Comportamento

Se desejas mudar o mundo, comece mudando as pequenas ações do seu cotidiano

Homem de meia idade sentado à mesa de uma cafeteria, sorrindo.
Foto: lightfieldstudios / 123RF
Eduardo Rosa
Escrito por Eduardo Rosa

Muitas vezes nos deparamos com frases impactantes sobre como mudar o mundo, como se revolucionar contra os problemas da sociedade. Lemos inúmeros livros best-sellers sobre como praticar uma mudança extraordinária nas nossas vidas e, assim, mudarmos a sociedade, a empresa, a família e os pensamentos de todos ao nosso redor para tornar o mundo melhor. Muitas pessoas vivem essa busca e até conseguem tornar suas realidades particulares melhores.

Porém, para mudar o mundo, é necessário muito esforço, muita determinação e coragem, pois a mudança deve começar dentro de cada um, como disse Leon Tolstói: “Todos pensam em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo”. Quando nós mudarmos nosso modo de pensar, falar e agir para melhor, e em prol de tornar o mundo melhor, então a mudança acontecerá, como a frase de Rumi: “Ontem, eu era inteligente, então eu queria mudar o mundo; hoje, eu sou sábio, então eu estou mudando a mim mesmo.” O sábio compreende que, para ocorrer uma mudança no mundo deve ocorrer, primeiramente, a mudança dentro de si, pois é dentro da metamorfose constante de nossa consciência que ocorrem as maiores revoluções e evoluções do mundo e, ao mudar a si mesmo, o mundo será mudado, não todo ele — em que as pessoas serão felizes e toda a desigualdade sessará —, mas o modo de enxergar o mundo. Assim, o modo como cada um olha e compreende o mundo será modificado, ou seja, a mudança do mundo só ocorrerá quando todos se unirem para torná-lo melhor.

Contudo, há o risco de ocorrer o que Che Guevara pensava “deixe o mundo mudar você e você poderá mudar o mundo”. Ou seja, a mudança que o mundo pode causar em cada pessoa pode ocorrer de forma descontrolada na qual pode, sim, o direcionar para algo melhor, mas há o risco iminente de o mundo transformá-lo em uma pessoa pior, e você então mudará o mundo para pior em mais intensidade.

Todavia é interessante pensar que a mudança deve começar dentro de cada pessoa. “Quando a mudança começa em ti, já começaste a mudar o mundo” (OSHO), pois as grandes mudanças se iniciam em pequenas coisas; as grandes maratonas se iniciam com o primeiro passo; uma grande construção se inicia com o primeiro tijolo; uma grande pessoa começa a mudar o mundo com pequenos gestos de amor e caridade, e com muita força de vontade transforma dias, estes transformam meses, que transformam anos, que transformam vidas e estas transformam o mundo em melhor.

A mudança do mundo se inicia em pequenas mudanças do dia a dia, que podem ser pequenos gestos, pensamentos e atitudes. A seguir veja sugestões de pequenas mudanças que podem gerar enormes mudanças futuras (e claro vai melhorar muito sua vida).

• Sorrir para as pessoas.

Duas mulheres sorrindo de olhos fechados ao lado de uma árvore.
Foto de Daniel Xavier no Pexels

É algo muito raro encontrar pessoas “simpáticas” em um mundo no qual todas estão ocupadas e cheias de afazeres; quando encontramos pessoas assim, o nosso dia muda e ficamos mais felizes, ou seja, sorrir para as pessoas pode mudar o mundo delas.

• Reclamar menos.

Homem sentado com as pernas para cima, ao lado de um coco com um canudo.
Foto de Artem Beliaikin no Pexels

Ninguém suporta ficar perto de pessoas de baixo-astral, ou negativas, que para tudo colocam uma dificuldade e nunca enxergam o lado positivo das coisas. Em geral, todos se afastam de pessoas que só sabem reclamar. Além disso, reclamar não vai fazer a vida ficar mais fácil. Portanto, procure reclamar menos e agir mais, em vez de reclamar de uma situação adversa, tente extrair as positividades dela e vencê-la.

Você também pode gostar

• Ser educado, cordial.

Bilhete com os escritos "Thank You" (obrigado), ao lado de flores e uma caneta.
Foto de Giftpundits.com no Pexels

Uma das coisas que mais estragam nossos dias é ter contato com uma pessoa “sem educação”, grosseira e estupida. Pessoas assim nos afetam de maneira negativa e procuramos ter o menor contato possível.

• Não falar dos outros (fofocas).

Três mulheres conversando lado a lado, usando aventais de culinária.
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

É muito comum em nosso cotidiano comentarmos sobre outras pessoas, reclamarmos de uma atitude, modos de tratamento, escolhas e até mesmo das opções de outras pessoas, mas essa prática não contribui em nada para ninguém, apenas atrasa a vida de quem proporciona esse ato. Sempre que pensar em falar de outra pessoa (geralmente ocorre sem a presença dela) procure antes refletir se: o que vai falar é de fato importante; vai contribuir para alguma coisa em sua vida; vai melhorar sua relação com a determinada pessoa; ou vai melhorar o mundo.

• Não se importe tanto com a opinião dos outros.

Mulher de cabelos cacheados sentada, segurando a cabeça com as mãos.
Foto de Anna Shvets no Pexels

Uma das maiores alienações que vivemos é estarmos presos à opinião de outras pessoas, sendo que a opinião delas não significa a verdade em si. Então viva sua vida para agradar somente uma pessoa: você.

Essas são algumas das atitudes que, se praticadas diariamente, podem contribuir para um mundo melhor, pois tornará você melhor e, consequentemente, o mundo, uma vez que você é parte dele e parte do mais importante: o Seu Mundo.

São práticas pequenas como essas que se tornam grandes futuramente. Desejo-lhe boa sorte e determinação em seu ciclo de mudança interior e, posteriormente, exterior.

Sobre o autor

Eduardo Rosa

Eduardo Rosa

Formado em licenciatura em filosofia, especialista em filosofia e sociologia, assim como em Libras.

Possui vasto conhecimento na área de humanas, história, psicologia e religião.

Efetuou trabalhos sociológicos em religiões como cristã (católica), Islã, judaísmo, budismo, entre outras, e também em segmentos religiosos, como espiritismo e religiões de origem africana.

Possui conhecimento em línguas estrangeiras, como alemão, italiano e inglês, assim como em línguas antigas, como latim, hebraico e grego.

Estudante de gestão industrial.

Contato:
Email [email protected]