Constelação Sistêmica

A Constelação e as Leis Sistêmicas

Peças de xadrez em cima de blocos de madeira.
gajus / 123rf
Escrito por Silvia Jara

Lei é sempre algo que nos coloca num lugar de obrigatoriedade, de engessamento, que nos leva à necessidade de agir de acordo com um padrão, ou seja, a lei faz com que tenhamos de agir ou nos comportar de uma maneira que nem sempre gostamos ou queremos, ou ainda de uma maneira que nos tira a liberdade.

E é exatamente isso! Gostando ou não, todos nós estamos submetidos às leis e não somente às leis dos homens, mas às leis universais. Todo o Universo está submetido às leis das mais diversas origens.

E o que a Constelação tem a ver com isso?

Tudo! Se olharmos para nossa família com um sistema (e que de fato é) compreenderemos que todos os sistemas estão submetidos às leis específicas. Entenda-se por sistema tudo o que convive em grupos: família, empresa, egrégoras religiosas, profissionais, animais, plantas, o planeta, enfim, tudo é organizado em sistemas.

A partir do momento em que somos regidos por leis sistêmicas, agiremos e nos comportaremos, INCONSCIENTEMENTE, de forma a cumprir tais leis.

Numa família, é bastante comum observarmos o quanto desejamos e tendemos a dizer que nunca seremos como nossos pais, negando e julgando a forma como eles pensam, atuam e fazem as coisas na vida.

Em contrapartida, por estarmos dentro desse sistema familiar, teremos a tendência de fazer, de forma inconsciente, exatamente como os pais.

O amor cego

Mulher e homem negros andando numa estrada.
Flora Westbrook / Pexels

O que nos leva a repetir padrões é exatamente o amor cego, um amor que não é consciente, um amor que nasce do desejo de pertencer e não se desligar desse sistema. É esse amor cego e profundo que nos direciona e nos leva para a vida. Podemos não aceitar que conduzimos nossas vidas de forma inconsciente, mas essa é a essência de cada elemento do sistema.

As Leis Sistêmicas

As Ordens do Amor, estudadas por Bert Hellinger, têm como base 3 Leis Sistêmicas fundamentais.

Vamos entender o que é cada uma delas?

Lei do Pertencimento

Todo e qualquer indivíduo de uma família, de um sistema, tem o direito de pertencer a ele, independentemente do que esse indivíduo seja, faça ou tenha feito.

Os sistemas não operam com o julgamento ou com a noção dual de certo ou errado, bom ou mau. Se você nasceu num sistema, numa família, você pertence a ele e assim deve continuar.

Se alguém é excluído, o sistema buscará uma forma de se equilibrar novamente e alguém assumirá o lugar desse excluído por meio de comportamentos e de problemas de diversas ordens até que em algum momento surja a consciência de que esse elemento precisa ser reintegrado e visto.

Você também pode gostar

Podemos citar, por exemplo, o caso de um tio que foi expulso da família por alguma razão qualquer e, de repente, um sobrinho poderá assumir o lugar desse tio, agindo de forma semelhante. Essa é uma desordem.

Lei da Hierarquia

Todos os que vieram antes têm precedência e quando essa lei é burlada, aquele que se arroga mesmo que inconscientemente a tomar o lugar de um pai, de um avô, agindo como se fosse maior do que eles, surge o emaranhamento e um se enreda com a vida do outro.

Um exemplo comum disso é o fato de filhos que acreditam ser maiores que os pais, mais inteligentes, mais capazes, mais espertos. Esse filho está fora de seu lugar, ocupando um outro e, em algum momento, sentirá o peso que carrega por outras pessoas.

Lei do Equilíbrio

Numa relação entre casais e amigos, por exemplo, deve haver o equilíbrio da troca. Num relacionamento, quando um dá mais do que o outro, aquele que recebe demais se sente menor, devedor e, se essa situação persistir, a tendência é a relação findar. Relações desequilibradas entre o dar e receber colocam os indivíduos em desigualdade e isso não gera uma relação saudável.

Homem e mulher brancos segurando bebê branca.
Katie E / Pexels

É importante ressaltar que tudo isso acontece de forma inconsciente e é bastante comum que essas dinâmicas aconteçam sem que as pessoas tenham a percepção disso.

Dessa forma, conhecer as Constelações Familiares e Sistêmicas ajuda tanto em relação aos saltos de consciência, quanto à mudança de condutas e de comportamentos, proporcionando um novo olhar sobre cada situação.

Atreva-se!

Sobre o autor

Silvia Jara

Depois dos dois primeiros anos do Eu Sem Fronteiras, resolvemos atualizar nossas informações e isso foi um belo exercício de reflexão!
Nosso propósito sempre foi ajudar as pessoas na busca do autoconhecimento e eu, pessoalmente, não fiquei isenta disso.

Em meu perfil anterior disse: “olhando para trás percebo que, em minha vida, as coisas sempre aconteceram de maneira fluida, sem muito planejamento, embora tenha verdadeira admiração pelo planejamento ‘das coisas'”. Hoje entendo que foi o foco no presente que me fez seguir o fluxo da vida em muitos momentos, sem me preocupar com o ontem ou com o amanhã. As coisas caminharam como deveriam ser.

Minha paixão pela publicidade se transformou na paixão por pessoas, comportamentos, sentimentos, atitudes e, principalmente, na capacidade e necessidade do ser humano de se comunicar, compartilhar e crescer. Minha formação acadêmica em Publicidade não mudou, mas minha formação humana tem sofrido diversas e importantes mudanças no sentido de compreender que sozinhos não chegaremos longe. Somos um sistema e como tal, precisamos uns dos outros.

Minha capacidade analítica e observadora, aplicada à Pesquisa Qualitativa de Mercado que, até então, me serviu para compreender o comportamento de consumo das pessoas e grupos, agora parece muito mais voltada a me compreender, a olhar para dentro de mim e buscar minha essência verdadeira. É praticamente impossível ficar ilesa, isolada e desconsiderar tantas informações e conteúdos com os quais lidamos no dia a dia de nossa redação.

Hoje entendo que o trabalho em áreas comerciais, marketing de empresas, agências de publicidade e a atuação em pesquisa de mercado estavam me preparando para esse mergulho no autoconhecimento. Nada é coincidência!

A curiosidade pelo mundo espiritual, pela meditação, pela metafísica, pela energia vital está se transformando em novos conhecimentos e práticas: Reiki, Apometria, Constelação Familiar, Thetahealing, PNL, EFT, Florais e tantas outras técnicas. Sigo acreditando que o questionamento, a busca de informação e a vivência me levarão a conhecer minha missão de vida, meus caminhos e minha plenitude.

Trabalhando no Eu Sem Fronteiras desde 2014, tenho aprendido muitas coisas, vivenciado outras tantas e não sei onde isso chegará! O que me importa é continuar nessa busca. É um caminho sem volta no qual o grande objetivo é aceitarmos que somos sujeitos de nossa própria vida, os únicos capazes de transformá-la.

Grande abraço e muita luz!

Email: [email protected]
Site linktr.ee/silviajara.terapias