Autoconhecimento Convivendo Crônicas da Vida Reflexões do editor

Você é o que você come (entre outras coisas)

Mulher sorrindo e se abraçando
Slphotography / Getty Images Pro / Canva
Andrea Pavlo
Escrito por Andrea Pavlo

Concordo que você é o que você come, mas não só isso, pois você é o que você come, bebe, fuma, cheira. Você é a soma das cinco pessoas com quem mais conversa, o seu programa de TV favorito e o seu livro da infância. Você é o meio em que o seu espírito vive e a maneira como ele reage a isso, ou seja, você é uma salada mista.

Sabendo disso, decidi fazer uma dieta, ou seja, uma dieta que envolve comida, mas não só isso, pois não adianta cortar os carboidratos e não cortar a fofoca no escritório; cortar a gordura e não cortar a língua ferina.

Cortei programas de TV, como Datena e outros do gênero. Cortei a TV Globo, que só fala o que ela quer, aliás, o SBT, a Record e a Rede TV foram no pacote. Cortei o grupo da família falando mal da vizinha ou discutindo o sexo dos anjos. Cortei o uso de cintas apertadas na barriga e uma depilação que mais parecia uma tortura greco-romana.

Adicionei paz, músicas mais calmas para momentos de estresse, uma dose de lavanda nos pulsos antes de dormir e uma cachorrinha fofa e amorosa. Cortei pessoas que falavam mais “eu” do que “nós”, em todos os âmbitos, e adicionei mais tempo brincando de boneca ou super-herói com as crianças. Cortei o Sol para “ficar com marquinha” e adicionei um Sol gostoso, cheio de vitamina D.

Parei de comer coisas que vinham empacotadas e passei a comer coisas que eu preciso descascar. Decorei a casa com quadros de mar e das cartas do tarô e descobri que a minha cartela de cores é primavera clara, eliminando o preto e o branco do armário. Adicionei um perdão incondicional a todas as porcarias que eu já aprontei e aproveitei também para perdoar pessoas. Não, elas não podem mais me fazer mal, mas eu não vou carregar nenhum fardo que não seja meu. E o mais importante: eu adicionei meus sonhos.

Você também pode gostar

Um apartamento dos sonhos, minha alma gêmea, mais uma Shi-tzu. Uma viagem para Punta Cana e Disney e uma lipo de papada. Sonhar é tão bom e tão divertido, que me deu aquela energia deliciosa para acordar de manhã e fazer as coisas chatas. Mesmo cortando-as, elas ainda existem – a louça não se lava sozinha (nem na máquina) e o cocô da Nina precisa ser retirado rápido. Só que agora eu sei que elas são só coisas, tijolinhos para o meu sonho, que sempre estará mais próximo conforme eu vou limpando mais e mais a minha vida e alcançando uma coisa simples e perfeita chamada paz. Paz para viver, paz para sonhar e paz para realizar os meus sonhos. Amém!

Sobre o autor

Andrea Pavlo

Andrea Pavlo

Psicoterapeuta holística, taróloga e numeróloga, comecei minhas explorações sobre espiritualidade e autoconhecimento aos 11 anos. Estudei psicologia, publicidade, artes, coaching e outros assuntos de várias outras áreas que passam pelo desenvolvimento humano, usando várias técnicas para ajudar as mulheres a se amarem e alcançarem uma vida de deusa. Mãe da Nina, de quatro patas, gosto de viajar, ler e sempre continuar estudando.

E-mail: [email protected]