Autoconhecimento

Quando você muda o mundo muda

Mulher com "asas" de borboleta em frente ao mar no pôr-do-sol.
Paulo Tavarez
Escrito por Paulo Tavarez

Aquele que procura ajuda, quase sempre, está em busca de palavras confortáveis, pois elas chegam como um afago, neutralizando as angústias provocadas por toda a desorientação da alma. Ele não quer mudar, não quer desconstruir os padrões que sempre o guiaram, por isso, não vai aceitar um discurso contrário.

Ele quer ser ajudado, desde que possa ouvir as suas próprias opiniões na boca do outro. Desta forma, quem cruzar o seu caminho com palavras que o enalteçam, que estejam de acordo com os seus pontos de vista, será bem-vindo, no entanto, aquele que, de alguma forma, aconselhá-lo a qualquer tipo de mudança, será tratado com repulsa.

Homem pensativo na janela.

Ninguém gosta de ser contrariado, muito menos está disposto a sair de sua zona de conforto, por isso não é simples ajudar. Quantos não procuram um desses conselheiros espirituais que dizem exatamente aquilo que eles querem ouvir e ficam fascinados com a assistência? Quantos não gastam verdadeiras fortunas em processos terapêuticos insossos que só reforçam seus desajustes? Para um viciado em drogas tudo aquilo que julga precisar para enfrentar os desconfortos a alma é a própria droga.

Se você disser para alguém que ele é a causa de toda a sua problemática, será mal avaliado.

Você também pode gostar de:

Poucos estão preparados para entender que o problema começa, existe e termina nele mesmo.

Três fases da borboleta.

A maior dificuldade do ser humano está em seu relacionamento com o mundo. Acreditar na máxima sartriana de que o inferno são os outros, apenas reforça o nosso vitimismo. Os outros são, na verdade, os nossos maiores aliados, pois através da convivência com o mundo, o homem pode conhecer os seus pontos fracos. Ninguém coloca um balde de irritação dentro de você, esse material é seu, já está aí, pronto para ser despejado quando for acionado, da mesma forma, todos os seus medos e desejos são conteúdos que se desenvolveram dentro de você, a partir da forma como você processou suas experiências, por que culpar o outro?

Para muitos, é difícil entender que não se deve viver de expectativas, esperando mudanças no cenário externo e que quando sente-se frustrado ou decepcionado, a razão é simples: falta de aceitação.

Menino subindo escadas no céu.

Alegrar-se quando ouvimos aquilo que queremos ouvir, seja em uma consulta espiritual ou em um processo terapêutico qualquer, é simplesmente confirmar aquilo que não está funcionando em sua vida. A verdadeira assistência deve estar na contramão de tudo aquilo que você pensa e faz. O bom guru é aquele que fará você reavaliar-se, reprogramar-se e apresentar alternativas que você nunca quis enxergar.

O gênio Albert Einstein, além de grande cientista, foi um extraordinário frasista e tratou de alertar isso quando disse: “Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual!”

Está na hora de acordar, sair de estado de sonolência, parar de culpar os outros, assumir total responsabilidade por tudo aquilo que não está funcionando e tomar a atitude de mudar.

Quando você muda, o mundo muda.

Sobre o autor

Paulo Tavarez

Paulo Tavarez

Pedagogo, escritor, instrutor de Yoga e criador de uma terapêutica chamada Psicapometria. Tenho artigos publicados em vários sites voltados para o desenvolvimento da Consciência.

Celular: (11) 94138-9580
E-mail: [email protected]
Facebook: /paulo.hanuman