Convivendo Saúde Integral

Novembro Roxo: Idade Cronológica x Corrigida

relógio de bolso antigo
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Quando falamos em bebês prematuros, deparamos com os termos “idade cronológica” e “idade corrigida”, mas muitos não sabem o que elas significam. Por isso, vamos explicá-las: Idade cronológica é a idade real que o bebê tem, ou seja, o tempo de vida dele após o nascimento.

Já a Idade corrigida é a idade ajustada ao grau da prematuridade, ou seja, quantos meses o bebê teria se tivesse nascido depois de 40 semanas.

Por que usar a idade corrigida?

Uma vez que o bebê nasceu com antecedência, não podemos cobrar dele o mesmo ritmo de desenvolvimento de um bebê que nasceu em tempo normal. Logo, o prematuro irá demorar mais para sentar, engatinhar, falar ou andar.

Afinal, os bebês prematuros são “mais novos” do que a sua idade real mostra.

Além disso, vale ressaltar que o prematuro é submetido a várias situações adversas ainda na UTI, o que pode influenciar também o seu padrão de crescimento.

prematuros

Por isso, ao utilizar a idade corrigida, avaliamos de maneira mais adequada o desenvolvimento físico, mental e comportamental do bebê.

Normalmente as diferenças no desenvolvimento tendem a desaparecer durante os três primeiros anos de vida,
 mas alguns bebês podem apresentar isso a longo prazo. Por isso, é importante manter o acompanhamento com o pediatra.

Até quando devo utilizar a idade corrigida?

Boa parte dos autores recomenda utilizar a idade corrigida até os 2 anos de idade, pois assim os pais podem ter uma expectativa realista, sem cobrar demais do bebê diante dos padrões de referência.

Para os prematuros nascidos com menos de 1 kg e com menos de 28 semanas, porém, recomenda-se utilizar a idade corrigida até os 3 anos.

Fonte: prematuridade.com

Você também pode gostar de outros artigos do autor:  Disciplina Positiva – Entre o Autoritarismo e a Permissividade

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]