Autoconhecimento Convivendo

Psoríase na Linguagem do Corpo

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Psoríase é o nome de uma doença que não tem cura e que pode atingir qualquer pessoa. Em geral, a psoríase atinge pessoas que têm menos de 30 anos ou mais de 50 anos. As manchas mencionadas anteriormente podem aparecer no couro cabeludo, nos cotovelos e nos joelhos, sendo que 15% dos casos se manifestam na infância.

A psoríase não é uma doença contagiosa, mas ainda é alvo de estigmas da sociedade. Por ser caracterizada por manchas na pele que podem descamar, a aparência que foge ao padrão de beleza é ridicularizada.

A desinformação sobre a psoríase é um dos males que as pessoas que sofrem com a doença precisam enfrentar. Para combater o preconceito contra essa parte da sociedade e para entender como essa doença funciona, entenda mais sobre a psoríase.

Imagem de uma mulher vestindo uma camiseta vermelha, Ela está com um dos braços com uma indicação de escamação, como a psoríase.
Direitos autorais : Parin Kiratiatthakun

Causas da psoríase

As principais causas da psoríase são exposição ao frio e pouca incidência de luz solar na pele, episódios de estresse, ingestão de bebida alcoólica, uso de medicamentos (alguns anti-inflamatórios e outros psiquiátricos, como o lítio) e genética (30% dos casos).

Embora essas sejam as causas mais comuns, expor-se ao sol e ao calor, deixar de consumir bebida alcoólica e determinados medicamentos, por exemplo, pode não ser eficiente para prevenir a doença. Na verdade, não há um meio preciso para prevenir a psoríase.

Imagem de uma mulher oriental vestindo uma camiseta branca com listrinhas azul. Ela está coçando um dos braços.
Direitos autorais : Teeramet Thanomkiat

Sintomas da psoríase

Os sintomas da psoríase são as lesões que aparecem na pele. Elas podem aparecer em diferentes lugares do corpo, apresentando características variadas. Observe:

1) Psoríase vulgar

É caracterizada por lesões na pele com tamanhos diferentes, delimitações e com coloração avermelhada. Elas também apresentam escamas, que podem ser secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas. Os principais locais de incidência são o couro cabeludo, os joelhos e os cotovelos.

2) Psoríase invertida

O tipo de lesão da psoríase invertida diferencia-se das demais por ser uma lesão úmida, que se localiza em regiões como dobras no couro cabeludo, nos joelhos e nos cotovelos. Nesse caso, não há descamação da pele.

3) Psoríase gutata

As lesões se assemelham a pequenas gotas, que podem aparecer no tronco, nos braços e nas coxas, perto de regiões como ombros e quadril. Esse tipo de psoríase está associado a processos infecciosos do corpo, e atinge crianças e jovens adultos com mais frequência.

4) Psoríase eritrodérmica

Nesse tipo de psoríase, as lesões ocupam 75% ou mais de toda a área do corpo. Podem causar incômodo para quem as tem, por sofrerem preconceito por parte da sociedade. Ainda assim, é possível tratá-la.

Imagem de uma mulher de cabelos longos e brincos de argola, ela usa uma camise de manga curta na cor preta e está coçando o pescoço com início da psoríase.
Direitos autorais : thodonal

5) Psoríase ungueal

Diferentemente dos outros tipos de psoríase, a psoríase ungueal acontece nas unhas das mãos. Depressões em formato de ponta ou manchas amareladas podem afetar essa região do corpo, nesse caso.

6) Psoríase artropática

Uma forma mais rara da psoríase é a psoríase artropática, que afeta 8% das pessoas que sofrem da doença. Ela é caracterizada pelo comprometimento das articulações, causando dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou em articulações maiores, como as dos joelhos e dos cotovelos.

7) Psoríase postulosa

A principal diferença entre a psoríase postulosa e as outras formas da doença é que, nesse caso, há pus nas lesões. Elas podem atingir os pés e as mãos ou podem se espalhar pelo corpo.

8) Psoríase palmoplantar

Nesse caso, as lesões assemelham-se a fissuras, que se desenvolvem nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Se você identificar algumas dessas lesões no seu corpo, o mais recomendado é consultar um(a) dermatologista ou uma pessoa que seja especialista em psoríase. Ainda que a doença não tenha cura, como ela é muito estudada, é possível tratá-la com acompanhamento médico.

