Cristianismo Religiões

Como surgiu o coelho da Páscoa?

Se você é uma pessoa religiosa, sabe que o verdadeiro significado da Páscoa vai muito além do coelho e dos ovos de chocolate, de acordo com o cristianismo. Mas então de onde vieram estes símbolos? Por que nós decoramos as nossas casas com patinhas feitas de farinha?

Para compreender como surgiu o coelho da Páscoa, você vai precisar expandir a sua mente para uma origem dessa festa que você talvez não conheça. A seguir, desvende a relação entre Páscoa e paganismo para ser capaz de identificar o que um coelhinho tem a ver com esse evento.

Descubra as origens do coelho da Páscoa

Páscoa e paganismo

Ao longo da história, a Igreja Católica precisou usar estratégias para reforçar a doutrina e conquistar mais fiéis. Sendo assim, muitas celebrações pagãs foram incorporadas ao cristianismo, como uma forma de ressignificar esses eventos, associando-os à religião que deveria prevalecer sobre as outras.

E a Páscoa é um exemplo disso. Mesmo que esse evento seja cristão e esteja relacionado com a ressurreição de Cristo, os símbolos que são tão presentes nessa festa, como os ovos e o coelho, são de origem pagã.

Ou seja, o coelho da Páscoa não tem qualquer relação com o sentido cristão dessa celebração, mas é igualmente importante, quando consideramos que existem outras crenças além da católica. Sabendo disso, você já pode aprender como surgiu o coelho da Páscoa no próximo tópico.

A Deusa Ostara.
Reprodução / Wicca Daily

Como surgiu o coelho da Páscoa?

Na Europa, a mitologia anglo-saxã cultuava uma deusa chamada Ostara. Ela era um símbolo de fertilidade e de renovação tanto da natureza quanto da humanidade. Por esse motivo, Ostara era celebrada no início da primavera, que ocorre no final de março no Hemisfério Norte.

Para representar a divindade, as pessoas utilizavam a figura do coelho, que é um animal amplamente associado à fertilidade. O motivo disso é que a gestação do animal dura apenas 30 dias, gerando entre dois e nove filhotes. Logo, um coelho pode ter muitos coelhinhos ao longo do ano.

Ainda assim, você deve estar se perguntando o que a deusa Ostara e o coelho têm a ver com a Páscoa. Como dissemos anteriormente, a Igreja Católica se apropriou de algumas celebrações pagãs para que todas as crenças tivessem alguma ligação com o cristianismo.

Portanto o festival de Ostara, que ocorria em uma época semelhante à celebração da ressurreição de Cristo, foi mais um alvo desta doutrina. A Igreja incorporou os símbolos do coelho e dos ovos (que também estavam presentes no festival) ao evento cristão como uma forma de reforçar o renascimento que a época demanda.

Dois coelhos e um filhote de coelho.
KolomiyetsViktoriya de Getty Images / Canva

Você também pode gostar

Dessa forma, o coelho da Páscoa surgiu do paganismo da Europa e foi adotado por todo o mundo a partir do cristianismo. Agora você já tem uma curiosidade superinteressante para dividir com as outras pessoas nesse evento especial, junto com o chocolate e com os desejos de renovação. Aproveite!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br