Convivendo

Carta para Lavínia

Lavínia
Jéssica Sojo
Escrito por Jéssica Sojo
Você nasceu numa época bem conturbada e árdua e, mesmo em meio ao sofrimento, trouxe consigo o acalento da primavera. E a cada novo dia você consegue florir a vida de quem te cerca, ressoando imensa luz e esperança mesmo em dias inoportunos – igualmente como a primavera. Recordo-me da ansiedade e dificuldade que me ocorreu em aceitar que iria ser titia assim que os seus pais compartilharam a novidade.

Lembro-me de ter ficado sonhativa e apreensiva. Era tudo uma novidade – e continua sendo –, em conclusão, a titia é de primeira viagem e como em toda primeira viagem, a experiência tem sido grandiosa em meio às oscilações de aprendizados e desafios. Embora eu não seja a titia mais coruja, sinto um carinho incomensurável por você. Tenho orgulho e gratidão por você me ter escolhido como titia e me ajudar a conduzir a viagem.

Lavínia

Permitindo-me ter o privilégio de te ensinar uma infinitude de coisas e também aprender uma abundância de outras mais – e que nem no meu melhor sonho, eu conseguiria imaginar vivenciar uma viagem tão incrível como a nossa, minha pequena Nina.

Gratidão Nina, por ensinar a titia a se desafiar e tentar compreender, dentre muitas coisas, a sua linguagem incompreensível (desconfio que nem os seus pais entendem o que você diz), mas o que importa é o coração, né? E desse, a gente nem precisa dizer nada – o amor é incondicional.

Gratidão por me ensinar a cuidar e proteger um tesouro tão precioso sem esperar nada em troca. Gratidão por me permitir voltar à infância e explorar outras jornadas de mundos diferentes através das suas aventuras (principalmente quando você descobre vídeos engraçados e bobos no YouTube com linguagem Chinesa, Coreana, Mexicana, dentre outras mais – e começa a achar graça). Gratidão por gostar do meu edredom da Turma da Mônica e me permitir viajar no seu mundinho imaginário e jubiloso. Gratidão por fazer o meu coração explodir a cada vez que você consome alimentos vegetais <3 (pressuponho que seja a futura veganinha da família). Gratidão por despertar em mim o sentimento mais amável. Gratidão pela genuinidade e oportunidade de compartilhar com todos o quão magnifica tem sido a nossa viagem.

Eu sempre almejei ser tia quando escutava o que partilhavam minhas amigas e amigos mais próximos.

Tentava imaginar o quão incrível deveria ser. E é muito além do que as pessoas dizem. Ser tia é estupendo. É antes de tudo: aprender a valorizar a simplicidade da vida. É querer e buscar ser o melhor exemplo para a maior preciosidade que a vida nos presenteia. É encontrar graça em algo totalmente desconexo. É se aventurar em universos imaginários com riquíssimos aprendizados importantes – e fazer disso o passaporte para uma infinita imaginação e esperança. É criar voo em múltiplas peregrinações que vão muito além do que as palavras conseguem mensurar de tão especial que é. É ter o maior privilégio do mundo em ganhar o presentão mais precioso que a vida é capaz de nos oferecer. É se reinventar e redescobrir um novo sinônimo a palavra amor.

Lavínia

É um sentimento que só você, Nina, ensina diariamente à titia. Gratidão à oportunidade de aprender sobre a vida junto a você nessa viagem que tem sido incrível.

Sei que ainda é pequenina e talvez leve algum tempinho para você ler a cartinha da titia, mas desejo a você, minha pequena, muita saúde, um futuro próspero e infinitas oportunidades de compartilhar com todos a grandiosidade da primavera – que só você consegue ressoar o mais sublime sentimento em quem a cerca.

Parabéns minha pequena, que você desfrute de jubilosas peregrinações.

Com todo o meu coração, titia te ama muito.


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Carta à minha heroína

Sobre o autor

Jéssica Sojo

Jéssica Sojo

É custoso descrever quem sou eu – já que constantemente lapido, modifico e me transformo em um pouco de tudo e muito de cada pouco. Inicialmente posso compartilhar dizendo que sou extremamente curiosa, apaixonada pela comunidade surda, pela língua de sinais e por tudo que envolve a linguística.

Foi na faculdade de medicina e como acadêmica há alguns anos (com a esperança de trabalhar com o ser humano e suas limitações) que eu adentrei para um universo de que eu não fazia ideia que fosse possível existir e que pudesse trazer a bagagem que tenho hoje. Minha busca incessante pelo autoconhecimento e entendimento para muitos dos questionamentos que já tive (e continuo tendo) me fez despertar para o meu atual desígnio.

Minhas tantas outras peregrinações e experiências também contribuíram e muito com o meu desígnio – a começar pelo de compartilhar junto a vocês, leitores do EuSemFronteiras, sobre a primordialidade de enxergarmos para além do que nos visibiliza os olhos e lembrarmo-nos sempre de sermos semelhantes ao sol, mesmo em meio às sombras escarpadas montanhosas da vida.

Com todo o meu carinho e gratidão imensa,

Mãos em prece e um saudoso e caloroso abraço em cada um.

Contatos:

Email: [email protected]
Instagram: @rubiojer