Nutrição Saúde Integral

Como evitar o desperdício dentro de casa

desperdício
Carla Trevisan
Escrito por Carla Trevisan
Não somente no Brasil, como também no mundo, um dos grandes problemas enfrentados é o desperdício. Ele está no dia a dia das pessoas e pode ocorrer de diversas formas, desde uma lâmpada que foi esquecida acesa ao sair do ambiente, até na forma de preparo e conservação de alimentos.

Por que se importar tanto com o desperdício?

desperdício

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um terço das famílias brasileiras terminam o mês sem comida nas mesas. Nas regiões Norte e Nordeste, a situação atinge 50% da população. Enquanto 14 milhões de brasileiros passam fome, o restante da população joga no lixo 30% de todos os alimentos comprados. E isso é uma quantia muito grande!

Outro motivo seria o custo. Em um ano em que a economia está enfrentando dificuldades, economizar é imprescindível. E por fim: o aspecto ambiental. Além de todo o lixo gerado, o alimento jogado fora gera o gás metano, 20 vezes mais nocivo ao meio ambiente do que o gás carbônico.

Pensando em todos esses efeitos negativos, seguem algumas dicas para aplicar na rotina em sua casa e na vida de sua família.

CUIDADOS COM OS ALIMENTOS 
1. PLANEJE O CARDÁPIO DA SEMANA: quando um cardápio com as refeições da semana é elaborado, você consegue planejar melhor as quantidades que devem ser produzidas diariamente, além de dimensionar melhor as suas compras da semana.

2. DÊ PREFERÊNCIA AOS ALIMENTOS DA ÉPOCA: consuma verduras, legumes e frutas da estação, que além de serem mais baratos, são mais saborosos, nutritivos e contêm menos agrotóxico em seu cultivo.

3. FIQUE DE OLHO NA VALIDADE DOS ALIMENTOS: organize a sua despensa de forma que os alimentos que vencem antes fiquem na frente. Assim, você não correrá o risco de jogar fora um alimento vencido por ele estar esquecido no fundo do armário.

4. USE E ABUSE DO CONGELADOR: se algo não pode ser utilizado, congele para poder consumi em um outro momento. Você sabia que até as frutas podem ser congeladas?

5. UTILIZE AS CASCAS, TALOS, FOLHAS E SEMENTES: além de um alto valor nutritivo, eles ficam deliciosos nas mais variadas preparações, como chás, geleias, bolos e tortas. Coloque a criatividade em prática!

CUIDADOS COM A ÁGUA 

1. EVITE O DESPERDÍCIO NA HORA DE HIGIENIZAR AS SUAS VERDURAS: ao lavá-las folha a folha, deixe apenas um “fio” de água escorrendo de sua torneira.

2. HIGIENIZAÇÃO DE TALHERES E LOUÇA: deixe os talheres e pratos sujos em um recipiente com água e detergente antes de lavá-los, para assim facilitar na higienização.

3. NÃO DEIXE A TORNEIRA ABERTA: uma torneira aberta gasta de 10 a 20 litros por minuto. Não deixe a torneira aberta para lavar a louça e escovar os dentes.

4. SE SUA TORNEIRA ESTÁ PINGANDO OU VAZANDO, CHAME A MANUTENÇÃO O QUANTO ANTES: esse rápido gesto fará com que você economize cerca de 50 litros por dia.


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Como se alimentar bem fora de casa?

Sobre o autor

Carla Trevisan

Carla Trevisan

Nutricionista formada em 2010 pela Universidade de Ribeirao Preto (UNAERP)
Pós graduada em Nutrição clinica e Fundamentos Metabólicos pela Gama Filho
Pós graduada em Fitoterapia Funcional pela VP
Pós graduada em Nutrição clinica Funcional pela VP

A nutrição funcional consegue tratar diversas patologias ajustando as deficiências de vitaminas e minerais, otimizando os processos metabólicos e tendo assim melhores resultados.

A fitoterapia me dá suporte para minhas prescrições sendo uma ferramenta importante nos diversos tratamentos.

Condições que podemos tratar:

- Obesidade
- Gastrite/refluxo
- Síndrome do intestino irritável
- Câncer
- Depressão/ansiedade
- Colesterol alto
- Hipotireoidismo
- Menopausa
- TPM
- Enxaqueca
- Prisão de ventre
- Gestante, nutriz
- Artrite/artrose
- Diabetes
- Alzheimer
- Ganho de massa muscular
- Osteopenia/osteoporose
- Intoxicações por metais pesados
- Alergia alimentar
- Rinite/sinusite
- Celulite, edema, queda de cabelo
- Acne, foliculite
- Hipertensão
- Distúrbios alimentares (anorexia, bulimia, compulsão alimentar)
- Introdução alimentar no bebê
- Insônia
- Anemia
- Infertilidade
- Fadiga crônica
- Psoríase
- Aumento de imunidade
- Fibromialgia