Maternidade Consciente Saúde Integral

Comer a placenta faz bem? Veja o que Bela Gil diz

Side view of woman holding sonogram while standing at home
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A culinarista e apresentadora de televisão Bela Gil, revelou durante uma entrevista para a coluna Beira-Mar, da Revista Veja, além de optar por um parto natural, realizado em casa, sem intervenções, ingeriu a sua própria placenta.

Seu segundo filho nasceu em maio, deste ano. Bela Gil seguiu o seu estilo natural de se alimentar e cuidar da saúde também no nascimento do seu filho. Depois do parto natural, Bela ingeriu a placenta misturada em uma vitamina de banana e por isso disse que sequer sentiu algum gosto diferente. Flor, a filha mais velha da culinarista, também tomou a vitamina como forma de comemorar a chegada do irmão.  

Muitos se chocaram ao saber que comi a minha placenta depois do parto do Nino. Hj saiu uma matéria no @estadao com a minha participação sobre a placentofagia. Gostaria que ao menos lessem para se informarem sobre essa prática antes de tirarem conclusões precipitadas. Não há estudos que comprovem seus benefícios, mas a placenta é rica em nutrientes e hormônios, pode diminuir o risco depressão pós parto e deve ser uma escolha da mulher consumi-la ou não. A minha Doula, tão querida fez esse print da placenta e ainda dissecou e encapsulou para eu seguir tomando. Uma linda e carinhosa lembrança que ficará comigo e poderei mostrar ao Nino (assim como muitas mães guardam o umbigo, o primeiro corte de cabelo, etc). Mas o que vale aqui é o poder de escolha de cada mulher e a força que a informação pode dar a vida de cada uma delas. ??? #minhaplacenta #minhaescolha #arvoredavida

Uma foto publicada por Bela Gil (@belagil) em

  • O que é a placenta?

A placenta é um órgão que se forma na mulher durante o tempo de gestação para que o feto consiga se desenvolver. Por meio do cordão umbilical, que liga mãe e bebê, ela é responsável pelas trocas gasosas e de nutrientes, por isso, é altamente vascularizada.

  • Comer a placenta traz benefícios?

A placenta é especialmente rica em ferro e hormônios como a ocitocina e alguns tipos de prostaglandinas. Mas, de acordo com o ginecologista e obstetra Dr. Rodrigo da Rosa Filho, ainda não existem muitos estudos, alguns estão em andamento, então, o ferro é absorvido, mas pode ser que os hormônios sejam digeridos antes, no estômago e no intestino, e não tenham ação efetiva.

O especialista ressalta que mesmo não tendo evidências científicas que recomendem o consumo da placenta, essa prática vem se tornando cada vez mais comum. Bela, inclusive, disse que sabe que não há benefícios comprovados, mas que consumiu por acreditar ser uma fonte incrível de nutrientes.

O único cuidado que o especialista alerta é em relação ao armazenamento do órgão. Algumas mulheres consomem logo após a expulsão, como fez a Bela Gil. Outras mandam encapsular, e neste caso, é preciso ter os mesmos ou até mais cuidados com o que temos com os demais alimentos.


Texto escrito por Natália Nocelli da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]