Convivendo

Quando se vir por aí…

Patricia Tolezano
Escrito por Patricia Tolezano

Não tenha medo. Vai passar! Seja lá o que esteja acontecendo, isto vai passar. Estas frases costumam nortear qualquer texto de autoajuda. O que ninguém te explica detalhadamente é que você é o responsável por fazer isto passar, seja assumindo novas atitudes, posturas, olhando uma outra abordagem, ou mesmo abandonando o que você perseguia e não conseguia.  

Family walk on the beach at sunset

São muitos os caminhos para a mudança do cenário, mas nenhum está fora. Estão todos dentro de você, esperando por seus pés ávidos a percorrê-los. Talvez, você consiga sozinho, com um livro, oração, meditação ou inspiração. Talvez, precise de ajuda. Mas, também está em você procurar esta ajuda, seja ouvindo alguém social ou profissionalmente, seja através de um desconhecido. Você só tem que estar com ouvidos de sentir. Está em você discernir quando é tempo de reclusão e inclusão.

Não há técnica que resista à persistência de não nos conhecermos e aceitarmos. Não há profissional milagroso que conserte o equipamento sem ligá-lo; não há receita que funcione sem as mãos que misturam os ingredientes; não há resultado sem produto, não há mudança se o objeto em questão não quer.

Então, o segredo está em querer… Muitos autores dizem isto. Mas, será mesmo que os deprimidos não querem sair da depressão? Será que os compulsivos querem viver a exagerar? Será que todos não queremos ser ricos e felizes? Será? Sei lá! A verdade é que querer não é sinônimo de sonhar, mas sim de intencionar, que por sua vez significa planejar. Então, querer tem que ser entendido aqui como gesto, não apenas pensamento.

O pensamento guia, mas são as ações que nos impulsionam.

Agimos segundo nossos pensamentos. Então, que eles sejam puros. Puros de rancor, de indiferença, de ira, de inveja, de orgulho, de autopiedade, de tudo o que o nosso ego nos faz acreditar que seja importante ter. Ah, mas eu não sei ver isto. Então, pergunte a si: eu acho isto legal? Se a resposta for não, afirme: Então, não quero pensar! E, se pensar, pense algo bom no sentido contrário. Assim, esta imagem vai se apagando. Isto é tencionar, planejar, agir, e, finalmente, mudar!

Mas, dói! Cansa! Claro, quando você muda um móvel de lugar, dói seus braços e seu corpo cansa. Quando você muda pensamentos, dói corpo, mente, dói lugares e coisas que você nem conhecia! Mas, é bom doer… isto significa – como no caso dos músculos – que estes lugares em você precisam ser movimentados. Muitas vezes numa mudança de casa, você joga móveis e utensílios fora; outros, você muda a cor, coloca em outro cômodo. Assim, também é com pensamentos: alguns merecem o lixo; outros, a reciclagem da ressignificação.

Ah, mas eu só queria ficar aqui quietinha, esperando isto passar. Num toque de mágica? Não há mágica no desafio de viver, não há mágica na mudança, não há mágica no mundo. E, mesmo assim, o mundo é mágico, respirar, então! Puxe o ar e sinta como todo o seu corpo reage. Faça isto quantas vezes forem necessárias até perceber a brisa interna. A pessoa que você gostaria de ser está aí, puxando este ar, pronta para acontecer. Então, olhe-se no espelho da vida, encontre-a, sorria para ela, faça as pazes com ela, dê espaço a ela, ajude-a a sair do sonho e viver na real. Você só precisa ver que você é esta pessoa. Portanto, quando se vir por aí, sorria, porque, na real, a mágica está em viver!

Sobre o autor

Patricia Tolezano

Patricia Tolezano

Sou jornalista de formação, marketeira de opinião, analista esportiva de supetão e escritora de coração.

Se tivesse que me definir em uma única palavra, esta seria adaptação. Mas gosto mesmo é de escrever. Sou uma pessoa e escritora em construção. A partir de agora, vocês conhecerão um pouco do mundo à minha volta.

Viva sem culpa, ame sem medo. E, na dúvida, tente sempre! Para mim, isto é ser feliz.

Contatos:

Site: patriciatolezano.com.br
Facebook: /Patricia Tolezano
Twitter: @PatTolezano
Instagram: @patriciatolezano