgir uma “resposta” criativa, porém o cérebro vai se acostumando a trabalhar para o pensamento criativo.

Faça conexões

Anote no caderno nomes de objetos aleatórios, por exemplo balanço, cadeira, árvore, casa, etc., na quantidade que desejar.

Pense em uma maneira de uni-los ou conectá-los, além das funções originais de cada um. Por exemplo, a casa pode estar fora do solo, unindo-se à árvore, e tornar-se uma casa da árvore. O balanço pode se unir à cadeira e se tornar uma cadeira de balanço. A ideia é criar algo novo (embora esses exemplos sejam conhecidos) a partir do que existe, ampliando para conexões cada vez mais improváveis e até bizarras. A lista aleatória facilita o processo.

O exercício também pode ser feito com ideias ou situações muito diversas entre si.

Imagem do rosto de uma mulher sorrindo. Ela está olhando para várias nuvens de pensamentos que estão sobre a sua cabeça. Ela está sorrindo com as ideias criativas que estão sendo inspiradas por ela.
S. Hermann & F. Richter / Pixabay

Construa uma “pirâmide” de ideias

Ao estilo “brainstorming”, esse exercício é feito com mais de uma pessoa.

A partir de uma ideia, uma figura ou um objeto, solicite que cada um vá acrescentando um elemento ao que já está no papel, o mesmo para todos.

As pessoas que participam do exercício definem o momento de finalizá-lo. Ao final, todos discutem o resultado, que pode ser reiniciado, se necessário.

Repita esse exercício sempre que precisar buscar uma solução ou desenvolver um projeto. Ele, além de desenvolver o pensamento criativo, fortalece o vínculo entre as pessoas.

Concluindo, são inúmeros os exercícios que frequentemente podemos realizar para ampliar a criatividade. Em um primeiro momento, eles podem parecer estranhos e gerar uma negação. O importante é não desistir, mesmo que inicialmente não se chegue aos resultados desejados.

Você também pode gostar

Pessoas criativas não desistem, mesmo diante de ideias que a todos parecem absurdas. Não há ideias boas ou ruins para os criativos. Permita-se tentar. Dê oportunidade para descobrir em você uma pessoa diferente, mais conectada com a sua essência.

Quando você revir o seu “caderno”, depois de um tempo, você vai perceber mudanças que nem imaginava. Bom exercício! Boas energias!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]