Autoconhecimento

Pra qual direção você aponta o seu olhar?

Zil Camargo
Escrito por Zil Camargo
Dois grandes eventos deveriam chamar nossa atenção mais que qualquer outra coisa no mundo: o primeiro é o início da vida, e o segundo é o fim dela na esfera terrena.

Entre esses dois mistérios, estão todos os acontecimentos para os quais damos maior relevância, dedicamos nossos esforços, pensamentos e até sacrifícios. No entanto, enquanto nosso olhar está apontado para um minúsculo universo pessoal, nos é dada a vida.

E quando falo dessa vida, estou mencionando as flores, as árvores, a grama, o trigo e todos os outros grãos e plantações. Incluo a água, o ar, os animais, o sol, a lua e as estrelas; incluo tudo que pulsa e vive na mesma célula divina na qual estamos inseridos.

Manter um espírito perseverante, uma boa perspectiva, pensamentos e ações positivas vai valer o esforço e o resultado virá.

Cada uma delas é um presente miraculoso que raramente recebe a devida atenção e apreciação. Se observarmos por um momento, não será difícil perceber todas as coisas fantásticas da vida que não podem ser compradas ou fabricadas e, para isso, devemos direcionar nosso olhar com gratidão.

É sabido que a gratidão é um dos sentimentos mais poderosos do mundo, que age não somente no nosso bem-estar emocional, como, através disso, processa as sinapses necessárias para a transformação química em nosso organismo.

Podemos melhorar nossa saúde, aumentar a longevidade, ser capazes de adquirir e criar coisas que tornem nossa vida melhor somente por desenvolver nossa capacidade de gratidão.

Ainda que vivamos num momento em que o mundo todo parece perturbado, que pensamentos destruidores nos rodeiem e que hajam recursos mal distribuídos. Que haja ansiedade a respeito daquilo que pensamos precisar é urgente uma apreciação mais profunda do que temos tido e daquilo que ainda desfrutamos.

Lembremo-nos de ser gratos pela vida e por tudo o que vive, e saibamos expressar esse agradecimento com uma palavra gentil, um sorriso amável e sincero. Gestos simples que só são possíveis porque estamos nesse intervalo singular que é a chegada e a partida.

Fazer os outros sentirem que somos muito felizes porque temos vida, que desejamos que eles sejam felizes também, ajudar outras pessoas a encontrar a solução para seus problemas ou a detectar as coisas que as tornam infelizes também são formas de expressarmos gratidão.

Nessa maior apreciação da vida, estaríamos menos dispostos a destruí-la, a maltratá-la ou a torná-la mais triste para nós e para os outros, porque nosso olhar estaria apontado na direção do que temos e não do que nos falta. Nosso olhar estaria em comunhão e harmonia com a centelha de amor que reside em cada um de nós.

E como treinar esse olhar, quando os enfrentamentos cotidianos nos fazem ter a sensação de que estamos mais perdendo do que ganhando?

Ao experimentar a perda, a frustração e, até mesmo, o trauma, nos sentimos especialmente surpreendidos e alvos fáceis dos pensamentos negativos.

A vida não te deve nada. Nem sempre coisas boas acontecem. Doenças, aflições e, até mesmo, a morte de pessoas inocentes, são, infelizmente, parte da vida e a reflexão que isso nos traz não deve ser de que a vida é injusta, mas sim que podemos seguir em frente, apesar das situações adversas.

Não condicione sua felicidade. Não se prenda a pensamentos como “Quando isso acontecer, só então serei feliz”. Tente adaptar-se ao que acontece ao invés de tentar mudar o que não pode ser mudado, desta maneira, terá mais tempo e energia para dedicar à você.

Liberte-se da amargura e do rancor. Você pode até cultivar esses sentimentos, mas tenha certeza de que não sobrará muito espaço para a gratidão. Perdoe-se e trabalhe o perdão para aquele que, de alguma maneira, te feriu.

Ser flexível é primordial. Pessoas que pensam de forma flexível estão em vantagem na vida, já que a flexibilidade é a chave para o crescimento e a sabedoria. Por isso, não tenha medo de abrir mão de uma forma de pensar ou agir por uma possibilidade melhor.

Ainda que momentos difíceis nos desafiem e nos desencorajem, manter esse espírito perseverante, uma boa perspectiva, pensamentos e ações positivas vai valer o esforço e o resultado virá.

E se você não conseguir sozinho, não sinta vergonha de buscar ajuda com um apoio espiritual, um auxílio profissional ou um bom ombro amigo, pois tudo está à sua disposição e ao alcance da direção pra onde você aponta seu olhar.

Sobre o autor

Zil Camargo

Zil Camargo

Na diversidade de cada ser, é injusto com a vida, neste mar de experiência que ela concede, tentar nos definir assim, com meras palavras.

Mas dentro de mim mora alguém inspirada, sensível, às vezes curta ou grossa, ora dramática, ora objetiva.

Mãe, artesã, escritora amadora; consultora para ganhar a vida e interessada no comportamento humano.

Estudiosa de assuntos relacionados à psicanálise, filosofia e espiritualidade; uma aprendiz procurando desenvolver oportunidades em busca do bem viver.

Contato: [email protected]