Saúde Integral

Paixão e esgotamento no esporte A Síndrome de Burnout

Mulher cansada após correr
João Hollanda
Escrito por João Hollanda

Não são raros os atletas que, de uma hora para outra, apresentam piora súbita de resultados sem uma explicação lógica ou uma lesão que justifique aquela piora. Um dos principais fatores associados a essas pioras é a exaustão física e mental característica da síndrome de burnout, recentemente incluída pela OMS na Classificação Internacional de Doenças (CID 11). A exaustão advinda do excesso de demanda de energia, força ou recursos internos é um estado especial de estresse que acontece em muitas profissões, mas os atletas, em especial, são extremamente propensos a desenvolver o problema.

Vejamos aqui o que é o burnout, como identificar e como ele afeta os atletas.

Síndrome de burnout é o termo usado para descrever o estado de exaustão extrema relacionado ao trabalho, que afeta a saúde física e emocional da pessoa. É o que o próprio termo em inglês indica: “burn out” é a chama que vai se apagando até que a energia desapareça por completo.

Os atletas vivem uma rotina completamente dedicada aos treinos e às competições, então raramente têm um fim de semana livre para curtir ao lado da família. Eles estão constantemente concentrados com os clubes e passam grande parte do tempo em hotéis, fora de casa. Esportes como o tênis, surfe ou automobilismo, em que as viagens longas são uma constante, os efeitos da mudança entre dia e noite, conhecidos como jet lag, também aumentam o estresse mental.

Mulher se sentindo cansada com a mão no rosto
123RF

Por outro lado, atletas são cobrados como ninguém pelo resultado do trabalho: pelo clube, pela família, pela imprensa, pelos torcedores e por eles mesmos. Mais do que resultados, são também cobrados em relação ao comportamento dentro e fora de campo, porque a imprensa e a população em geral estarão sempre prontas para registrar e criticar qualquer desvio de conduta. Quando ameaçam reduzir um pouco o ritmo, vêem seus adversários ganharem espaço, então os resultados pioram.

É importante, porém, esclarecer que nem todo estresse, cansaço ou fadiga advindos do trabalho são indicadores da síndrome de burnout. O burnout envolve principalmente uma perda no interesse pelo esporte e a vontade de distanciamento de tudo o que está relacionado a ele, ainda que nem sempre o atleta seja capaz de reconhecer para si mesmo que perdeu o interesse por aquilo que tanto ama.

Os principais sintomas do burnout no atleta são:

Homem cansado no meio da rua
123RF

– Sentimento de estar sobrecarregado, incluindo fadiga, falta de energia, dores musculares e osteomusculares, distúrbios do sono, cefaleias e enxaquecas.

– Sensação ou vontade de distanciamento de tudo o que diz respeito ao esporte, como também falta de atenção e concentração, além de mudanças bruscas de humor e desânimo.

– Sentimento de incompetência, falta de produtividade, irritabilidade, agressividade e dificuldade de relaxar.

O burnout acomete tanto atletas profissionais quanto recreativos e é, inclusive, bastante comum entre crianças que dividem o tempo entre uma rotina esportiva exaustiva e os compromissos escolares, com uma carga de cobrança que muitas vezes é mal tolerada em idade tão jovem. Frente a quaisquer sinais descritos acima, é importante que se busque a ajuda de profissionais, para que sejam feitos os ajustes necessários.

Você também pode gostar

Dr. João Hollanda

O Dr. João Hollanda é médico ortopedista especialista em joelho e em lesões no esporte. Trabalha atualmente como médico da seleção brasileira de futebol feminino.

Sobre o autor

João Hollanda

João Hollanda

Médico ortopedista pela Santa Casa de São Paulo.
Especialista em cirurgia do joelho.
Médico da seleção brasileira de futebol feminino.