Imagem de um homem vestindo uma blusa de manga longa na cor preta. Ele está passando pomada em uma das mãos que está com aspecto da psoríase.
Direitos autorais : Olga

Tratamento da psoríase

Os casos leves e moderados de psoríase são a maioria, correspondendo a 80% deles. Isso significa que é possível adotar um tratamento eficaz para tratar as lesões e para evitar que elas tornem a aparecer, para a maioria das pessoas.

Entre as formas de restaurar a pele e impedir que novas lesões apareçam estão: uso de medicamentos locais, hidratação da pele e exposição rotineira ao sol. Existem casos de pessoas que não conseguem se expor ao sol com frequência. É possível tomar banhos de luz ultravioleta A e B, com indicação médica, a não ser que o(a) paciente seja uma criança.

Existem alguns hábitos alimentares que podem auxiliar no desaparecimento das lesões, como a ingestão de peixes de água fria ou de alimentos ricos em ômega 3, como amêndoas.

Os medicamentos de aplicação local são os mais indicados para os casos leves e moderados. As pomadas feitas à base de alcatrão são eficientes, mas provocam manchas nas roupas e têm um cheiro forte. Por isso, é preciso consultar um(a) profissional que indique uma alternativa menos agressiva.

Os casos mais graves, que incluem lesão em todo o corpo ou que evoluem para problemas nas articulações, podem ser tratados com medicamentos de ingestão oral, sempre com recomendação médica. Algumas lesões podem ser mais difíceis de desaparecer, mas não se sinta mal por isso.

Imagem de uma mulher em seu quarto, sentada em sua cama. Ela está coçando o seu braço.
Direitos autorais : Anton Estrada

Psoríase na linguagem do corpo

Como foi apresentado anteriormente, a psoríase é uma doença de pele que tem como uma das causas o estresse. Se uma pessoa passa por situações estressantes de forma cotidiana, é possível que ela venha a desenvolver esse problema. Mas esse não é o único fator psicológico que influencia o surgimento da psoríase.

De acordo com a linguagem do corpo, os nossos organismos podem refletir sentimentos, traumas e emoções na forma de doenças físicas ou mentais. A pele, por ser o maior órgão do corpo humano, também é um alvo de tudo aquilo que sentimos e vivemos.

Acredita-se que uma pessoa que passe por constantes situações de estresse e que não tenha a possibilidade de reagir a elas ou de lidar com os acontecimentos de forma mais tranquila reprimirá as suas emoções. Ela se sente estressada e não diz a ninguém, se sente fora do controle e não sabe como recuperá-lo, não sabe quais decisões tomar e não pede ajuda.

Essas pequenas atitudes que podem parecer inofensivas durante um dia vão se acumulando a cada semana. Sem auxílio, sem incentivo para melhorar e sem conseguir lidar de forma eficiente com as situações estressantes, essa pessoa começa a armazenar sentimentos negativos dentro de si, que nunca conseguem escapar ou mudar para sentimentos positivos.

Imagem de uma mulher vestindo uma blusa azul. Ela está coçando a cabeça devido à psoríase.
Direitos autorais : Ian Allenden
Você também pode gostar

Quando um indivíduo não consegue assumir o controle da própria vida e das situações que apresentam uma carga maior do que ele pode suportar, o corpo reage de uma forma inusitada. Nesse caso, é a pele que assume a função de comunicar o que o corpo precisa.

Por ser a principal região tátil do organismo, a pele representa o nosso contato com o mundo. Então, a psoríase é uma forma de o organismo dizer que o contato da pessoa com o mundo precisa melhorar. Ela precisa retomar as rédeas da própria vida, recusar as situações estressantes e enfrentar as pessoas que estão causando tanta tensão em sua vida.

Partindo dessa análise, seria essencial que os tratamentos para psoríase incluíssem um tratamento psicológico, para que as pessoas que sofrem com a doença pudessem eliminar um dos principais causadores do mal: o estresse. Com os sentimentos bem resolvidos e com o contato com o mundo restabelecido, a psoríase tenderia a ser controlada.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]