Educação Saúde Integral

Escreva para se lembrar (mesmo que você não leia depois)

Escreva para lembrar
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Pensa rápido! Qual foi a última vez que você segurou uma caneta e escreveu alguma coisa? Provavelmente quando você parou para escrever uma receita, não é mesmo? A hora que você marcou na Zona Azul? A ficha do médico das crianças? Nessa era de smartphones, mensagens a toda hora, e gastando metade das nossas horas online, grande parte de nós se esqueceu da nobre arte de pegar uma caneta e escrever num papel à moda antiga. O que é péssimo, pois se você quer reter informação, você precisa escrever a mão.

Como? Me diz! 

Escrever a mão realmente estimula a atividade neural de uma forma que você não consegue o mesmo efeito apenas digitando. Durante o experimento na Indiana University, crianças de uma pré escola que estavam aprendendo o alfabeto, foram divididas em dois grupos. Foi mostrado ao primeiro grupo as letras e o que elas eram, já o segundo grupo ficou com a tarefa adicional de escrever as letras. Quando as crianças foram colocadas numa “nave espacial” (máquina de ressonância magnética), o cérebro das crianças que escreveram estava super ativo. Sua atividade neural não estava somente mais realçada, como também mais similar a atividade de um cérebro adulto, o que presumimos que tenha feito os pesquisadores checarem seus níveis de colesterol enquanto estavam lá.

Escreva para lembrar

Em outras palavras, parece ser o mesmo princípio do palácio da memória mencionado anteriormente — forçar uma parte do cérebro a entrar em ação para ajudar na memorização. Nós inventamos os teclados porque digitar é uma forma mais fácil e rápida de escrever, mas esse “rápido” significa que estamos perdendo a habilidade única de escrever a mão, que é responsável por gravar informações nos nossos cérebros. Então, sabe aqueles flash cards de antes? Pegue um papel e uma caneta, e escreva tudo ao invés de imprimir no computador. Veja sua pontuação aumentar.

Um estudo de 2008 provou que isso funciona especialmente quando você está aprendendo algo que envolva fatores desconhecidos, como linguagem de computador, partituras, ou japonês. Novamente, fazer seus dedos trabalharem sobre o papel impulsiona uma parte completamente diferente do seu cérebro que é praticamente a mesma coisa de você estar se olhando no espelho, e dizendo “Lembre-se disso, caramba!”


Escrito por Amanda Magliaro da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]