Autoconhecimento Terapia Anti Abuso Emocional

Mães narcisistas e seus filhos

Criança menina sentada em um sofá, triste com a mão na boca enquanto a sua mãe olha pra ela e coloca a mão no seu ombro.
Silvia Malamud
Escrito por Silvia Malamud
Muito tem se falado sobre as mães narcisistas perversas, sobre os abusos inferidos principalmente em suas filhas e sobre os danos emocionais que estas podem levar vida afora, mas pouco ou quase nada se fala a despeito dessas mães igualmente machucadas a ponto de perderem o registro, se é que algum dia o tiveram, do que poderia ser o amor e a empatia legítimos.

Mães narcisistas

O adoecimento emocional dessas mães tem início ainda quando são bebês e é importante saber que elas não nasceram assim, mas que se fixaram dentro deste padrão de funcionamento por conta de algum histórico real e muito difícil que certamente passaram sem que tivessem a oportunidade ou condições para se organizarem psiquicamente de modo diferente. Como resultado, essas mães acabam projetando em suas crias, as variações das sensações emocionais de tais vivências traumáticas que foram mal resolvidas. A imagem é de um vento forte e frio permeando as suas infâncias, causando uma forte gripe que nunca foi devidamente tratada e muito menos curada. Muitas dessas mães, além de narcisistas perversas, ainda estão vinculadas à outros quadros patológicos dissociativos.

O adoecimento psicológico da mãe narcisista perversa revela-se no total distanciamento emocional,
 sendo que as conexões, quando ocorrem, fazem parte de um teatro muito bem elaborado que tanto as vítimas, quanto a própria família e sociedade tem dificuldade de perceber.

Embora camuflem este aspecto, o que as movem são seus intermináveis desejos de autossatisfação, o que dificulta sobremaneira a conexão real com o outro. Quando tem filhos, não conseguem ser sensíveis às suas demandas, sendo que em grande parte das vezes acabam sendo negligentes nos mais variados temas de desenvolvimento. Não há empatia e as exigências em relação aos filhos podem ser avassaladoras. Nunca demonstram estar plenamente satisfeitas e os filhos geralmente não sabem o que fizeram de errado ou o que poderiam fazer para receber um olhar de amor legítimo.

Por mais que façam para receberem aprovação e um olhar de validação dessas mães, absolutamente nada as fará saírem de dentro do que podemos chamar de “delírio sobre si mesma”, posto que estão encantadas com as suas próprias demandas. Ao contrário, quanto mais quiserem afeto, mais incomodarão e mais serão depreciadas. De nada vai importar tirar notas boas, ser boazinha, ajudar na limpeza da casa ou o que quer que seja, a regra geral é calar, aceitar e não ser vista, entendendo que quando aparece passa a ser um incômodo que deve ser destruído. As armas são críticas e invalidação das conquistas somadas aos abusos de poder que, muitas vezes, visam prejudicar as demandas saudáveis de sociabilização dos filhos. Estes aprendem a sobreviver de modo ansioso, com medo de errar e com uma autoestima de baixíssimo nível.

Mães narcisistas

A maioria das filhas de mães narcisistas perversas passam tempo demais fazendo de tudo para ganhar um olhar de afeto e de admiração que nunca acontece e em meio a essa sensação angustiosa de falta, e por conta disso, muitas partem mundo afora na mesma busca sendo as mais fáceis presas de abusadores da atualidade.

Apenas quando despertam e se dão conta da trama onde estão é que existe a real possibilidade de rumarem para mapas de vidas bastante diferentes de todo adoecimento e dor que se submeteram em nome da sobrevivência. Reprocessar e reprogramar crenças de menos valia sobre si mesmas, inaugurando o amor próprio na máxima potência e a segurança de se reconhecer naquilo que se é, será um dos inúmeros ganhos dessa conquista de lucidez. Terapia competente nessa área também serve de inquestionável benefício para que este salto na vida possa ocorrer.

Quanto mais despertos, melhor!


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Como é o status psicológico de algumas vítimas de abuso emocional?

Sobre o autor

Silvia Malamud

Silvia Malamud

- Psicologa
- Especialista em temas relacionados ao Abuso Emociona com narcisistas perversos em relacionamentos afetivos, familiares, mãe/pai filhos, escolares, sociais e de trabalho.
– Especialista em Terapia Individual, Casal e Família /Sedes
- Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
- Terapeuta Certificada em Brainspotting - David Grand/ EUA
- Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.

EMDR e Brainspotting são terapias de reprocessamento cerebral que visam libertar a pessoa do mal estar causado devido à experiências difíceis de vida, vícios, traumas, depressões, lutos e tudo o mais que é perturbador e que seja uma questão para que a pessoa queria mudar. Este processo terapêutico, por alterar ondas cerebrais viciadas num mesmo tipo de funcionamento, abre espaço para que a vida mude como um todo, de modo muito melhor, surpreendente e inimaginável anteriormente.

Mais sobre Silvia Malamud: Além de psicóloga Clínica, é também formada em Artes plásticas- Terapia Breve - Terapia de Casais e Família pelo Sedes Sapientiai. Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA e em Brainspotting David Grand/EUA. Desenvolveu-se em estudos e práticas em Xamanismo, Física Quântica, Bodymirror. Participou e se desenvolveu em metodologias de acesso direto ao inconsciente, Hipnose, Mindskape, Breakthrough e outras. Desenvolveu trabalho como psicóloga Assistente no Iasmpe, Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual, com pesquisa sobre o ambiente emocional de residentes durante o período de suas residências, de 2009 até 2013. Participou do grupo de atendimentos de casais do NAPC de 2007 à 2008. Autora dos Livros "Projeto Secreto Universos", uma visão que vai além da realidade comum e Sequestradores de Almas, sobre abuso emocional que podemos estar vivendo, sem ao menos saber, sobre como despertar e como se proteger.

· Conhecimento terapêutico: Cenários e imagens: Já presenciei diversos pacientes fazerem "viagens" às vidas anteriores, paralelas, sonhos e mesmo se reinventarem em cenas reais ocorridas ou não. Vi-os saindo do túnel do reprocessamento, totalmente mudados e transformados, inclusive em suas linhas de tempo. Para mim, fica uma pergunta de física quântica... O que acontece com a rede de memória da pessoa se a matriz do acontecimento muda totalmente não o afetando mais? A linha do tempo e todos os significados emocionais transformam-se simultaneamente. Todos os eventos difíceis que a pessoa teve em relação ao tema ao longo da vida perdem o sentido e até parece que nem existiram, embora se saiba. A pergunta que fica é: O que é o tempo quando podemos nos transformar e nos auto-superarmos nesta amplitude?

· Coexistimos em inúmeras camadas de realidades que são atemporais. Por exemplo, o seu “eu” criança pode estar existindo e atuando em você até hoje... Outros aspectos desconhecidos também podem estar, sem que você suspeite.

Silvia Malamud
Psicóloga clinica Especialista em Terapias Breves individual, casal e
família/Sedes - CRP: 06-66624
Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
Terapeuta Certificada em Brainspotting – David Grand PhD/EUA.
Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.
email.: [email protected]