Convivendo

Brasil terá a segunda maior parede verde do mundo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

São Paulo é uma cidade enorme e por onde quer que se olhe, há muitos carros e prédios altos. Ocupa a sétima posição no ranking de cidades mais populosas de todo o planeta, e possui cerca de 20 milhões de habitantes. Em consequência dessa aglomeração, a poluição é intensa.

Ao todo, São Paulo tem cerca de quarenta parques estaduais e municipais, fazendo com que 21% da área da cidade seja coberta por áreas verdes, o que inclui até reservas ecológicas, percentagem considerada razoável. No entanto, quando olhamos bem ao nosso redor, percebemos que essa realidade só existe nas regiões periféricas, bairros mais afortunados que possuem parques próximos, e ainda pouca coisa do que restou de Mata Atlântica, e uma pequena parcela de represas.

Mas, para reverter esse cenário, um movimento criado por um grupo apelidado de Movimento 90º vem ganhando a simpatia e tem conquistado cada vez mais espaço. Trata-se da construção de áreas verdes em áreas urbanas, tanto para hortas ou fins paisagísticos, em locais em que nunca se havia cogitado a possibilidade de implantação da ideia, como telhados e paredes.

O exemplo mais recente e inovador são os grandes paredões dos prédios do Elevado Costa e Silva, o famoso Minhocão, localizado na região central de São Paulo. A ideia fez tanto sucesso que até a prefeitura do município aderiu à proposta, criando um tipo de compensação. Quando as construtoras cortam árvores para que possam aproveitar todo o espaço da obra, acabam tendo que bancar a instalação dos jardins verticais. Segundo o planejamento inicial, cerca de 20 prédios em torno do Elevado Costa e Silva ganharão paredes verdes. O projeto custará R$ 9 milhões aproximadamente.

A técnica é bem simples. Primeiramente, uma placa do tipo impermeável é instalada na parede para impedir a transferência de umidade. Por cima dela, é colocada uma camada de feltro, que se mantém umedecida para que as plantas possam permanecer vivas. E assim, um enorme paredão verde acaba surgindo em meio ao concreto.

Depois que o Minhocão receber este colorido, virará referência ambiental, tornando-se a segunda maior parede verde do mundo. Atualmente, o maior paredão verde está localizado no Hotel Rubens at the Palace, em Londres. Mas Londres que se cuide, porque segundo um levantamento, o município de São Paulo conta com cerca de 500 locais de empenas cegas – paredes onde antes da implantação da Lei da cidade limpa eram instalados anúncios de publicidade – hábeis para receber a ideia.  

Ainda não existe uma data específica de quando essas novas áreas verdes serão implantadas. Mas não se pode negar que a cidade de São Paulo ficará muito mais charmosa e atraente.


Texto escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras

Imagens: Reprodução internet

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]