Autoconhecimento

Bondade: por que o mundo está precisando deste sentimento?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Bondade significa fazer o bem ao próximo, e existem pessoas dispostas a isso, por mais que a gente não tenha esse conhecimento, já que na mídia tradicional essas pautas não possuem relevância. A sociedade se acostumou a acreditar que o mundo está numa verdadeira tragédia. Claro, não é mentira. Mas existem coisas boas acontecendo por aí e são vários os exemplos. Porém, todos sabem que a humanidade em si está precisando de mais bondade.

Com esse sentimento, é possível diminuir os índices de violência, construir uma sociedade mais igualitária e que respeita ao próximo e ainda transformar os seres humanos em pessoas mais otimistas.

Como ser mais bondoso?

Não há um caminho, uma regra para se tornar mais bondoso. Essa prática que é cultural e familiar não precisa de muito. Por vezes, somos bondosos e não notamos como fazemos a diferença na vida das pessoas. Uma pesquisa publicada na revista online Greater Gold, da Universidade de Bekerley, mostrou que para aumentar a nossa felicidade, basta ajudar o próximo.

E é isso mesmo. Como você se sente quando ajuda alguém? Não se sente bem? Importante? Ativo? Aqui é necessário destacar que ajudar ao próximo precisa ser feito com o coração, e não por interesse. Neste sentido, a bondade precisa ser colocada em prática e ser treinada!

Esse sentimento se reflete e é uma corrente que passa para os outros. Quanto mais bondosos formos com o próximo, melhores relações nós criamos e mais bondade podemos acender no coração destas pessoas.

Por que o mundo precisa de mais bondade?

As relações estão muito líquidas e artificiais. Virou rotina a violência, as mortes brutais, crianças passarem fome, crueldade. É como se estes fatos fossem incorporados em nosso cotidiano e, de fato, estão. Mas não é essa a saída. Precisamos unir forças para lutar por um mundo mais justo.

As causas envolvendo bondade estão presentes no dia a dia, mas é preciso mais. É preciso abrir o coração para os desafios, para aquilo que nos amedronta. É preciso pedir ajuda e, ainda, oferecer ajuda. 

Ao acendermos a luz em nosso coração, podemos compreender que ajudando aqueles ao nosso lado, estaremos criando relações otimistas.

Não se constrói um mundo mais justo sem bondade. E, para isso, não precisamos aceitar que essa é uma tarefa impossível de ser colocada em prática. 

O mais importante de tudo isso é quebrar paradigmas e barreiras. É vencer o preconceito. É estar atento para aqueles que mais precisam. Coração livre e mente aberta podem transformar o mundo.


Escrito por Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br