Autoconhecimento Yoga

Buti Yoga

Mulher sentada em cima de um pier, com as pernas cruzadas de frente para o mar.
Juliana Ferraro
Escrito por Juliana Ferraro
Buti é uma palavra de origem indiana que significa: “curar algo que está muito profundo, algo secreto”.

Criado pela coaching e empresária Bizzie Gold, uma húngara judia, praticante de Yoga por anos e bailarina.

Bizzie diz que o Yoga tradicional é feito para poucas pessoas e exclui as mulheres, além de ela colocar uma crítica sobre o ponto de existirem gurus. Ela diz que o conhecimento deve ser passado de uma mesma linha, não de cima para baixo.

Buti Yoga

Depois de passar por um enorme trauma no nascimento de um de seus filhos, que ficou 20 minutos sem oxigênio depois do nascimento e teve uma parada cerebral, ela seguiu com a sua prática tradicional de Yoga, mas sentia que estava apenas fazendo os movimentos de forma repetitiva e sem presença, sentia que aquilo não fazia sentido para ela. Então, ela decidiu praticar a partir do seu coração e sair do mental.

O que surgiu foi uma forma mais expressiva, misturando dança, movimentos de Yoga (Vinyasa), música, exercícios de cardiovascular com saltos e a inclusão de todas as tribos. Mulheres de diversos credos, etnias e condições econômicas praticam esse novo tipo de yoga, que, segundo ela, é o mais inclusivo que existe e que combina melhor com o mundo em que vivemos.

Com várias técnicas de liberação de tensão e de abertura de si mesma, de tirar os julgamentos e de abrir espaço para que todos no grupo possam se manifestar, existe uma promessa de cura, de tirar as amarras da mente, do sofrimento e liberar traumas.

Os valores pregados por ela, seus praticantes e professores são:

“Construa o mundo onde você quer viver.

Você só pode guiar outros se você já trilhou o caminho antes.

O maior presente que você pode dar é o presente da amizade.

Uma pessoa apenas pode ser espiritual quando estiver ancorada.

Verdadeiros líderes não criam seguidores, eles criam mais líderes.”.

Os benefícios dessa prática são descritos como sensação de liberação, relaxante, natural, além de trabalhar em profundidade os músculos do Core, liberar endorfina, liberar tensões, propiciar uma experiência de grupo sem julgamentos e, como dizem, suar muito!

Fonte: www.butiyoga.com

Você também pode gostar de outros artigos do autor: Origens do yoga

Sobre o autor

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro

Juliana Ferraro é psicóloga por formação e viajante por amor às coisas novas da vida. Seu contato com diferentes línguas e culturas começou quando ela ainda trabalhava no Club Méditerranée, depois disso fez um mochilão pelo mundo em busca de autoconhecimento. Em pouco mais de 1 ano conheceu diversos países asiáticos, em especial a Índia, onde fundou uma paixão profunda pelo Yoga e pela meditação. Hoje, ela é professora de Yoga e terapeuta reikiana em Paraty, RJ.

Contatos:

Facebook: /juliana.ferraro | /lotusviajante
Instagram: @ferrarojuju | @lotus_viajante
Site: www.lotusviajante.com | www.casadodharma.com
E-mail: [email protected]