Espiritualidade Filosofia Religiões

Quem foi Lao Tzu, o fundador do Taoismo?

Estátua de Lao Tzu
Matee Nuserm / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Pouco popular no Brasil, o taoismo é uma das religiões mais populares do Oriente, com pelo menos 400 milhões de fieis. Mas como surgiu essa religião?

O taoismo surgiu a partir das ideias de um sábio chinês chamado Lao Tzu, que viveu há mais de 2.000 anos. Para entender o que é essa religião e como ela foi fundada, além de compreender quem foi Lao Tzu, leia o artigo a seguir.

Quem foi Lao Tzu?

Lao Tzu (em chinês, 老子), também traduzido como Lao Tse, Laotze ou Lao Zi, foi um intelectual chinês. Seu nome significa velho mestre. Segundo as versões mais aceitas pelos historiadores do taoismo, Lao Tzu morreu no ano de 531 a.C. Não há fontes que garantam com qual idade ele morreu e, consequentemente, quando nasceu.

Lao Tzu, de acordo com os registros tradicionais, era considerado um intelectual e era responsável pelos arquivos da corte real da dinastia Zhou. Foi ali, em contato com o que havia de mais completo em relação a papiros, livros e arquivos, que ele entrou em contato com as ideias do pensador chinês Huangdi e com outros sábios daquele tempo e do passado. Pouco a pouco, ele foi desenvolvendo suas próximas ideias e arregimentando discípulos e seguidores de seus pensamentos.

A versão mais aceita conta que ele nasceu na aldeia de Chu Jen, no estado de Chu, era casado e tinha um filho chamado Zong, que se tornou um militar bastante respeitado.

Alguns historiadores supõem que ele teria sido contemporâneo de outro pensador chinês, talvez o mais conhecido deles, Confúcio, com quem teria até mesmo se encontrado e debatido sobre filosofia.

Há outra teoria, porém, que supõe que Lao Tzu não existiu e que se tornou, na verdade, um pseudônimo para reunir a sabedoria chinesa da época. Existem teorias semelhantes a respeito de outras figuras históricas, como William Shakespeare e Homero. O mais aceito, porém, é que ele tenha existido.

Tao Te Ching

As principais sabedorias e os principais ensinamentos e pensamentos de Lao Tzu foram reunidos num livro chamado “Tao Te Ching”. Quando falava e escrevia sobre suas ideias, Lao Tzu estava falando sobre filosofia, não sobre religião. O taoismo, religião baseada em suas ideias, surgiu após a sua morte.

Livros antigos
Michal Jarmoluk / Pixabay

Entre as ideias defendidas no “Tao Te Ching” estão pagar o mal com o bem, agir de maneira sempre honesta, seguir a vida com equilíbrio e harmonia, evitando excessos e paixões, fugir o máximo possível de desejos e vontades, já que o ser humano precisa ser o mais natural e agir o mais espontaneamente possível, além do conceito de dualidade (yin-yang), que define que tudo tem sua contraparte no mundo, como frio e calor, tristeza e felicidade etc.

Wu wei

Um dos principais conceitos idealizados por Lao Tzu é o wu wei, muitas vezes traduzido como não ação. Segundo o pensamento dele, devemos ao máximo nos voltar para a natureza e agir naturalmente, não motivados por vontades, paixões e desejos. Ele afirmava que a tecnologia trazia uma falsa sensação de progresso que pouco a pouco afastava o homem do contato com a natureza e com a sua própria natureza.

Segundo o wu wei, o ser humano precisa, o máximo que puder, voltar-se ao tao, ou seja, ao caminho, à retidão, à harmonia da vida.

A religião

Apesar de ser considerado o fundador da religião taoista, Lao Tzu não falava sobre espiritualidade e sobre divindades nem pensava seus ensinamentos como uma religião. Para ele, o que estava sendo discutido em seus escritos e dito em suas palestras para seus discípulos era filosofia.

Mãos sobrepostas de um monge budista
Pixabay / Pexels

O taoismo como religião surgiu quase mil anos depois e sua origem é incerta. A religião reúne vários conceitos tradicionais da China, como a medicina tradicional chinesa, divindades budistas e a filosofia chinesa de eruditos como Lao Tzu. O taoismo não é, portanto, uma consequência direta ou uma religião influenciada unicamente pelos ensinamentos de Lao Tzu, mas uma reunião de diversos conceitos que fazem parte da cultura chinesa e que sempre caracterizaram esse povo.

