Autoconhecimento

De onde vêm os pensamentos?

Mulher com as mãos na cabeça e cara de dor, com várias palavras saindo de sua mente.
Paulo Tavarez
Escrito por Paulo Tavarez

De onde vêm os pensamentos? Você já se perguntou?

Os pensamentos criam uma espécie de filme em que nos esquecemos completamente que somos os espectadores e passamos a nos considerar atores do enredo. Com isso, surge a identificação com um personagem e o ego é criado.

Ele tem o poder de nos entorpecer, parece uma espécie de droga, pois a desconexão com o nosso Eu Verdadeiro – aquele que deveria permanecer sentado na poltrona – é imediata.

Os pensamentos surgem de uma fonte, isso é óbvio, pois nada surge do nada. No entanto, poucos se perguntam de onde eles vêm.

Dentro de um processo de auto investigação, as respostas surgem com clareza, pois não existem outras formas de alcançarmos essa compreensão: é preciso, de fato, olhar para dentro.

Homem pensando olhando para prédios pela janela.

Os pensamentos são criados com os combustíveis de nossas emoções.

É preciso sentir para pensar, as sensações precedem o pensar, portanto, seguindo na investigação, devemos nos perguntar o que são essas emoções e onde está a fonte.

Todos nós trazemos nas gavetas da alma um coeficiente de revolta, indignação, ódio etc. Todo esse material, de alguma forma, foi elaborado com a matéria-prima do medo e denunciam uma completa ausência de luz, como algo que a consciência ainda não alcançou. Jung chamava essa instância ilusória e vazia de Sombra.

Sabemos que em nossa sombra psíquica existe um gigantesco acervo de emoções, pois somos constantemente assaltados pela raiva, por angústias, por reações intempestivas, mas não está claro para muitos como esse material acumulou-se por lá.

Mulher pensando olhando para a janela com expressão séria.

Você também pode gostar de:

É simples, cada evento da existência, desde os mais prosaicos aos mais importantes, ficam imantados com os seus respectivos combustíveis emocionais, é justamente isso que armazenamos no inconsciente. Esses conteúdos continuam vibrando – de acordo com suas frequências – em nosso campo psíquico e são eles que produzem os pensamentos.

Quanto menos nos afetamos com a experiência vivida, menos emoções emprestamos ao processo. Portanto, o grande desafio é viver a vida com desinteresse daquilo que acontece, sem problematizar a experiência e aceitar incondicionalmente tudo.

É preciso estar claro que não importa o que lhe aconteça, o que importa é a forma como você estará qualificando esse acontecimento, pois, uma vez problematizando-o, ele ficará registrado com todos os seus componentes afetivos.

Não existe uma fonte positiva para os pensamentos, eles surgem dos nossos medos.

Portanto, pensamento positivo é um termo inadequado.

Menina pensando olhando pela janela apoiada no braço.

O medo, por sua vez, como sentimento negativo, é apenas a negação da consciência. Ninguém tem medo daquilo que sabe, entende e está consciente, nós tememos apenas o desconhecido. Portanto, a máxima “Conhecerás a Verdade e ela vos libertará” se justifica.

Viver no mundo sem ser do mundo, eis a verdadeira sabedoria. Estamos aqui, em sucessivas provações, para entendermos que o nosso lugar é na poltrona, e não no filme.


Você pode gostar de outros artigos desse autor. Confira também: Ideologia, não quero uma pra viver!

Sobre o autor

Paulo Tavarez

Paulo Tavarez

Instrutor de yoga, pedagogo, escritor, palestrante, terapeuta holístico e compositor. Toda a minha vida tem sido dedicada à construção de um mundo melhor.

Celular: (11) 94138-9580
E-mail: [email protected]
Facebook: /paulo.hanuman
Instagram: @paulo.tavarez
Site: paulotavarez.com