Autoconhecimento

4 atitudes que provocam o fim dos relacionamentos: saiba quais são e como evitá-las

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você alguma vez já se perguntou se existe alguma fórmula mágica para ter um bom relacionamento? A verdade é que essa fórmula ainda não foi elaborada completamente, porém, um cientista se propôs a estudar sobre o assunto. John Gottman é um especialista em relacionamentos que realizou diversas pesquisas com mais de 3 mil casais, e acabou descobrindo que o sucesso de um relacionamento é definido por como os casais lidam com seus problemas, já que problema, seja pessoal ou amoroso, todo mundo tem. John em seus estudos e pesquisas identificou 4 das principais causas que influenciam diretamente no término de relacionamentos. Descubra agora quais são essas 4 causas e como evitá-las:

Críticas

Ninguém gosta muito de ouvir críticas, mas em alguns momentos elas são inevitáveis. Agora, não é porque às vezes seu parceiro (a) precisa entender o que está fazendo de errado que você precisa iniciar uma perseguição contra ele (a).

A sutileza é tudo: encontre a melhor forma de expor seus sentimentos sem parecer um crítico insuportável. Use mais “eu” do que “você”, por exemplo: “Eu me sinto triste quando você age dessa forma”. Pode parecer algo bobo, mas coloque essas dicas em prática e notará a diferença.

Desprezo

Se o seu relacionamento já chegou a esse nível de sentir desprezo um pelo outro, comece a acionar essas medidas imediatamente. O desprezo ocorre quando não há um sério comprometimento na hora de resolver os problemas. Quando não gostamos de algo, mas não falamos, aquilo fica guardado, mágoas e ressentimentos aumentam, e é importante nunca deixar sua relação chegar ao ponto de xingamentos, piadas hostis, cinismo e até aqueles olhares pesados.

O segredo é o respeito e o diálogo. Se não gostar de algo comente, mas busque sempre encontrar mais qualidades no seu parceiro do que defeitos. Muitas vezes, o cotidiano já judia o suficiente de nós, e ter o próprio parceiro colaborando para isso não é nada legal.

A defensiva

Ok, às vezes realmente não é fácil a convivência a dois, e chegamos a adotar comportamentos defensivos. Agora, estar sempre na defensiva significa não estar aberto para sugestões, e como algo pode ser consertado ou melhorado sem nenhum reajuste nas peças? Como alguém pode se tornar uma pessoa melhor se tudo o que faz quando confrontada é reagir com raiva ou usar e abusar do silêncio?

Estar comprometido significa se comprometer a várias coisas, inclusive a aprender a ouvir, aceitar o que o outro tem a dizer. Mesmo que você não concorde, ouça e tente uma conversa, encontrem um equilíbrio, pensem juntos. Vocês são um casal de amantes e amigos, não de inimigos.

O silêncio

Quando não sabemos lidar com todas as outras causas acima é normal que acabe se optando por não interagir tanto com o parceiro, “para quê vou ficar perto dele? Mais problemas?”. E é aí que entra o perigo: quanto maior a distância, mais longo o caminho para voltar.

Discussões não levam a nada, o importante é conversar e ter sempre o controle de si e de suas emoções para não estragar tudo. Se algum dia estiver simplesmente de saco cheio, se acalme e reflita. Vá assistir episódios da sua série preferida, dê um passeio, leia um livro, o importante é se desconectar da situação de estresse e ter calma para iniciar uma nova conversa e, juntos, pensarem numa boa solução.


Texto escrito por Amanda Magliaro da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]