Convivendo

O celebrar do Carnaval

Cenas de carnaval de samba com grupo de percussão.
LuisFernandes / Pexels
Bruna OM
Escrito por Bruna OM

O Carnaval está vetado de fato, no entanto ele ainda existe nos calendários, uma data em que Eros e Tânatos celebram a carne, um momento de liberdade de expressão.

Dando continuidade ao era uma vez o Carnaval, sem muitas utopias agora, como podemos dar vida ainda esse ano e na mesma data a esse evento?

Diante de uma sociedade machista sem escrúpulos, as mulheres têm sido acorrentadas e sufocadas há séculos sob esse tipo de energia. A sexualidade sagrada imposta de uma forma masculina, em que homens tem relações inúmeras e continuam sendo bem vistos pela sociedade e as mulheres tachadas de apelidos esdrúxulos .

Vejamos, uma conscientização de direitos iguais sobre a sexualidade é um tema para esse tipo de data e realidade, na qual quem tenha a oportunidade e que o destino entregue esse texto, possa refletir sobre a sua sexualidade e a dos seres ao seu redor .

Quatro mulheres fantasiadas pulando Carnaval.
MathieuAcker / Pexels

Que tipo de julgamento ou prejulgamento você já teve diante das pessoas ao seu redor, só o que acha, ou o que acha que poderia achar sobre elas e suas relações .

Como se nessa data pudéssemos ter o aval e desfrutar, mas sob as ordens de Deus o que é certo e errado? Quem somos nós para julgar?

A sexualidade feminina continua muito reprimida e agora na nova era, momento de transformação, poderíamos começar com o não julgamento, observar e não julgar qualquer situação ao nosso redor.

Poderiam as mulheres se libertar das amarras dos rótulos dos tempos, de pessoas que criaram histórias e viver mais a essência do ser e da natureza. Todos têm direito de ser livres e com expressão e dignidade sexual.

Três mulheres fantasiadas curtindo o Carnaval.
WendyWei / Pexels

Mulheres se amarram em casamentos falidos por sexo barato, e inglórias trocas, com medo de sua reputação, com medo de não encontrarem alguém.

Muitas nem sabem o que é ser mulher, mesmo estando há muito tempo ao lado de um homem.

No começo era o paraíso, todos nus e livres, como a sexualidade, como a natureza. A transição planetária nos permite viver essa natureza, recordar quem nós somos, sem malícia e sem maldade, apenas um amadurecer da carne, esse momento em que passamos, esse momento em que somos.

Você também pode gostar

Somos muito mais além, muitos outros, o celebrar da carne hoje é um convite à liberdade, um convite à presença e à lembrança de quem nós somos .

Podemos escutar sim e celebrar onde estivermos o som de nossos corações, que marca a presença aqui na Terra. Que o som de vossos corações emane luz, paz, significado e propósito.

Que o celebrar da carne possa ser um momento de expansão e conexão com todos os seres, assim como as máscaras, que venham novas faces e entenderes. A informação está aqui para todos nós, basta acessar e celebrar a existência que é agora.

Sobre o autor

Bruna OM

Bruna OM

Comecei minha carreira criando uma aproximação com as pessoas e suas diversas etnias e culturas. A hotelaria me possibilitou descobrir o universo de servir com paixão e isso realmente faz muito sentido até hoje.

Em uma busca mais profunda dessa conexão com as pessoas, encontrei a naturopatia, que fez com que esse contato tomasse vida, então descobri um universo em cada ser.

Olhando por essa perspectiva, ter um leque de opções ao encarar um ser humano que te procura para um tratamento faz muito sentido, visto que se trata de um ser único e especial. Com o mesmo intuito, sim, de harmonizar o corpo em si, porém essa harmonia vem de uma forma diferente de ser para ser, e esse é nosso trabalho.

Sigo pela experiência acadêmica e profissional e também na linha científica com algumas pesquisas no âmbito quântico em minhas práticas e vivências também. Estudei e estudo música e metafísica, emergi pelas medicinas da floresta por três anos, tempo em que obtive uma cura profunda física – hoje sou mãe, coisa que a medicina alopática disse que nunca seria – e muitas outras curas emocionais com outras técnicas também.

Acupuntura, massoterapia, aromaterapia, meditação, kundaline yoga, campo eletromagnético, cura ancestral de Ísis, homeopatia, florais, plantas medicinais, musicoterapia, cultivo e plantio e arte lúdica são algumas das possibilidades ao entrar em comunhão com um ser que vem até mim.

Fico muito grata em poder compartilhar minha vida, meus experimentos, e por meio da escrita isso se potencializa sem fim, de fato nos eterniza, em uma oportunidade.

Somos hóspedes deste corpo e deste mundo, e o que nos resta é nos exaltar, evoluir sem fim, para novas perspectivas e horizontes. Temos ferramentas que nos facilitam acelerar esse processo para que possamos ser tudo o que viemos para ser e sentir a plenitude e a conexão com o todo.

Email: [email protected]
Páginas: Casinha na Árvore III
l União Pangeia
Facebook: bruna.sol.7
Instagram: @entrebm