Comportamento Consumo Consciente

Sente medo da morte? Faça sua vida valer a pena

Mulher sentada na janela pensando
Nathalia Lanfredi
Escrito por Nathalia Lanfredi

Diante das circunstâncias atuais, eu — e acredito que mais um milhão de pessoas — comecei a pensar constantemente sobre a morte. O que era antes um evento esporádico, algo que acontecia uma vez ou outra — dentro da minha realidade, é claro — tornou-se algo diário e em grande escala.

Passei boa parte das semanas do isolamento lendo sobre o que acontecia, me esforçando para não entrar em pânico, afinal eu ainda estava viva — graças a Deus — e precisava cumprir com as minhas obrigações.

Mulher na janela com reflexo na janela e expressão de indecisão
Foto de Marcelo Chagas no Pexels

No entanto, o constante medo da morte me fez pensar muito sobre a vida e como eu estava guiando a minha existência até este momento. Percebi que eu havia realizado muitos sonhos e estava feliz com a minha jornada, mas ainda assim não era o suficiente para pensar “se eu morrer hoje, tudo bem, porque eu fiz minha parte”. Sim, eu fiz a minha parte, mas só no que diz respeito a mim, até o momento eu pouco tinha feito pelo próximo e pelo planeta e, se eu queria encarar a morte com a mente em paz, era hora de agir pelo próximo.

Ainda nesta reflexão, notei o quanto eu sou privilegiada e quantas pessoas ao redor do mundo estão muito mais expostas à morte do que eu. Me toquei que isso não é só durante a pandemia, mas acontece desde que eu me entendo por gente. Eu estava tão ocupada trabalhando, estudando, tentando fazer outras coisas, que mal percebia que me enchi de mim e me esvaziei do próximo.

Mulher no chão em casa mexendo no computador
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

Eu não vou dizer que sou grata ao isolamento por isso, seria egoísmo agradecer a esse trágico acontecimento por um insight que eu poderia ter tido em qualquer outro momento, mas diante das circunstâncias este foi o melhor que eu pude fazer.

Decidi então que, mesmo dentro de casa, faria algo todos os dias para deixar a minha vida mais significante e ao mesmo tempo fizesse a diferença na vida de outras pessoas, e até mesmo na natureza.

O primeiro passo foi tirar um plano de anos da gaveta, o de virar vegetariana. Tentei infinitas vezes ao longo da vida, mas desta vez estou conseguindo com muito mais força. Cortei a carne vermelha e reduzi os outros tipos de alimentos, tudo será feito aos poucos, mas já é um primeiro passo. Afinal, grande parte do desmatamento, desperdício de água e algumas das doenças mais perigosas acontecem por causa do consumo de alimentos de origem animal. Deixarei alguns estudos nas referências para quem quiser entender mais¹.

O segundo passo foi olhar para o meu dinheiro e perceber que eu tenho a sorte de “ter sobrando” uma pequena quantia no mês, e que ela poderia fazer a real diferença na vida de outras pessoas. Então comecei a ajudar dois projetos com doações, o Fraternidade Sem Fronteiras e o Instituto Criação.

Saiba mais sobre eles aqui:

Fraternidade Sem Fronteiras

Instituto Criação

O terceiro passo — um bem importante — foi aprender a ouvir, compreendendo que o próximo está sofrendo tanto quanto eu e que às vezes eu andara falando demais, e escutando de menos. Me propus a ouvir os desabafos das pessoas que amo, esforçando-me para não julgar ou tentar colocar minha opinião, apenas abrindo um espaço real para que elas esvaziem o peito delas. Ao fazer isso, percebi que ajudar o outro, acalma a mim.

Entendi que não importa o que façamos, estamos sempre buscando algo individual, seja ganhos, aprendizados, evolução ou conforto, mas que o que importa é crescer segurando a mão dos outros, para que eles cresçam com a gente.

Você também pode gostar

Este texto é apenas uma forma de expor os aprendizados que momentos tão difíceis como este me proporcionaram. Escrevo na confiança de que ao menos uma pessoa lerá e se sentirá inspirada a ajudar o próximo, tanto quanto eu me senti algumas semanas atrás.

Obrigada a você que leu até aqui!

¹https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2019/08/09/15-do-efeito-estufa-vem-de-desmate-e-agropecuaria.htm

https://www.ecycle.com.br/component/content/article/63-meio-ambiente/3908-muito-alem-da-exploracao-animal-criacao-gado-promove-gastos-recursos-naturais-danos-ambientais-em-escala-estratosferica-emissoes-gases-uso-agua-terra-alimento-desmatamento-pastagem-residuos-contaminacao-exploracao-excessiva-fome-pesticidas-pegada.html

Sobre o autor

Nathalia Lanfredi

Nathalia Lanfredi

Relações Públicas, Libriana e Assistente de Comunicação aqui do EuSemFronteiras, sempre fui muito curiosa e tento entender como funcionam todas as coisas que envolvem o comportamento e os relacionamentos humanos. Por isso, a vida me guiou para estudar a comunicação e o autoconhecimento, e, por sorte, aqui eu consigo unir as duas coisas que amo e, assim, tentarei compartilhar com vocês um pouco das experiências que já vivi e espero que de alguma forma eu consiga contribuir positivamente com a vida de cada um que ler esses textos.