Autoconhecimento

Maus hábitos: como acabar com eles em 8 dicas infalíveis

Cigarette addiction. Tobacco nicotine smoke. Unhealthy danger bad narcotic habit. White filter. Health risk cancer illness. Quit stop toxic drug. Lifestyle concept. Pack in hand
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Oodos nós temos algum hábito ruim que desejamos perder. Você sabe identificá-lo e sabe que deveria mudá-lo, mas é sempre difícil. Às vezes, até parece que não somos capazes, mas isso é completamente normal.

Uma pesquisa da Duke University, localizada no Estado americano da Carolina do Norte, mostrou que 40% de tudo o que fazemos durante um dia é composto por hábitos, não por decisões tomadas no momento. A pesquisa comprovou que passamos quase a metade de nosso dia com o “piloto automático” ligado e acabamos nem pensando na importância de todas as tarefas que executamos.

Importar-se tão pouco com aquilo que deveria receber mais atenção torna ainda mais díficil mudar todos aqueles hábitos terríveis que atrapalham nosso cotidiano e nossos planos. Portanto, se você quer obter sucesso naquilo que deseja, os estudos recentemente publicados merecem a sua atenção.

Como já sabemos, os maus hábitos influenciam muito no resultado final daquilo que queremos. A pesquisa comprovou esse fato ao mostrar que 53% das pessoas bem-sucedidas mantém bons hábitos todos os dias.

Se você sabe que precisa ter mais controle sobre sua rotina e deseja diminuir significativamente os maus hábitos, siga os oito passos abaixo. Você verá que pode ser bem mais simples do que imaginava…

1- Uma coisa de cada vez

Pelo menos uma vez, todos nós já sentimos como se nossas vidas fossem uma grande constelação de péssimos hábitos. Você chega em casa depois de uma longo dia de trabalho e tudo o que consegue pensar é que não deveria estar fazendo as coisas dessa forma. Logo depois, você já lembra que não consegue mais ir à academia e que também está acima do peso… É sempre um mau hábito atrás de outro e você sente que precisa resolver tudo o mais rápido possível.

Mas tenha em mente a primeira dica: foque em corrigir um problema de cada vez. Mantenha sua atenção em cada mau hábito individualmente; assim, você terá mais tempo para se acostumar com as mudanças e não será tão difícil adaptar-se a cada uma delas. Evitar a frustração logo no começo da tentativa é importantíssimo para que você consiga se libertar dos maus hábitos.

Portanto, não tente mudar sua vida de uma hora para outra. Foque em uma melhoria que você pretende fazer em sua vida, alcance o resultado e, depois de um tempo de descanso, escolha mais um hábito a ser mudado.

Muito bem. Agora que você já escolheu o primeiro passo a dar, qual é a maneira mais fácil de começar?

2- Mantenha o foco nos números

Alguns hábitos são mais difíceis de serem mudados. Todos nós temos nossas fraquezas e dificuldades. Talvez, só precisemos mudar um pouco nossa perspectiva para que as mudanças comecem a acontecer.

Se o seu problema é o cigarro, por exemplo, não tente parar de fumar de um dia para outro. Por que não começar tentando fumar, pelo menos, um cigarro a menos que ontem? E se isso ainda não acontecer, pelo menos você não fumou um a mais que no dia anterior. Para estes casos, inclusive, um estudo do especialista em comportamento Howard Rachlin já mostrou que apenas a preocupação em fumar a mesma quantidade de cigarros por dia pode ajudar a diminuir o total de unidades antes de dormir.

Portanto, comece a prestar atenção nos números. Para quem deseja emagrecer, que tal começar a checar o total de calorias de tudo o que consome? Essa técnica também foi provada: os estudos de Howard Rachlin mostraram que quem conta as calorias pode emagrecer mais do que as pessoas que se exercitam.

