Autoconhecimento

Cuidado a autoestima inflada!

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Quem costuma falar demais de si sem escutar os outros ou exalta todos os seus feitos afim de ouvir elogios, pode estar cometendo um grande erro e uma grande chatice sem perceber.

Falsa autoestima

Ao contrário daqueles que realmente se orgulham de si mesmos e daquilo que fazem, a pessoa que infla seu ego e deseja expor-se a todos provavelmente sofre de insegurança e busca por aprovação externa afim de se fortalecer.

O indivíduo que sofre de rejeição própria tenta negar tal condição por meio de elogios e exaltações que venham de outros. Entretanto, essa busca pode ser um tanto chata e constrangedora.

O incômodo

shutterstock_101952898

Claro que é importante valorizar- se, porém não é preciso fazer disto tudo público. Cria-se uma situação extremamente desconfortável quando em uma conversação apenas um dos lados fala sobre si, e ainda em tom de exaltação, impedindo qualquer crítica ou bloqueando qualquer desincentivo.

Tal atitude pode ter efeito contrário. Ao invés de se conquistar o reconhecimento e valorização alheia, obtém-se a desaprovação. Ninguém mais quer falar com aquela pessoa que só sabe contar seus casos, suas atividades, suas conquistas, como se fosse a única pessoa do mundo.

Algumas manifestações da insatisfação pessoal

Esta inflação compartilhada do ego não é a única válvula de escape para quem está com baixa autoestima.
Os caminhos consequentes da insatisfação pessoal podem ser diversos. Entre eles está também o narcisismo (excesso de amor próprio geralmente relacionado a aparência física), ou até mesmo o caminho contrário, em que a rejeição é tamanha que se interioriza o sentimento e as relações sociais são bloqueadas. O indivíduo se isola de seus grupos de convivência e normalmente desenvolve quadro depressivo.

Vamos mudar

Identificar este tipo de comportamento é muito mais fácil para aqueles que assistem de fora. Entretanto, a pessoa que sofre de baixa estima não quer nem mesmo admitir tal condição. Isto significa que é importante que possamos notar em nós mesmos algum comportamento do tipo afim de evitá-lo, e se notado em alguma companhia próxima, deve haver alerta cuidadoso com intuito de não magoar, porém orientar a atitude daquele que se exalta demais.

Mas e se for comigo?

Caso a “vitima” da inflação de ego for você mesmo, não envergonhe-se disso, simplesmente parta para a mudança. Não tenha medo de pedir ajuda para iniciar uma nova autoafirmação.

Precisamos acreditar em nós mesmo para criar uma valorização interna consistente e não fingir ou espalhar sentimentos não verdadeiros. É essencial acreditar em você, identificar e corrigir as falhas e contar com as pessoas a sua volta para reconstruir uma identidade firme e forte.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]