Lao Tzu e política

A obra de Lao Tzu é bastante política. É preciso levar em consideração que a época em que ele vivia era marcada por dinastias que disputavam o poder da China entre si, especialmente em guerras, conflitos militares e golpes. Lao Tzu, por ser parte da elite intelectual da época, produziu e escreveu muitos pensamentos sobre política.

Alguns cientistas políticos definem Lao Tzu como um dos primeiros libertários do mundo. O libertarianismo é uma teoria política que prega um ceticismo em relação ao Estado. Lao Tzu, por exemplo, achava que o governo deveria ser limitado, para que as pessoas pudessem viver de forma mais livre.

Os pensamentos de Lao Tzu influenciaram diversos agentes políticos, especialmente os anarquistas, que se opõem a todo tipo de hierarquia e dominação — política, econômica, social ou cultural. Rudolf Rocker e Ursula K. Le Guin, dois dos principais pensadores anarquistas modernos, tinham bastante respeito por Lao Tzu e sua filosofia.

Princípios da filosofia taoista

Como explicado anteriormente, Lao Tzu não criou nenhuma religião nem influenciou intencionalmente o nascimento do taoismo, mas essa crença incorporou alguns de seus ensinamentos. Separamos abaixo alguns dos princípios taoistas que vieram da obra de Lao Tzu.

Apesar de, como citado no tópico anterior, o taoismo não ser uma religião estruturada e com dogmas, como as religiões mais tradicionais do Ocidente, há alguns princípios que norteiam aqueles que seguem essa tradição filosófica e religiosa. Confira quais são:

— Nunca podemos agredir a natureza quando agimos, nem mesmo a nossa própria natureza;

— Independentemente de qual seja a situação, devemos agir com sutileza, nunca com força;

— Todas as coisas são interdependentes e estão conectadas;

Homem meditando diante do pôr do Sol
李磊瑜伽 / Pixabay

— Somos partes unicamente do momento presente, e tudo está em constante e ininterrupta mudança;

— Tudo é dual (conceito de yin-yang), então para tudo há uma contraparte oposta. Exemplos: tristeza e felicidade, luz e sombra, frio e calor, vida e morte, entre muitos outros;

— Devemos fazer um esforço contínuo para não agirmos de maneira guiada pelos nossos desejos, porque agir com base em um impulso que vem de paixões e vontades distorce a natureza e o acontecimento espontâneo das coisas.

Citações de Lao Tzu

Além de ter escrito o “Tao Te Ching”, Lao Tzu deixou muitas outras fontes de sabedoria escritas. Para encerrar este artigo sobre ele, separamos algumas de suas frases sobre o amor, a bondade, a honestidade e o sentido da vida. Confira:

1. “Ser profundamente amado por alguém nos dá força; amar alguém profundamente nos dá coragem.”

2. “A vida é uma série de mudanças naturais e espontâneas. Não resista a elas — isso só gera tristeza. Deixe a realidade ser realidade. Deixe as coisas fluírem naturalmente pelo caminho que elas seguirem.”

3. “Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sabedoria. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.”

Coração desenhado a giz de cera
Karolina Grabowska / Pixabay

4. “Aquele que não tem confiança nos outros não lhes pode ganhar a confiança.”

5. “Trate aqueles que são bons com a bondade e trate também aqueles que não são bons com bondade. Assim, o bem é alcançado. Seja honesto com aqueles que são honestos e seja honesto com aqueles que não são honestos. Assim, a honestidade é alcançada.”

6. “Para ganhar conhecimento, adicione coisas todos os dias. Para ganhar sabedoria, elimine coisas todos os dias.”

7. “Conhecer os outros é inteligência, conhecer a si próprio é verdadeira sabedoria. Controlar os outros é força, controlar a si próprio é verdadeiro poder.”

8. “Pagai o mal com o bem, porque o amor é vitorioso no ataque e invulnerável na defesa.”

9. “O sábio não se exibe, e vejam como é notado. Renuncie a si mesmo e jamais será esquecido.”

10. “A libertação do desejo conduz à paz interior.”

Considerado um dos maiores sábios da história do Oriente, Lao Tzu foi tão influente que, mesmo sem ter essa intenção, acabou fundando uma religião baseada em suas ideias. Conhecer as mais diversas religiões (e seus fundadores) é essencial para que entendamos que o mundo vai muito além de nossas crenças. E aí, vai incorporar algum ensinamento de Lao Tzu em sua vida?

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br