Autoconhecimento Convivendo

Traição: Confessar ou manter-se em segredo?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Por mais que a vida evolua e as pessoas estejam se libertando de amarras e conceitos antigos, a traição ainda é um tabu e um assunto mal visto pela esmagadora maioria. Afinal, se você se propôs a ter um relacionamento com outra pessoa, é esperado que fique somente com ela, a não ser que vocês tenham, em comum acordo, decidido levar um relacionamento aberto ou sejam adeptos do poliamor. Em uma relação tradicional, é natural e esperado que você seja fiel e se comprometa a ficar somente com esta pessoa.

No entanto, sabemos bem que o ser humano é instável, volúvel e extremamente incitado pelo proibido e pelo desejo sexual. Dessa forma, a traição é muito mais comum do que imaginamos, mas, por ser um tabu, é geralmente escondida. Aí vale a reflexão: será que se a traição fosse permitida e menos vista como um problema, ainda seria tão cometida? Ou então é exatamente o proibido que a faz mais interessante?

Bem, depende. Depende de diversos fatores, mas, principalmente, do perfil do traidor. Afinal, existem pessoas que traem desenfreadamente, não conseguem controlar os impulsos nem mesmo enxergam isso como algum tipo de problema. Já outro tipo de traidor é aquele que cometeu a traição poucas vezes (ou até apenas uma vez) e se sente culpado demais com a situação, tanto é que pensa em contar ao seu parceiro traído, pois não consegue viver com o peso da culpa que sente.

Se o ato de trair já é extremamente complicado de ser entendido, que dirá a decisão de contar ou não contar ao parceiro sobre a situação. É uma decisão que envolve tantos prós e contras, que cabe uma profunda análise do traidor para chegar a uma conclusão. Caso seja uma situação frequente, provavelmente isso nem passará pela cabeça dele, pois quando existe a dúvida em contar é porque ou não se consegue mais conviver com o segredo, ou porque realmente a relação atual não levará a nenhum lugar e o fato de colocá-la em risco já não é de grande importância.

Por mais que algumas pessoas vejam o ato de contar sobre a traição como uma espécie de redenção, há de se pensar em como a pessoa que receber esta notícia ficará. Será que vale a pena magoar e colocar a pessoa em uma situação de total desconforto consigo mesma? Geralmente, ao descobrir uma traição, a pessoa se questiona sobre o que fez de errado ou sobre sua falta de atratividade para que tal coisa tenha acontecido. Provavelmente, se você contar sobre uma traição tentando salvar um relacionamento, dificilmente o caso será esquecido em sua totalidade. Já se você não quer mais continuar nesta relação, talvez valha a pena poupar seu parceiro de mais uma decepção.

É uma situação delicada e que exige muito tato e cuidado, mas é certo que todos envolvidos sairão um pouco magoados e decepcionados. O ato de trair já exige cuidado e muito discernimento, mas o ato de contar a traição, arrisco dizer, é ainda mais delicado. Acredito que o mais indicado a se fazer é ser sincero com a pessoa com a qual se relaciona, além de consigo mesmo, e pensar se você está preparado para uma relação monogâmica ou se você realmente quer experimentar diversas pessoas e não se prender a ninguém. É também necessário perguntar quais motivos te levariam a cometer uma traição. De repente, você é quem está no relacionamento errado.


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]