Esses pequenos – mas importantíssimos – esforços para manter o autocontrole provavelmente te levarão a diminuir e controlar seus maus hábitos, nem que seja de forma inconsciente. Você não precisa se desafiar e mudar completamente de um dia para o outro, basta focar nos números de cada mau hábito e tentar, ao menos, não piorá-los.

hábitos

3- Não mude o que você faz, mude a situação

Todos os dias, antes de dormir, eu faço o download do Instagram e logo em seguida o excluo. Eu tenho um problema, certo? Não. Na verdade, está só é a maneira que encontrei de checar meu feed apenas uma vez por dia.

Quando saio para fazer as tarefas importantes do meu dia, o aplicativo não está mais lá para que eu caia na tentação de perder horas checando as fotos alheias. E esse é meu grande segredo para acabar com este mau hábito.

Como você pode ver, eu não mudei o sentimento dentro de mim, apenas acabei com a tentação de me distrair e mudei completamente o contexto deste problema. Nós nos apegamos a maus hábitos, pois o cotidiano é cheio de oportunidades para que eles se proliferam. Dar um fim a essa realidade é uma ótima forma de acabar com os hábitos que fazem mal.

Certifique-se, então, de acabar com a tentação. O autor Shawn Achor dá uma dica valiosa para estes casos: “a regra dos vinte segundos”. Segundo ele, se você espera por vinte segundos antes de praticar um hábito ruim, as chances de prosseguir com ele são bem menores.

4- Vá com calma

Você não precisa se pressionar e cobrar demais de si mesmo para eliminar os maus hábitos. Na realidade, os neurocientistas recomendam exatamente o oposto. Já parou para pensar qual é o principal motivo que te leva a manter os maus hábitos? Na grande maioria das vezes, a resposta para esta pergunta é o estresse.

O neurocientista Alex Korb, da UCLA, afirma que manter-se relaxado e tranquilo ajuda seu cérebro a tomar as melhores decisões. Isso acontece porque o estresse acaba aumentando o funcionamento do córtex pré-frontal, responsável pelos impulsos e pelos hábitos rotineiros. Portanto, não seja tão duro consigo mesmo. Mantenha-se tranquilo e saiba que, aos poucos, você certamente conseguirá acabar com os hábitos que te incomodam.

5- Não elimine os maus hábitos, tente substituí-los

Quando algo que fazemos nos incomoda, é muito comum nos pegarmos dizendo coisas como “nunca mais farei isso de novo”, certo? Ironicamente, alguns estudos mostraram que isso pode causar exatamente o efeito contrário.

O escritor Charles Duggin, autor de “O Poder do Hábito”, afirma que não é possível eliminarmos completamente nossos maus hábitos, mas é possível lidarmos com a situação se substituirmos esses hábitos.

Ele exemplifica da seguinte forma: quando você sente uma vontade muito forte de comer um donut (sobremesa típica dos EUA), que tal colocar na boca algum outro doce, com menos açúcar? É uma ótima forma de substituir um mau hábito por um mais saudável e, mesmo assim, dar ao seu corpo a “recompensa” que ele quer.

O que vale lembrar aqui é que será muito mais difícil acabar com um mau hábito do que criar uma rotina diferente e que te faça bem. Substituir é uma forma bem mais eficaz de mudar aqueles comportamentos ruins e criar novos costumes. O segredo dessa dica é encontrar maneiras mais benéficas de conquistar os mesmos (ou semelhantes) prazeres que buscamos.

6- Ação e reação

Tenho certeza de que você sabe exatamente quais os momentos em que estará mais suscetível a cometer deslizes e repetir os maus hábitos. Todos nós somos capazes de identificar quais são os momentos ou situações que nos induzem e nos propiciam a repetir os comportamentos que não gostamos. Sendo assim, um plano bastante simples pode te fazer resistir às grandes e prazerosas tentações.

Quando você normalmente repete seus maus hábitos? No meu caso, sempre que eu me sento no sofá, perco horas na internet. Agora, tente mudar essa frase com duas palavras simples: “se” e “vou”: se eu me sentar no sofá, vou pegar um livro para ler. São apenas duas palavras, mas que podem causar um grande impacto em nossa rotina.

