Coaching Convivendo

Como melhorar sua comunicação: 4 sacadas incríveis!!!

Homem de perfil falando ao microfone para uma plateia.
Eliuse Silva
Escrito por Eliuse Silva
A comunicação é a base da vida em sociedade. Para se viver bem, é preciso comunicar-se bem. Entretanto as pessoas hoje vivem grandes conflitos sociais, seja com quem é próximo, seja com quem é menos íntimo, tudo em função da má comunicação que estabelecem.

Em casa, no trabalho, na escola ou faculdade, as pessoas já não conseguem se entender e sobretudo “se fazer entender”. É marido que não entende a mulher, é mãe que não entende filho, é filho que nem ouve mãe, é chefe que não ouve subordinado, é colaborador que não fala com o colega, etc.

Enfim, há uma grande falta de entendimento entre as pessoas, que resulta em má comunicação, ou melhor, em não comunicação!

Porém, mais do que nunca, o nosso modo de vida social tem solicitado relacionamentos mais harmônicos, porque estamos saturados de tantos conflitos e tantos desentendimentos.

Mulher com camiseta preta segurando um alto falante na mão e simulando uma fala.

Por isso quero convidar você a refletir: como você tem interagido com as pessoas com quem convive, seja da família ou não? Você já deu atenção a isso alguma vez? Você já tentou explicar algo e culpou a outra pessoa por não te compreender?

É preciso que você comece a dar atenção a como você se comunica, a como você interage com as pessoas e que tipo de sociedade você está construindo a partir disso. Afinal, a sociedade que temos é apenas reflexo das pequenas relações que estabelecemos.

Se queremos uma sociedade melhor, precisamos interagir melhor com as pessoas.
Se queremos uma sociedade melhor, precisamos interagir melhor com as pessoas. Ocorre que estamos continuamente explicando-nos “mal” e querendo que o outro nos entenda “bem”. Urge que mudemos nossa postura comunicativa, sobretudo porque a responsabilidade por uma mensagem mal construída é do emissor e não do receptor!

Somos nós que temos que nos fazer entender, assumindo uma postura empática. O que seria isso? Colocando-nos no lugar do outro e nos esforçando para entender o que ele sente e pensa, para daí construirmos nossa fala com base nisso, assim é mais fácil sermos entendidos.

Como você pode fazer isso? Considere as quatro sacadas abaixo:

O que dizer: é preciso avaliar se o que você quer dizer precisa de fato ser dito, para não criar nenhum conflito desnecessário ou porque a pessoa pode não estar interessada no assunto da conversa. Pensando numa empresa de telefonia que continuamente recebe reclamações, se você vai reivindicar algo, não precisa relatar com detalhes toda a história do problema que aconteceu. Basta indicar ao atendente especificamente o problema, para que a solução seja pensada por ele.

A quem dizer: é preciso considerar se o que está sendo dito é para a pessoa certa. Não adianta, por exemplo, ficar vociferando, reclamando, reivindicando coisas com o funcionário que não tem poder de decisão, que, neste caso, seria a pessoa errada. Uma reclamação deve ser dita a quem pode resolver a situação. Outro exemplo é o caso de pessoas que chegam ao ponto de ônibus e começam a falar de suas vidas para pessoas estranhas mesmo a pessoa demonstrando não ter interesse na conversa.

Homem vestido de terno virado para plateia.

Quando dizer: fique atento à hora de partilhar algo com uma certa pessoa. Às vezes você quer muito dizer algo a alguém, mas a pessoa não está em um bom momento para ouvir, por estar com algum problema ou cansada, e pode receber a notícia de uma forma menos empolgante do que se esperava. Esses problemas acontecem muito em relacionamentos íntimos. Tenha cuidado para não provocar uma briga à toa, só por não saber esperar a hora certa de falar.

Como dizer: não adianta você ficar esperando que o outro te entenda. Você deve procurar se expressar a partir da visão de mundo da outra pessoa, usando uma linguagem que seja acessível a seu interlocutor. Deve também adequar sua linguagem ao momento. Não convém usar uma linguagem formal ou técnica numa situação informal, por exemplo. Também a gentileza ou a firmeza fazem parte do “como dizer”, portanto fique atento ao que de fato você quer expressar e o faça.

Aplicando constantemente essas quatro sacadas, você garante o sucesso de sua comunicação!

Comunique-se harmonicamente. Seja um Orador Mestre!


Você também pode gostar de outros artigos do autor. Acesse: Dicas para fazer discursos sem estresse

Sobre o autor

Eliuse Silva

Eliuse Silva

Nascida e residente na Bahia, carrego a alegria de minha gente e o jeito espontâneo de se expressar. Realizo-me profissionalmente como Professora Universitária e como Coach em Comunicação Harmônica e em Oratória.

Licenciada em Letras e mestra em Linguística, sou uma apaixonada pela linguagem, pelas formas de interação e pelo contínuo desenvolvimento do ser humano, seja pessoal ou profissional. Acredito que somos seres múltiplos e inacabados, em constante transformação e potencialização.

Por isso, venho mesclando estudos relativos a autoconhecimento, autodomínio emocional e comunicação intra e interpessoal. E, dessa simbiose, nasceu o Projeto Oratória Mestra, através do qual ofereço cursos presenciais e online em Comunicação Compassiva e em Oratória Emocional, provocando a expressão autêntica e autônoma de cada participante.

Email: [email protected]
Site: oratoriamestra.com.br
Facebook: eliusesilva.oratoria
Instagram: @eliusesilva_om
YouTube: eliusesilva