Autoconhecimento Comportamento

Como deixar de brigar consigo mesmo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Brigar é exaustivo. Se você já esteve num relacionamento em que brigavam por um problema, faziam as pazes, brigavam pelo mesmo motivo, faziam as pazes e brigavam pelo mesmo motivo de novo… Então sabe sobre o que estou falando.

Brigar. É. Desgastante.

Drena a sua energia, te deixa para baixo. E esse é o motivo das pessoas fazerem as pazes ainda que não tenham encontrado soluções reais para os seus problemas. E esse também é o por que muitas pessoas inevitavelmente colocam um ponto final nas relações: elas não sabem colocar sua energia nos lugares certos.

Nós fazemos o mesmo conosco. Usamos a nossa energia e insistimos nas coisas que não podemos mudar. E muitos empacam aqui. Esse é o porquê da Oração da Serenidade ser tão popular. Há grande sabedoria nessas palavras:

“Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para conhecer a diferença entre elas”.

A luta de que falo aqui é quando insistimos nas coisas que não podemos mudar. Nós brigamos conosco mesmos quando as coisas não saem como o planejado, quando queremos que elas sejam diferentes do que realmente são, quando desejamos algo que não aconteceu da forma como gostaríamos. E, tipicamente, muitas vezes, as pessoas que brigam com os outros brigam ainda mais com elas mesmas.

Nós brigamos conosco quando não nos permitimos viver plenamente as experiências que estão à nossa frente. E, assim, nos recusamos a aceitar quem somos e as circunstâncias em geral. Quando não nos aceitamos, estamos transmitindo a mensagem de que há algo errado conosco. A verdade é que às vezes a vida é difícil e outras, fácil. Às vezes, a vida parece boa, às vezes, ruim. E grande parte disso depende do nosso ponto de vista.

A melhor forma que encontrei para parar de lutar contra mim mesma foi abraçar as coisas como elas são. Meu computador quebrou outro dia, e foi num momento bastante inconveniente, mas aconteceu. Não vou te dizer que encarei isso da maneira mais graciosa possível, mas consegui aceitar. Eu percebi que passaria por esse momento, assim como todos os outros momentos difíceis que enfrentei na minha vida (no fim, acabou sendo uma benção disfarçada, assim como muitas das coisas desagradáveis que acontecem conosco).

A verdade é que, inevitavelmente, encontraremos desafios em nossas vidas, não importa se vamos abraçá-los ou não. Mas, quando enfrentamos nossas experiências, sofremos. O quanto de energia que utilizamos para brigar conosco é surpreendente. Uma vez que parar de resistir à vida, tudo ficará mais fácil. A estrada passa a ser um pouco menos irregular, e a vista fica um pouco mais nítida. Você se vê livre para agir de um jeito que não poderia antes. Você tem um novo lugar no mundo para sentir e se relacionar.

Então, eu escolhi aceitar as dolorosas experiências da minha vida, escolhi aceitar as coisas que me deixavam em situações precárias, aceitar o medo que essas situações despertavam em mim e entender que o presente não é diferente de todos os outros momentos difíceis que já enfrentei na minha vida. E, se for diferente, vou enfrentar esse desafio de frente porque é isso que os seres humanos fazem. Nós prevalecemos. 

A verdadeira força provém dos seus sentimentos e experiências, e não da sua fuga deles.

Se você estiver enfrentando algo difícil na sua vida nesse exato momento, eu aconselho você a abraçar isso. Se está se perguntando o que deve significar, significa que você deve sentar, refletir sobre seus sentimentos e ficar bem. Não deseje algo diferente. Não diga a si mesmo que há algo de errado com você porque está enfrentando essa dificuldade. Não tente se livrar dos seus sentimentos dizendo que deve aguentar e seguir em frente. Você está sempre seguindo em frente: isso é chamado “vida”.

Conecte-se com a sua respiração. Faça algo gentil para si mesmo. Tome um banho quente. Leia um livro. Medite. Saia para uma corrida. Pratique yoga. Diga a si mesmo que você é amado exatamente do seu jeitinho. Acredite nisso. Dê amor ao seu desconforto. Dê amor às circunstâncias. Permita-se reconhecer as oportunidades por trás das dificuldades. Você conseguirá ver mais claramente quando conseguir enxergar o outro lado. Mas, enquanto estiver nesse momento difícil, pare de lutar. Como diria John Lennon: “ All I’m saying, is give peace a chance” (Só estou dizendo para dar uma chance à paz).


Escrito por Amanda Magliaro Prieto da equipe Eu Sem Fronteiras

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br