Espiritualidade

Responsabilidades, segundo Sri Sri Ravi Shankar

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O líder espiritual Sri Sri Ravi Shankar, numa de suas palestras, responde a esta questão: “Por que tenho que assumir tantas responsabilidades se vou morrer no final?”. Rindo, ele responde com simplicidade: “Bem… porque você nasceu.”

O sentido da pergunta está focado justamente no porque passamos por tantas questões em vida e ainda assim somos responsáveis pela nossa própria felicidade, pela felicidade de nossa família, de nossos amigos e por aí vai. Mas Sri Sri concede uma resposta sugerindo algo mais amplo do que simplesmente o sofrimento diário das pessoas embasado nessa pergunta. Ele diz: “Se você tomar a vida como um fardo, então o trajeto será uma grande e arrastada miséria.”

Você pode assistir ao vídeo ou, abaixo, o diálogo na íntegra traduzido:

Pergunta: “Gurudev, porque tenho que assumir tantas responsabilidades? Tenho a responsabilidade pela minha felicidade, pela felicidade do meu marido, pela felicidade da minha família etc. Porque tudo isso se no fim tenho que morrer?”

Resposta de Sri Sri Shankar: “Bem, porque você nasceu!

Quando você nasce, tem que tomar conta de tudo isso. Há duas maneiras de olhar para a vida: 1. Ou você a toma como um fardo e torna sua vida uma longa e arrastada miséria, ou 2. Você a toma com entusiasmo, pensando: “Se tenho todas essas responsabilidades e desafios, posso realizá-los”. E você segue em frente com celebração.

Quando está cansado é que você sente que tudo isso é demais para você dar conta. Quando isso acontece, eu diria, sente-se e relaxe. Imagine que você não tem nenhuma responsabilidade. Encontre o mais profundo descanso dentro de você, e então terá a força que precisa para ir em frente. Diga apenas uma coisa para você mesmo: “Eu não quero nada!”. Esse querer nada lhe dá o mais profundo dos descansos.

Descansar não é somente deitar fisicamente na cama, é o modo da mente que diz: “Estou satisfeito, estou contente.” Só o contentamento pode lhe dar descanso e esse contentamento não virá até você por fazer ou se empenhar em nenhuma atividade. Ele virá até você somente pelo conhecimento. E o conhecimento é:

  1. Tudo é impermanente.
  2. Estou satisfeito.
  3. Não quero nada.

Essa é a essência do conhecimento.

Geralmente, quando perguntamos às crianças o que elas querem, elas dizem “nada”.

A semente do querer nada está em cada criança. Elas apenas não sabem que tudo é impermanente porque não perceberam tudo o que há ao redor delas. Mesmo por alguns momentos todo dia, se você disser: “Tudo é impermanente, não quero nada” e sentar e descansar profundamente, voltará com energia e entusiasmo para assumir milhões de empregos no mundo e poder fazer milhões de pessoas felizes. Então, nenhum trabalho parecerá significante ou insignificante.

Essa é a linguagem do Upanishad: não é nem significante nem insignificante. Você sequer pode qualificar coisas pequenas de insignificantes nem dar muita importância a coisas muito significantes. Em vez disso, você pode se manter fazendo qualquer trabalho, qualquer ação, em qualquer lugar e, em cada uma delas, ser benéfico para o mundo.

Depois dessa resposta, não há muito o que explicar, não é? Sri Sri nos permite ampliar nossos conhecimentos e ao mesmo tempo nossa mente para a vastidão de nossa vida. Nada é insignificante e devemos viver cada dia com entusiasmo, mesmo que às vezes seja difícil, assim contagiando as pessoas de nosso convívio para um caminho mais positivo e uma vida mais duradoura e bem vivida.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]