Comportamento Pet - Animais de estimação

A forma que tratamos os animais diz muito sobre nós

Imagem de um cachorro e sua dona. Ela segura o rosto do cachorro fazendo um afago nele. Ao fundo um lindo por do sol.
Lokalsportessen / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

O ser humano convive diretamente com os animais desde o início da sua existência. Há quem creia que o homem veio do macaco e há quem tenha crenças religiosas e acredita que fomos criados por Deus — o homem a partir do barro e a mulher, das costelas do homem.

Com o passar do tempo, porém, nós já tivemos os animais como deuses e também já os açoitamos como se fossem objetos insignificantes. Inclusive, temos os animais como a principal fonte de alimento da cadeia alimentar. Mas e a nossa conexão com os animais? O que a forma como os tratamos pode dizer sobre nós? Dedique um tempinho do seu dia para refletir com este artigo.

Humanos x animais

Nós, seres humanos, precisamos nos alimentar e beber água para sobreviver… os animais também. Nós sentimos dor, calor e frio… os animais também. Nós vivemos na natureza e usufruímos o que ela pode nos proporcionar… os animais também. Temos nossos instintos, relacionamo-nos com os outros, procriamos… os animais também. Nós sentimos medo… os animais também. Nós nos apegamos às pessoas… os animais também… Bom, é claro que existem inúmeras diferenças entre nós e os animais, mas com todas essas semelhanças, o que temos feitos com esses bichinhos que vivem na mesma terra em que nós vivemos?

Há quem se sinta superior e pense que pode fazer o que quiser com os animais. Há quem pense que é “o leão da terra” e que manda em tudo, mas a verdade é que nós temos uma conexão muito forte com esses seres. Você deve estar acostumado com animais domésticos carinhosos, que demonstram alegria e excitação quando estão na presença do dono, como cachorros e gatos, por exemplo. Mas você sabia que países como China, Indonésia, Coréia e muitos outros têm a carne de cachorro como uma iguaria? E que na Índia a vaca é considerada um animal sagrado?

Pois, então, o brasileiro costuma ficar abismado ao saber que existem pessoas que comem carne de cachorro, mas os indianos também ficam surpresos ao saber que há quem coma a carne do animal mais sagrado para sua cultura. Quem está certo? Existe um certo? Caro leitor, essa pauta não se trata de tipos de alimentação; não estamos aqui falando sobre o consumo de carne animal ou não. O que estamos promovendo a você é o despertar de uma consciência humana sobre a forma como tratamos e vemos os animais.

Imagem de um homem usando uma camiseta branca. Ele segura nos braços um cachorro branco com a carinha preta. Ele está demonstrando a relação de amor com o bichinho.
StockSnap / Pixabay

A crueldade humana, a necessidade de se impor, de demonstrar que está no controle e até mesmo o objetivo de ganhar dinheiro são fatores que acabam por eliminar qualquer questão espiritual que exista entre as pessoas e os animais. Vivemos em um mundo comercial, onde quem tem mais pode mais; quem lucra mais decide o que será e até mesmo o que é correto e aceitável.

Assim como as pessoas têm os seus direitos, os animais também têm. Você quer viver ou quer ser maltratado por quem deveria cuidar de você?

A importância da fauna para a vida humana

Falando por questões biológicas, a fauna é essencial para que os ecossistemas, como um todo, permaneçam em equilíbrio, pois diversos animais são primordiais para que muitas plantas possam existir. Também há espécies de bichinhos que espalham sementes que precisam passar pelo seu intestino — além do fato de que os animais são ótimos adubadores. Dentre os tantos fatores que tornam a fauna extremamente importante para a nossa vida física no planeta, há o lado espiritual, que também é essencial e diariamente é posto em risco por questões banais.

A mesma terra que abriga os animais é a mesma que abriga nós, seres humanos. O homem não possui o direito de destruir ou abusar da fauna, mas mesmo assim abusa com intuitos materiais ou simplesmente por prazer, afetando todo o ecossistema e a terra em que ele mesmo habita. Não parece contraditório?

A espiritualidade humana é baseada em diversos fatores externos, embora seja fomentada por fatores internos. Nós vivemos constantemente em contato com a natureza, mesmo que indiretamente. Se você mora em uma cidade, por exemplo, deve sentir falta de um local florido ou cheio de árvores carregadas de inúmeras boas sensações e energias. Mas se mora em um campo, entende a importância da proximidade e da conexão com a natureza — e, automaticamente, com os animais.

Imagem de um jardim com muito verde e de uma criança usando um vestido florido sentada na grama ao lado de um lindo cachorrinho branco.
Pexels / Pixabay

A conexão entre humanos e animais é muito mais forte do que você pode imaginar. Nós não somos desconhecidos nem estamos disputando território. Não precisamos acabar com eles para criar um novo produto estético ou para suprir a alimentação — atualmente já existem opções que substituem a proteína animal. Nós temos que preservar a fauna para que sejamos completos, pois desde o início estivemos acompanhados por eles, então prejudicar a fauna causa malefícios tanto física quanto espiritualmente. Mas agora pare e pense um pouco: como você trata os animais?

Você pode não acreditar, mas a forma como você trata os animais diz muito sobre você! O filósofo Immanuel Kant disse: “Podemos julgar o coração de um homem pela forma como ele trata os animais”, e essa frase é uma grande verdade! O olhar que você tem sobre esses seres vivos revela o que habita o seu peito: amor ou ódio, além de evidenciar traços de personalidade referentes à sua humanidade no mundo.

Os animais são essenciais para a nossa vida na terra, então desdenhar desses seres é o mesmo que desdenhar de si mesmo. Logicamente, seu intuito em tratar os animais de forma positiva não deve ser simplesmente por eles serem necessários para a existência no planeta. A sua relação com a fauna do mundo demonstra o que realmente habita o seu coração. Se você possui olhos de amor, se você consegue partilhar e se ligar espiritualmente a alguém sem querer absolutamente nada em troca, se os seus instintos tomam conta do seu ser ou se você consegue controlar si mesmo pensando no próximo.

Imagem de dois cavalos na cor marrom, um ao lado do outro. Ambos estão em um campo aberto.
Ulrike Leone / Pixabay

Você também pode gostar

Os nossos bichanos carecem de respeito e merecem ser tratados da melhor maneira possível. Eles fazem parte do nosso mundo, do nosso planeta, da vida na Terra e estão aqui, sob o mesmo Sol e Lua que nós.

Com a evolução humana e com a facilidade de informações, muitas pessoas estão se conscientizando sobre os maus tratos aos animais e estão mudando suas crenças limitantes e práticas inaceitáveis. O caminho a ser percorrido para fazer com que a população entenda a importância dos animais para a nossa vida como um todo é longo, mas não é impossível. Reflita e faça a sua parte!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]