Quando usamos essa dica para planejar nossas ações e as reações que elas causarão, despertamos um poderosíssimo desejo de alcançar nosso objetivo. Segundo Heidi Grant Halvorson, autor do livro “Nove coisas que as pessoas de sucesso fazem de forma diferente”, centenas de estudos já comprovaram que decidir com antecedência quando e como vamos realizar algumas ações é a forma mais eficaz de controlarmos e mudarmos nossas reações.

7- Perdoe seus erros

É completamente normal que, mesmo que façamos de tudo para acabar com os maus hábitos, ainda assim aconteça alguma recaída.
Se isso ocorrer com você, não se preocupe. É absolutamente normal e acontece com todo mundo. Num estudo feito por Richard Wiseman sobre as pessoas que alcançaram seus objetivos, ficou evidenciado que os bem-sucedidos aprenderam a lidar com as falhas como um problema temporário, que jamais deve ser responsável pelo abandono de um projeto.

Portanto, se você decide que não vai mais comer chocolates, mas acidentalmente come um pedaço depois do almoço, não é o fim do mundo – e muito menos da dieta. Sua dieta só estará destruída se você comer o que não deveria e desistir de continuar tentando.

Então, para que seus planos deem certo é preciso perdoar seus próprios erros. Você pode errar, pois isso é normal, mas não se esqueça de se perdoar e seguir em frente. Fazer a coisa certa pode levar algum tempo. Aguente firme e saiba lidar com suas limitações.  

8- Conviva com as boas influências

Esta é a última e, talvez, a mais simples dica que podemos te dar. Você lembra de quando era criança e sua mãe não gostava de te ver por perto das “más influências”? A lógica aqui é mais ou menos a mesma e deve ser usada estrategicamente a seu favor.

Quando você se rodeia de pessoas que são exatamente aquilo que você gostaria de ser, fica muito mais fácil seguir o exemplo e reunir coragem e determinação para substituir aqueles velhos e maus hábitos que você mantém.

Muito bem! Agora que você já sabe as oito dicas infalíveis para acabar com os maus hábitos, comece a correr atrás daquilo que deseja. E sempre tenha em mente o resumo breve destes ótimos truques para o sucesso:

  • Uma coisa de cada vez – foque em acabar com um mau hábito por mês. No final do ano, você já terá completado uma lista de 12 manias ruins.
  • Mantenha o foco nos números – Só o fato de você começar a prestar atenção nos valores e quantidade de vezes que toma decisões que não deveria já pode te ajudar a diminuí-los, mesmo que seja de forma inconsciente.
  • Não mude o que você faz, mude a situação – Todos nós acabamos nos apegando aos maus hábitos por conta do contexto em que estamos inseridos. Tente mudá-lo; assim, tomar a atitude certa ficará ainda mais fácil.
  • Vá com calma – Manter-se sob pressão pode ser bastante prejudicial para o fim dos maus costumes. Relaxe e tente manter a calma, pois essas mudanças já podem ser bastante estressantes por natureza.
  • Não elimine os maus hábitos, tente substituí-los – Você terá chances bem melhores de acabar com seus maus hábitos se aprender a substituí-los de forma correta. Crie costumes mais saudáveis, mas que preencham suas necessidades.
  • Ação e reação – Decida com antecedência quais serão suas ações e como você pretende reagir a elas. Esse plano de ação facilitará bastante sua vida.  
  • Perdoe seus erros – Você vai cometer alguns deslizes de vez em quando, mas precisa entender que isso é completamente normal. O importante é perdoar essas falhas e continuar batalhando pelas mudanças que deseja fazer.
  • Conviva com as boas influências – Cerque-se daqueles que são como você gostaria de ser. Conviva com quem toma as atitudes que você deveria tomar e, certamente, você será influenciado por essas pessoas.

Texto escrito por Laís Mori da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]