Autoconhecimento

Como lidar com as expectativas e frustrações

Mulher branca numa janela com expressão triste.
Kyle Broad / Unsplash
Escrito por Flávia Rebouças

Vamos falar sobre expectativas e frustrações? Expectativas… é um tema bem abrangente, geralmente vinculado às nossas emoções, visão de mundo e ainda se passa em meio a tantas coisas que aprendemos ao longo da vida. Nada fácil.

Cada um de nós enxergará a partir de um prisma, conta para tanto tudo o que já passamos, nossas experiências vividas e também o que buscamos (ser, ter, realizar ou compartilhar).

Primeiramente, podemos pensar melhor sobre o que, de fato, esperamos, observar nossos objetivos e desejos. Quando clareamos nossas emoções fica mais fácil compreender o que aguardamos e, assim, traçarmos um caminho para que possamos atingir a meta.

O impasse acontece quando a expectativa está no outro ou em um objeto que depende de certas circunstâncias e não apenas de nós mesmos.

Pensemos nas expectativas que dependem de nós, de início. Podemos refletir se estamos sendo honestos com nossos sentimentos, evitando culpas ou vitimização durante o processo. Limitam muito nossas inúmeras potências, estressando sem resolver.

Se algo depende de nós, estudemos a fundo a questão; sabem a famosa situação de que de “longe” ou “de cima” podemos ver melhor? Bem isso, olhar meio distante uma situação pode nos auxiliar melhor.

Mas e as pressões sofridas no nosso dia a dia? Trabalho, filhos, casamento (ou divórcio), família, emprego que pretendemos, mudanças que aguardamos, relacionamentos, e por aí segue a lista…

Importante lembrarmos que ao nos conhecermos melhor, o modo como somos e agimos, evitamos a chamada frustração, de onde pode decorrer mágoas e ressentimentos. A grande relevância da questão acerca das expectativas é exatamente como terminam e como lidamos quando não deparamos com a situação ideal (ou idealizada por nós).

Homem negro com papeis laranjas grudados no rosto.
Yasin Yusuf / Unsplash

Muitas vezes somos nós quem as idealizamos, mesmo quando depende ou envolve uma outra ou outras pessoas e personalidades diferentes.

Esquecemo-nos facilmente que cada indivíduo é único, assim comparações são desnecessárias e podem aumentar a sensação de frustração. Esquecemo-nos de que cada um tem uma visão de mundo diferente ou não da nossa e passamos a aguardar de outro indivíduo aquilo que acreditamos que merecemos.

Merecemos, sim, a atenção das pessoas, o amor, a compreensão e o cuidado; mas nem sempre encontramos. Pode ser que haja desgaste num relacionamento, falta de diálogo ou busca excessiva de atenção. Pode ser que algo tenha mudado ou é apenas uma fase ou que exigimos além das possibilidades do momento. Pode ser que aquilo que imaginamos era apenas uma fantasia ou ainda que acabamos por experimentar forte decepção e teremos que lidar com ela.

Lidemos conosco primeiramente, com nossos sentimentos. Pausas às vezes são necessárias, sim, para que possamos refletir, repensar, assimilar e compreender. É um processo individual, mas podemos recorrer à ajuda, havendo necessidade.

Gerenciar todas as expectativas, nossos conflitos e as pressões não é fácil, mas é possível se nos desvencilharmos de parte dela. Como? Por meio do diálogo aberto e sincero, por exemplo, da análise da situação e da análise de nós mesmos, ressignificando, com o tempo, as emoções trazidas com as experiências.

E para quê? Para que possamos seguir adiante, simplesmente isso, e é o que mais importa, que sigamos.

Quem pode dizer que é fácil? Não é a questão na realidade, pois todos sabemos que não é, principalmente quando mais profunda é a expectativa não atendida. Como pode ser fácil o término de um relacionamento, a compreensão de uma traição (seja qual for) ou falecimento de um ente querido, por exemplo?

Você também pode gostar

Não são fáceis, encare-as assim de início, não devemos nos iludir. Aceitar é um processo a ser elaborado, pensando ainda não apenas no momento presente, mas no futuro.

Lembremo-nos de que as oportunidades surgem, que as reviravoltas acontecem, que nossas potências continuam latentes e, assim, podemos nos permitir seguirmos adiante quando mais fortalecidos.

Mas vamos com calma, um dia de cada vez, refletindo e nos conhecendo melhor.

Nenhum de nós gosta de se sentir frustrado, então se o caso for o contrário, pense duas vezes antes de frustrar alguém. Somos responsáveis por nossos atos e nada como a sinceridade para evitar grandes enganos.

Amigos, no cenário da vida, um momento ou outro podemos estar sem perceber, cheios de expectativas. A expectativa tem seu lado saudável, nos impulsiona, nos faz sonhar, desejamos que dê certo. Sim, e pode dar, sim, por que não?

Jovem branca sorrindo na chuva.
Jamie Brown / Unsplash

Apenas não se deixe abater no contexto das possibilidades de êxito ou não, mas faça, vá adiante, progrida e inspire outros.

Mesmo após a frustração, não deixe que nada abale você tão profundamente, deixe que o tempo te auxilie e que a semente produza.

Nada é em vão, lembremo-nos dessa verdade.

Sobre o autor

Flávia Rebouças

Minha paixão é compreender e pesquisar sobre nós, seres humanos. Acredito na visão holística, que considera o todo, nesta minha jornada. Na saúde, visão holística significa considerar todas as formas de tratamento para buscar a melhora ou cura.

Minha primeira formação, como publicitária, permitiu-me olhar as necessidades humanas como meios de vendas de produtos e serviços. Foi o início de descobertas que foram aumentadas pouco a pouco com especializações e cursos fora da publicidade.

Hoje sou psicanalista, psicopedagoga, instrutora de mindfulness, terapeuta integral e graduanda em nutrição. Anos de aprimoramento para alcançar um entendimento integral das relações entre comportamento e saúde mental e física.

Para resumir minhas atuações, utilizo uma frase minha: consciência e conhecimentos mudam histórias. E para melhor! Esse, creio ser o objetivo de todos nós, como seres em construção.

Nesse processo profissional das percepções do ser humano, foco em psique, comportamento, formas de aprendizagem e dificuldades, comunicação e expressão.

Resumindo minhas experiências, pelas capacitações, além da psicanálise, da psicopedagogia e da terapia integral:

— Mindfulness pelo IPq do HCFMUSP (Faculdade da Universidade de São Paulo);

— Reabilitação neuropsicológica em adulto e idoso — Albert Einstein;

— TAC em ambiente hospitalar, pelo IPq do HCFMUSP (Escola de Excelência);

— PENNSA – Programa especializado em neuroaprendizagem;

— Pós-graduação em nutrição neuropsiquiátrica, farmacologia aplicada à nutrição e outras.

Nossas experiências, quando acolhidas e bem interpretadas, são fontes de liberdade, em vez de obstáculos. Quando temos consciência das necessidades de mudança e rumamos em direção aos objetivos, refazemos e ressignificamos o passado, abrindo as portas para um futuro todo, que nos aguarda a qualquer tempo. Bem-vindos a este espaço!

Email: flamreboucas@gmail.com
Site: conectarecorpoemente.com.br
Instagram: @flaviamreboucas