Convivendo

A essência da infância

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

As crianças são o futuro da nossa humanidade e os pais possuem um papel de extrema importância no que se refere ao desenvolvimento psicológico delas. Mas como lidar com elas na época que estamos com tanta tecnologia ao alcance de nossas mãos?

É cada vez mais comum as crianças ficarem distraídas e gastarem a maior parte do tempo com tablets, celulares, etc. E o grande problema está justamente na forma de utilizarmos toda essa tecnologia disponível em um estalar de dedos.

O uso de celulares, por exemplo, em lugares de convívio social, nos tira a atenção do próximo, e nos mergulha em um profundo momento de distração do que está acontecendo ao nosso redor. Mas nem sempre foi assim. Em um período não muito distante, crianças brincavam na rua de queimada, de pique esconde, de pega ladrão. Brincadeiras que ficaram um pouco esquecidas atualmente. As crianças de antigamente eram nitidamente mais saudáveis.

É muito difícil impor limites aos nossos filhos e cada frustração ao receber um ‘não’ dos pais se torna uma verdadeira guerra. Na tentativa de reprimir momentos de birra, de choradeira e de mal comportamento, os pais acabam cedendo aos desejos dos pequenos.

Demora a percebemos que, geralmente, essa atitude acaba prejudicando toda a família. Quando estas crianças chegarem a fase adulta, podem ter muitos problemas de convivência, no âmbito profissional e pessoal.

Pais e mães perderam a essência fundamental, que são os momentos de intimidade com seus filhos. Mas a imposição de limites é essencial para a criação de uma boa relação. Sem receber ‘não’, a criança perde sua capacidade argumentativa, algo que faz parte do comportamento natural delas.

Quando os pais dão um celular de última geração para seus filhos, dizem que o fizeram para a própria proteção dessas crianças, mas, na verdade, o problema está neles, que não enxergam os verdadeiros perigos desse ato. Existem muitos riscos espalhados pelo mundo cibernético.

Cada vez mais, vemos nossa vida invadida por esses acessórios e nós, pais, ao invés de prestarmos atenção nos nossos pequenos, ficamos também a maior parte do tempo conectados. Por isso, é importante estabelecermos certos limites. Uma atitude simples e que pode trazer resultados positivos para a convivência de pais e filhos, é restringir o uso desses aparelhos durante as refeições e durante o período de estudos.

shutterstock_139773448 Com certeza, você já ouviu falar que a cabeça vazia é fonte para pensamentos negativos. Toda criança deve ter horas livres para criar e exercer a sua criatividade durante a sua infância. Elas têm que ter a oportunidade de chegarem em casa, seja depois da aula de futebol ou de inglês, da aula de dança ou da escola, de escolherem com o que querem brincar, se querem ir ao parque etc. Brincar é essencial, pois é uma arte que se iguala a nossa vida. Crianças criam e imaginam verdadeiras histórias com simples brinquedos.

É nítido que cada vez mais crianças preferem uma volta no shopping center do que uma volta no parque. Isso acontece porque nossa sociedade está voltada para a publicidade, para o consumo e até mesmo o lazer se tornou isso. Mas é importante termos consciência de que conviver com diversidade expande nossa mente. Além disso, atividades ao ar livre proporcionam muitos benefícios para a nossa própria vida, reduzindo o aparecimento de alergias, a agressividade, os problemas com convívio social e com o sono, entre muitos outros.


  • Escrito por Flavia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]