Energia em Equilíbrio

Será um sinal ou apenas uma coincidência?

Mulher com semblante pensativo com a mão sobre o queixo. Ela está em um cenário azul.
chajamp / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já viveu uma situação na qual se questionou se ela era um sinal ou apenas uma coincidência? Isso costuma acontecer constantemente e algumas pessoas creem que a vida é feita apenas de coisas que acontecem ao acaso — mas às vezes o Universo nos apresenta inúmeras situações que nos levam a crer que a vida não é apenas um palco onde tudo acontece sem um propósito.

Por um ponto de vista, se pararmos para analisar o que atualmente é latente no nosso peito, perceberemos que sempre teremos o foco naquilo que nos toca. Por exemplo, se você terminou um namoro recentemente, parece que tudo o que acontece ao seu redor tem a ver com romantismo, saudade e afins, então acaba achando que o Universo tem algo a lhe dizer. Mas isso pode ser explicado: a nossa mente tem um poder muito grande sobre a nossa vida; assim, nossa atenção sempre se voltará às coisas que têm ligação com algo que estamos vivendo no presente.

Agora, para entender o que são sinais ou coincidências, precisamos entender o que ambos significam e como fazem sentido para nós. Para se aprofundar mais neste assunto, fique alerta e leia este artigo até o final!

Diferenças entre sinais e coincidências

Sinais e coincidências são baseados em fatores muito simples: quando alguns fatos ocorrem na mesma hora ou no mesmo dia, podemos chamá-los de coincidências, que são as coisas que acontecem “por acaso” mas que não representam algo grandioso para nós; já os sinais são esses mesmos fatos, porém acompanhados de um insight mais profundo, de significados maiores.

Mulher cheirando uma flor em um jardim
Artem Beliaikin / Pexels

O acaso nos remete a algo passageiro, já tudo o que pensamos ser um sinal nos promove um pensamento mais profundo e nos liga a certas coisas que estão presentes no nosso interior, não só na vida externa ou no que ela reflete em nosso ser.

Aquele que vive achando que tudo é uma coincidência vive distraído. Já o que se questiona sobre os sinais vive conectado não somente ao seu próprio eu, mas também ao Universo.

Como identificar os sinais do Universo?

O Universo costuma nos mandar sinais constantemente, mas vivemos tão fechados diante dele que acabamos não percebendo, muito menos entendendo o que ele tem a nos dizer. O ser humano vive focado no que é tangível e, principalmente, no que está à sua volta. Por esse motivo, criamos limites emocionais que nos impedem de receber o que o Universo tem a nos oferecer.

Se você quer aprender a identificar os sinais do Universo, o primeiro passo é se abrir a ele. Preste mais atenção na sua forma de sentir, na sua sensibilidade e no seu interior. Permita-se entrar em sintonia com o que há dentro de você, repare nas suas intuições, no que realmente faz brilhar os seus olhos e abra a sua mente não só para os acontecimentos do mundo, mas também para a movimentação do seu Eu — desse modo, você criará aos poucos um diálogo e uma relação com o Universo.

Alimente o seu verdadeiro desejo de perceber os sinais — a sua intenção é muito importante, pois ela é a chave para que você se torne receptivo. Se você realmente quer saber o que o Universo diz, é preciso demonstrar. Nesse caso, você demonstra sentindo e se permitindo. É importante lembrar que o Universo sempre nos dá aquilo de que precisamos. Por mais que nós não estejamos conectados a ele, ele sempre está conectado conosco. Você já deve ter tido algum momento negativo em sua vida que se tornou fonte de muitas reclamações e, a partir disso, começou a perceber que coisas desagradáveis ocorreram ou que nada saía como você tinha planejado. Isso acaba acontecendo porque o Universo nos devolve o que nós emanamos, ou seja, se você der coisas boas a ele, ele lhe dará coisas boas de volta.

Por causa desses fatores, para ouvir e receber os sinais do Universo, você precisa estar disposto e aberto ao que ele quer que você receba. Pare de viver no automático e tenha mais atenção às coisas que acontecem ao seu redor!

Dicas para aproveitar os sinais

Seja sempre positivo e receba com alegria o que o Universo lhe oferecer. Mesmo que você receba um sinal pelo qual não esperava, leve-o como uma oportunidade de evolução. Detalhe mais os seus sentimentos, não seja tão desligado na sua rotina. Ao perceber um sinal, aprofunde-se no que ele pode representar para a sua vida. Nunca deixe para entender ou para questionar depois, pois você está no presente, não no passado ou no futuro!

Olho aberto.
Bruno Henrique / Pexels

Fomente a conexão do seu Eu interior com o Universo e vibre boas energias. Foque os seus planos e as suas metas. Analise o que acontece à sua volta, os seus desejos e tudo o que tiver relação com o sinal recebido. Evite falar com pessoas sobre um sinal do Universo, pois ele é só seu, ele é sobre você e sobre a sua vida! Mas o principal: não ignore as mensagens do Universo! Se você ficou confuso com o que recebeu, faça anotações de tudo o que você acha que pode representar. Dedique um tempinho para refletir e ligue os pontos que forem se formando na sua mente.

Sincronicidades

Muito mais do que o acaso ou um sinal, a sincronicidade é baseada no que nós sentimos diante de determinada situação. Entenda a seguir!

O que são sincronicidades?

Quando há algum tipo de conexão que liga um acontecimento externo a um tipo de sentimento, chamamos esse evento de sincronicidade. Idealizado por Jung, o termo sincronicidade consiste em ocorrências que possuem relação com significados pessoais, não somente a partir de questões causais.

A sincronicidade é baseada na ligação do mundo exterior com o mundo interior e vai muito além de sentimentalismos. Imagine-se indo até uma loja de discos com vontade de ouvir uma determinada música. Você começa a andar pelas prateleiras e, do nada, a música começa a tocar na loja: o seu desejo chegou até você de uma forma impressionante, não é mesmo? Assim, podemos entender que o seu desejo interior estava conectado a um acontecimento externo — isso é sincronicidade!

Por que as sincronicidades acontecem?

Esses eventos acontecem quando estamos com a mente relaxada, quando vivemos tranquilos mas não dispersos, quando damos importância primeiramente ao nosso interior e quando estamos abertos ao Universo. A sincronicidade se faz presente em nossas vidas quando o nosso ego é deixado de lado e não impomos limites ao sentir.

Mulher sentada em muro observa vista urbana.
picjumbo.com / Pexels

Viver tenso é uma forma de engessar tudo o que ocorre ao nosso redor, é ignorar qualquer profundidade que a vida tem a nos oferecer e intitular tudo como simples coincidências. Mas quem presencia uma sincronicidade sabe quão raso é achar que as coisas não possuem um significado e, muito mais do que isso, entende como é especial sentir a conexão do seu Eu interior com o todo do Universo.

Você já viveu um momento de sincronicidade? Se ainda não, desperte-se ao seu interior e se abra ao Universo. Sentir essa conexão é uma dádiva e também um indício de que você está receptivo às boas energias que estão à sua espera!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br