Coaching Convivendo

Como deixar o seu currículo melhor para o primeiro emprego

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Mesmo com toda a tecnologia que se tem hoje no mundo, não há pra onde fugir: o currículo é ainda peça fundamental para quem procura emprego. Mas e como fica a situação daqueles que estão em busca da primeira oportunidade de trabalho? Falta experiência anterior, talvez nenhuma graduação concluída ou cursos em andamento… Então, o que se fazer nessa hora?

Pode parecer desesperador, mas não há necessidade de se pensar assim. Mesmo que uma pessoa não tenha tido nenhuma experiência profissional na vida, isso não significa que ela não esteja apta a desenvolver funções que demandem outro tipo de habilidade. Existem talentos e dons que estão além de formações acadêmicas ou especializações e que muitas vezes ficam pra escanteio.

Elaborar um currículo de maneira limpa, clara e honesta é uma etapa muito importante e primordial pra quem quer entrar no mercado. Veja a seguir algumas dicas que te ajudarão a tornar esse processo menos doloroso.

De olho na gramática

Ninguém precisa ser um professor Pasquale da língua portuguesa, mas estar em dia com a nossa língua mãe não custa nada, não é mesmo? Preste atenção aos erros gramaticais. Aos olhos de um selecionador, isso é considerado um dado eliminatório. Se precisar de ajuda, consulte um bom dicionário. Vale ressaltar que colocar e-mails com apelidos ou nomes estranhos pode soar um tanto infantil, portanto, encare seu currículo como seu cartão de visita, literalmente. Todos os detalhes são valiosos.

Diagramando o currículo

Nada de usar fonte Comic Sans porque é bonitinha, ok? Faça uso do tradicional e escolha entre as “boas e velhas” Times News Roman e Arial. E o tamanho da fonte normalmente é o número 12. De acordo com profissionais de recursos humanos, o aconselhável é que o currículo tenha no máximo duas folhas. O layout também tem que ser levado muito em conta e, com a internet, essa tarefa é a mais fácil até agora, sendo que existem diversos modelos atuais para serem baixados gratuitamente. Basta fazer uma pesquisa e mãos à obra!

Partindo para os objetivos

Mesmo sem experiência todos nós temos objetivos; então, esse espaço ficará reservado para expressar o que realmente você deseja. Em qual área tem interesse de trabalhar, quais são suas expectativas para o futuro, o que pretende fazer para obter resultados? Seja claro. É melhor ser honesto descrevendo o seu real interesse, em vez de mentir.

Focando nos pontos positivos

É bom em matemática e raciocínio lógico? Gosta de artes, pintar, ler ou alguma atividade que necessite reflexão? Tudo isso entra como fator decisivo no momento de uma entrevista. Em seu currículo, você pode colocar habilidades como: criatividade, aptidão para cálculos matemáticos, bom relacionamento interpessoal, dinamismo, enfim; são inúmeras qualidades a serem descobertas e exploradas.

Formação acadêmica e cursos

Além da informação básica sobre o grau do seu ensino, enfoque em atividades que você tenha feito que envolvam outro tipo de conhecimento, como cursos extracurriculares, de idiomas, intercâmbio, workshops, trabalhos voluntários e palestras que tenham participado. No entanto, tenha os pés no chão e não se entusiasme demais. O filme pode ser queimado pelo o simples fato de se colocar um curso que não tenha nada a ver com o seu propósito profissional.

No mais, as informações a serem colocadas são as básicas: nome completo, telefones para contato (residencial e celular), endereço (sem necessidade de informar o CEP), cidade e região, idade e estado civil. Feito tudo isso, agora é torcer e acreditar que existam chances de se encontrar uma boa vaga. Boa sorte!


Texto escrito por Juliana Alves de Souza da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]