Convivendo

Primeira escola 100% sustentável no Uruguai

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A escassez de água e a poluição são frutos da irresponsabilidade humana e trazem graves consequências. Com este cenário cabe ensinar conceitos de sustentabilidade às crianças desde cedo para que elas vivam em um mundo melhor. Seria ótimo se elas aprendessem isso na escola, não é? Mas, isso não é um sonho distante. Descobrimos uma escola 100% sustentável no Uruguai e vamos contar tudo para vocês.

[block]0[/block]Jaureguiberry

Este é o nome da primeira escola 100% sustentável no Uruguai. Ela atenderá 100 alunos anualmente e eles terão pleno convívio com a natureza.

O prédio de 270 m2 foi projetado pelo arquiteto Michael Reynolds que criou há 45 anos a Earthship, empresa especializada em prédios sustentáveis de baixo custo. Foram usados na construção 2 mil pneus, 5 mil garrafas de vidro, 2 mil metros quadrados de papelão e 8 mil latas de alumínio. A obra durou 7 semanas e teve a colaboração de 200 voluntários uruguaios e estrangeiros.

A Jaureguiberry tem hortas de alimentos orgânicos, moinhos de vento para gerar energia e placas de energia solar. Outro ponto relevante é que 60% de tudo que é usado na escola passa por processo de reciclagem.

A comunidade também aproveitará o espaço, pois a escola oferecerá cursos sobre inovação e sustentabilidade.

[block]1[/block]Escola Estadual Erich Walter Heine

A primeira escola sustentável do Brasil foi inaugurada em 2011 no Rio de Janeiro. A instituição é a primeira certificada pela LEED Schools (Leadership in Energy and Environmental Design), do Green Building Council na América Latina. Além da Erich Walter Heine, 118 escolas americanas e instituições na Noruega e em Bali possuem tal reconhecimento. Veja quais os critérios deram a escola estadual Erich Walter Heine o título de escola sustentável:

  • Estudo do solo antes da construção e aproveitamento da permeabilidade do local
  • Método de construção pensado para melhorar a circulação de ar
  • Tratamento acústico nas salas de aula e corredores
  • Reaproveitamento do entulho
  • Acessibilidade
  • Bicicletário
  • Vagas de estacionamento para carros menos poluentes
  • Depósito para lixo e coleta seletiva
  • Sistema para captação de água
  • Telhado verde para escoar água pluvial, reduzir a temperatura e purificar o ar
  • Iluminação com lâmpadas LED que representam 80% de economia
  • Painéis solares para produção de energia limpa

Adoramos essa ideia de escola sustentável. E você? Vamos discutir a respeito dela?


Texto escrito por Sumaia de Santana Salgado da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]