Convivendo

Tristeza e depressão não são frescuras

Bianca Vieira
Escrito por Bianca Vieira
A tristeza e a depressão não são frescuras inventadas por pessoas que desejam chamar a atenção, porém são necessidades básicas de sobrevivência de todos os seres humanos e de animais também.

Digo de animais porque quando eles estão doentes ou com depressão, sempre procuram o afastamento do convívio com os seus donos por julgarem-se necessitados daquele momento de solidão e seus instintos selvagens assopram em suas mentes que precisam da proteção através daquele instante, porque, de repente, se tornaram frágeis. E não há carinho que os faça voltar para os nossos braços, porque a dor existe para ser sentida, e devemos ajudar, respeitando-a. O ser humano, independentemente de possuir diferentes personalidades, em algum momento possuirá a necessidade de sentir a tristeza, seja através da perda, rejeição ou do término. A verdade é que não se pode negar esse sentimento que é doloroso, porque tudo o que é acumulativo demais traz consigo o potencial destrutivo.

O correto seria que todas as pessoas compreendessem isso e aceitassem. Se acordou triste e possui a opção de escolher não sair de casa nesse dia, não saia. Se você sofreu alguma perda, não esconda a sua dor, mas a sinta por completo, para que quando decidir recomeçar não exista resquício em sua alma. Se não sente vontade de conversar e gargalhar sobre coisas simples, não faça.

Sofrer é algo doloroso e não existe aquele que deseja passar por isso, mas nós passamos. Então, por favor, não julgue esse sentimento como estratégia ou falta de ocupação, porque a maioria das pessoas depressivas estão sempre tentando se manterem ocupadas por saberem que podem cair ao manterem-se estáveis. Se não possui paciência para lidar com pessoas depressivas, não as incomode, mas respeite-as. Não tente mudar uma personalidade triste, porque ela não irá adaptar-se e durante toda a sua vida se questionará a respeito de qual é o seu problema, o que a torna um ser indesejável na vida das pessoas e nunca se perdoará por sentir-se assim.

Respeite o ser humano como ele é, aceitando a sua personalidade e o seu jeitinho de ser. Tudo é uma questão de afinidades e dificilmente uma pessoa melancólica se sentirá confortável próximo a alguém que adore gargalhar. Da mesma forma, um indivíduo que não acredita em momentos de tristeza jamais se sentirá bem ao lado de um ser que não encontra a mínima graça em suas piadas.

A tristeza se aproximará, resta a cada um de nós o entendimento de que isso não é a última moda, mas um pedido do nosso coração para que possamos nos retrair e repensar as nossas ações. A tristeza serve para tornar as pessoas melhores, mesmo que não pareça.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Bianca Vieira

Bianca Vieira

Nascida em 1998 em Muriaé, escreve desde que se conhece como gente e se sente filha da arte. Autora do livro "Me recordo dela" e deseja despertar o lado mais sensível das pessoas.

Instagram: @biancathewriter
Blog pessoal: merecordodela.blogspot.com.br
Youtube: Teor e Parnaso
Twitter: @biancapianist