Doutrina Espírita Espiritualidade

Depressão – Para encontrar-se

Antônio Navarro
Escrito por Antônio Navarro


“Eu estive em todos os lugares e só me encontrei em mim mesmo”.

– John Lennon.

A depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo. Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta quinta-feira (23), referentes a 2015, em 10 anos, de 2005 a 2015, esse número cresceu 18,4%. A prevalência do transtorno na população mundial é de 4,4%. (1)

A depressão é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida, gerando angústia e prostração, algumas vezes sem um motivo evidente. (2)

A esse respeito, a Doutrina Espírita diz:

“Sabeis por que, às vezes, uma vaga tristeza se apodera dos vossos corações e vos leva a considerar amarga a vida? É que vosso Espírito, aspirando à felicidade e à liberdade, se esgota, jungido ao corpo que lhe serve de prisão, em vãos esforços para sair dele. Reconhecendo inúteis esses esforços, cai no desânimo e, como o corpo lhe sofre a influência, toma-vos a lassidão, o abatimento, uma espécie de apatia, e vos julgais infelizes”. (3)

O Benfeitor Espiritual está apontando a causa para a ignorância em relação à nossa natureza, que é espiritual, e que o Espírito, nessas condições, não se encontra consciente de sua atual condição reencarnatoria e sua finalidade.

Em vão, portanto, busca o Homem a felicidade no mundo, se não se encontrar como Espírito Imortal.

A Benfeitora Espiritual Joanna de Ângelis diz que:

“Exige-se que todos se encontrem em intérmino banquete de alegrias, fingindo conforto e bem-estar nas coisas e situações a que se entregam, distantes embora da realidade e dos significados existenciais”. (4) 

Outro Benfeitor Espiritual acrescenta esclarecimentos:

“Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! — Exclama geralmente o homem em todas as posições sociais. Com efeito, nem a riqueza, nem o poder, nem mesmo a florida juventude são condições essenciais à felicidade”. (5)

Ratifica-se, assim, que o entendimento e a aceitação espiritual produtiva acerca da situação em que se está, equilibram os sentimentos e produzem a energia necessária para o enfrentamento das mais diversas dificuldades e desafios pertinentes a cada Espírito, porque estes são particulares a cada um, e possuem, em si mesmos, as causas geradoras.

É necessário, então, dar um novo sentido à vida que se está vivendo, a partir dos interesses do Espírito, e não do Mundo.

Aos Espíritos, “Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Mas para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da Criação”. (6)

Viktor Frankl, psicoterapeuta e criador da Logoterapia, depois de três anos encarcerado em campos de concentração nazistas, chegou em preciosas conclusões em relação ao que a vida nos impõe:

“O interesse do homem não é encontrar o prazer ou evitar a dor, mas encontrar o sentido da vida. Mesmo em tempos de sofrimento, temos de encontrar um sentido para esse sofrimento”.

“Todos nós temos uma razão de ser, mas às vezes, não temos conhecimento dessa razão”.

“Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o transformarem em um alvo, mais vocês vão errar. Porque o sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido, ele deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de uma dedicação pessoal a uma causa maior que a pessoa, ou como subproduto da rendição pessoal a outro ser”. (7)

O grande pensador chegou, pelas vias da experiência pessoal, à conclusão que se precisa encontrar o significado espiritual pessoal na vida para vencer-se a si mesmo, e ele expressou que encontrou o significado da sua vida: ajudar os outros a encontrarem o significado da vida deles. (7)

O sentido da vida, portanto, é desenvolvermos o senso moral, em paralelo ao senso intelectual, embora este último quase sempre precede o primeiro.

Joanna de Ângelis ainda nos oferece a recomendação libertadora:

“Se experimentas esse vazio interior, desmotivado para viver ou para laborar em favor do bem-estar pessoal, abre-te ao amor e deixa-te conduzir pelas suas desconhecidas emoções que te plenificarão com legítimas aspirações, oferecendo-te um alto significado psicológico e humano”. (4)

Quando nós, enfim, estivermos conscientes dessa realidade, haveremos de nos estabilizar diante da nossa própria vida e encontraremos, no íntimo de nossas almas, as explicações para todas as vicissitudes que nos alcançam.

Aí viveremos em paz com nós mesmos, e em paz com o Mundo, espalhando o amor que há em nós e que retornará em retroalimentação, como bem prenunciou Nosso Senhor Jesus Cristo ao dizer para fazermos ao próximo o que gostaríamos que a nós fosse feito, porque sempre se dará a cada um segundo suas próprias obras.


(1) https://g1.globo.com/bemestar/noticia/depressao-cresce-no-mundo-segundo-oms-brasil-tem-maior-prevalencia-da-america-latina.ghtml;

(2) https://saude.abril.com.br/medicina/depressao-sintomas-diagnostico-prevenção-e-tratamento/;

(3) O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, A Melancolia;

(4) http://www.divaldofranco.com.br/mensagens.php?not=108;

(5) O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, A felicidade não é deste mundo;

(6) O Livro dos Espíritos, item 132;

(7) Disponível em vários sites na internet. Procure por Viktor Frankl.

Sobre o autor

Antônio Navarro

Antônio Navarro

Orador espírita e Membro da Diretoria do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier em São José do Rio Preto - SP.

Articulista espírita dos seguintes meios de comunicação:

agendaespiritabrasil.com.br
redeamigoespirita.com.br
kardecriopreto.com.br

Jornal eletrônico A Caminho da Luz – Botucatu-SP
_

Contatos:

Email: [email protected]

Facebook: Antônio Carlos Navarro

Celular: (17) 99702-7066