Convivendo

Carta à minha heroína

Young african american mother playing with her baby girl
Jéssica Sojo
Escrito por Jéssica Sojo

Coloca-me sobre a bicicleta, leva-me ao parque e ensina-me a andar. Coloca-me ao seu lado e invente historinhas até a hora em que eu dormir. Coloca-me sobre o seu colo, enxugue minhas lágrimas e diz que tudo isso vai passar, é só uma fase. Ajuda-me nas tarefas de casa. Diz que eu sou sua caçulinha. Convide-me para assistirmos filmes juntas. Leve-me para passear.

Reclame do meu comportamento. Acorde-me com todo o carinho do mundo e deixe-me dormir por mais cinco minutos. Apareça do nada em meu quarto. Traga todas as baboseiras do mercado. Leve-me para conhecer lugares diferentes. Faça-me rir das suas atrapalhadas.

Diz que sou sua companheira e tantas outras coisas, desde sempre e em todos os momentos que passamos juntas. É minha melhor amiga, desde o instante em que estive na sua barriga. Eu tenho tanto a lhe dizer, mas entre os tantos significados atribuídos a você, nenhum exemplifica bem o tanto que eu admiro-a. 

Você é um ser humano incrível, apesar de suas falhas.
Sempre foi tão atenciosa comigo cedendo a todos os meus caprichos. Você nunca me julgou por minhas escolhas. É tão linda e passa tanta confiança à sua caçulinha. Você sempre fez o possível e impossível para arrancar um sorriso do meu rosto.

Desde sempre fez piadinhas engraçadas comigo e rimos muito uma da outra. É um exemplo raro de mãe hoje em dia – minha melhor amiga. Além desse ser incrível, é uma pessoa muito importante na minha vida, existência, sobrevida, e até em outras vidas. Você que está sempre comigo – não importa quantas vezes eu falhe. Quero que saiba que hoje é apenas uma data simbólica, e que o seu dia é todos os outros também.

Gratidão por servir como base para mim e na suas diferenças, ensinar-me tudo o que eu sei até o exato instante. Eu sei que não sou de demonstrar muito o meu sentimento por você, mas saiba que eu a amo muito. Há tantos significados diferentes em uma palavra tão pequenina. Recorri ao meu querido amigo dicionário, e de acordo com ele a palavra ‘mãe’ significa “mulher que tem filhos”, mas, a meu ver, não significa apenas isso.

Estimo que entre os tantos significados, mãe é aquele ser humano que existe independente de estar em carne, osso e alma. Independe de ser mulher, irmã, avó, tia, babá, pai, avô, tio, madrasta, padrasto, biológica ou adotiva. Mãe é aquela que nos torna o melhor que possamos ser, independente do que os outros vão pensar.

happy middle aged blond mother and adult daughter outdoors

Mãe, que em muitos outros contextos (seja lá quais), não seja memorável só nas suas obrigações com o seu papel de Mãe (biológica ou adotiva) e nem em suas falhas. Mãe, presença em seus diferentes aspectos e além dos laços físicos – de todos os dias.

Por meio desta carta, gostaria que você soubesse que é um ser incrível e eu admiro muito a sua determinação, coragem, caráter e o seu amor por mim. Te acho linda, mesmo com os dentinhos tortos. Com o cabelo bagunçado. Com umas gordurinhas a mais. Com o seu jeito atrapalhado. Você é linda e é um exemplo para mim. Gratidão por ser quem é, e desculpa por eu não ser uma filha perfeita. 

Feliz dia das Mães, e todos os outros.

Sobre o autor

Jéssica Sojo

Jéssica Sojo

É custoso descrever quem sou eu – já que constantemente lapido, modifico e me transformo em um pouco de tudo e muito de cada pouco. Inicialmente posso compartilhar dizendo que sou extremamente curiosa, apaixonada pela comunidade surda, pela língua de sinais e por tudo que envolve a linguística.

Foi na faculdade de medicina e como acadêmica há alguns anos (com a esperança de trabalhar com o ser humano e suas limitações) que eu adentrei para um universo de que eu não fazia ideia que fosse possível existir e que pudesse trazer a bagagem que tenho hoje. Minha busca incessante pelo autoconhecimento e entendimento para muitos dos questionamentos que já tive (e continuo tendo) me fez despertar para o meu atual desígnio.

Minhas tantas outras peregrinações e experiências também contribuíram e muito com o meu desígnio – a começar pelo de compartilhar junto a vocês, leitores do EuSemFronteiras, sobre a primordialidade de enxergarmos para além do que nos visibiliza os olhos e lembrarmo-nos sempre de sermos semelhantes ao sol, mesmo em meio às sombras escarpadas montanhosas da vida.

Com todo o meu carinho e gratidão imensa,

Mãos em prece e um saudoso e caloroso abraço em cada um.

Contatos:

Email: [email protected]
Instagram: @rubiojer