Espiritualidade Sem categoria

O que acontece com os criminosos segundo o espiritismo?

Homem com moletom de capuz virado de costas.
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
As religiões, apesar de em sua maioria serem muito diferentes entre si, buscam responder a questões sobre a vida, que assombram a sociedade desde que os seres humanos começaram a pensar, por assim dizer.

E é por meio delas que muitas mentes inquietas encontram um refúgio para aquilo que a ciência não consegue explicar. De acordo com a religião espírita, independentemente de suas vertentes, existem razões para tudo que acontece de bom ou de ruim, o que nos leva a refletir sobre o livre-arbítrio e sobre o que acontece com pessoas que decidem fazer o mal, como os criminosos.

O espiritismo considera que o livre-arbítrio dá a liberdade para que cada um escreva sua própria história e futuro, determinando o caminho de vida por meio de ações e pensamentos. Sendo nós mesmos os responsáveis por todos os nossos atos, depende somente de nós escolher qual caminho seguir – o caminho do bem ou o caminho do mal.

Homem presidiário sentado.

De acordo com as suas escolhas, o indivíduo tem experiências diferentes e, em consequência, conhecimentos diferentes, que o farão evoluir espiritualmente ou não, contudo a influência dos chamados paradigmas da cultura, da inteligência e da contingência pode dificultar o exercício pleno do livre-arbítrio. Sendo assim, por meio dessa religião entende-se que o espírito é imortal e reencarna no plano “material” para ter suas novas experiências de vida com o único objetivo de evoluir.Mas o que acontece com quem, de acordo com seu livre-arbítrio ou por influências externas, decide seguir uma vida criminosa? Para onde essas pessoas vão e quais são as consequências de seus atos em vida e após a vida? Cada religião tem seus próprios critérios e maneiras de tratar pessoas que cometem crimes contra outros seres humanos.

Você também pode gostar de:

E na religião espírita, conforme o que foi falado anteriormente sobre o objetivo de evolução espiritual, o destino dos criminosos no âmbito de luz e no plano espiritual será regredir na escala da progressão espiritual, devido a seus atos maliciosos e de baixa moralidade, fazendo com que sejam necessárias “mais vidas terrenas” para pagar todos os seus pecados.

Enquanto não passam para o plano espiritual, os criminosos que ainda estão na Terra podem sofrer dois tipos de maldições: uma a curto prazo e outra a longo. A de curto prazo nada mais é do que a prisão. Então, segundo o espiritismo, a prisão e o descobrimento ou o flagra são o resultado contra as ações dessa pessoa em vida terrena.

Mãos femininas juntas.

A maldição a longo prazo é dura e requer do ladrão um sentimento extremo de egoísmo, pois, através do espiritismo genealógico, a maldição é passada para as próximas gerações em desgraças e crises, fazendo com que os filhos e os netos desses criminosos sejam pessoas piores que os seus pais. Esses filhos, por sua vez, também podem entrar nessa corrente tenebrosa e repassarem à geração posterior toda a desgraça herdada pelos pais. Essa praga, difundida de geração a geração, é uma das piores, segundo o espiritismo.

O espiritismo condena atos como tirar a vida daquele que cometeu erros graves perante a sociedade, no caso, do criminoso, ou amaldiçoá-lo com discursos de ódio, pois isso não lhe faz progredir. São conhecidos, inclusive na conduta cristã, a busca pela compreensão e o perdão a essas pessoas, ou pelo menos a tentativa. De acordo com a religião, cada caso será tratado espiritualmente de uma maneira, ou seja, cada ladrão terá o seu destino de acordo com a sua mente, razão e corpo espirituais.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]