Autoconhecimento

A Jornada Interior e a trilha do Visionário

Anna Maria Oliveira
Escrito por Anna Maria Oliveira
A busca pela expansão da consciência e pelo propósito de vida: abordaremos esse assunto em uma série de artigos

A Jornada Interior e a trilha do Visionário

O arquétipo, modelo de comportamento humano, do visionário é aquele que representa a energia pessoal da verdade sem julgamento, da criatividade e da autenticidade.

O seu objetivo é dar abertura ao espírito criativo e trazer para a terra o propósito de vida, expandindo dons, talentos e os seus recursos pessoais, enfrentando desafios e testes.

O visionário não abraça os padrões de negação (o medo de lidar com os conflitos) e a indulgência (o medo de ser visto ou não ser visto), pois sabe dissolver as polaridades que se encontram nos padrões de negação e indulgência.
A sua autovalorização é tão forte quanto sua autocrítica, permanece vinculado à sua autenticidade e coloca a sua expressão criativa ao seu serviço, rompe os medos e confia na verdade interior.

Reconhece e aceita, verdadeiramente, os seus talentos pessoais e esses são as ferramentas com as quais materializará o seu propósito de vida.

Busca o silêncio, o coração equilibrado e a intuição, como bússolas para indicar novas direções e caminhos.

Descobre a verdade dentro de si mesmo, sem perder o rumo, aceita as mudanças confiando em sua percepção interior.

A visão, então, é criada a partir da verdade interna, do desejo de caminhar pela estrada da beleza, de maneira clara e cristalina.

Estuda, trabalha e cuida dos níveis superiores de consciência, acolhe os sinais dos mundos internos e externos, elimina a confusão pessoal.

Compreende que a melhor forma de encontrar a verdade consiste em confiar plenamente em seus sentimentos e intuição. A confusão e a dúvida são eliminadas, a ação faz com que o caminho da verdade aflore.

É aquele que busca, pede respostas e está preparado para aceitar e reconhecer a verdade assim que ela surge. Sabe que o reconhecimento e a aceitação preparam o caminho para o autoconhecimento.

“Se não és bom para ti mesmo, como poderás ser bom para os outros?” (Provérbio espanhol).

O desafio do visionário é: 

1. Reconhecer a própria verdade;

2. Deixar de alimentar o sistema do falso eu: fingir, censurar e esconder os verdadeiros eus;

3. Abnegação – maior sombra do arquétipo: renunciar a si mesmo por amor a alguém para obter aceitação e aprovação, manter a paz (medo de enfrentar um conflito);

4. Projeções – reconhecer os três tipos de espelhos: claros (pessoas que você não acredita ser capaz de imitar), esfumaçados (sente dificuldade com pessoas com as quais não quer se parecer de modo algum) e rachados (pessoas que você ama e admira, embora a sua presença cause medo e constrangimento). Esses espelhos são mestres para o visionário sair da sombra.

Carl Jung, psicanalista, sofreu de profunda depressão na idade madura. E para recuperar o seu ideal de vida, necessitou resgatar sua criança divina interior. Refletiu sobre a sua infância, lembrou de como permanecia no tempo fora do tempo quando construía castelos de areia com pedrinhas. Essa informação o ajudou a sair da depressão. Utilizou esse método com clientes, para que recordassem dessas atividades solitárias e sem noção de tempo.

O visionário nos convida a trazermos as atividades da criança divina ao ideal das atividades do adulto, com leveza, criatividade, imaginação e verdade. Ao estender a lembrança e as “mãos” para essa criança, curamos o adulto, pelo senso de humor, espontaneidade e curiosidade.

Dicas úteis para fortalecer o seu Visionário interior: 

1. Registrar os seus sonhos em um diário: aqueles sonhos importantes de serem trabalhados durante o ano, aqueles que estão vivos em sua mente;

2. Comprometer-se a dizer a verdade, colocando a voz no mundo com respeito, isso é diferente do famoso “sincericídio”;

3. Cantarolar, diariamente, suas músicas preferidas. Músicas que trazem poder, energia pessoal e elevam a energia;

4. Determinar uma época em cada estação do ano para rever os seus objetivos e o quanto eles dão suporte ao seu ideal de vida e visões;

5. Oferecer aos outros uma prece ou apoio não-verbal, utilizando visualização criativa, afirmações e lembretes visuais para dar sustento ao seu próprio desenvolvimento;

6. Reserve um momento diário para ouvir a sua intuição;

7. Meditar: caminhando, em pé, deitado ou sentado.

Pontos para reflexão: 

1. Quando, em sua vida, você dá vazão aos aspectos criativos de sua personalidade? Qual é o seu remédio natural (dons e talentos) únicos e inigualáveis?

2. O que te faz rir? Quão desenvolvido está o seu senso de humor?

3. Quando você se sente capaz de manter a sua integridade e autenticidade? E quando não se sente forte para isso?

“Você tem de saber o que quer atingir. Mas quando souber, deixe-se possuir por esse conhecimento. E se ele parecer desviá-lo do seu rumo, não se detenha, porque lá, talvez, seja onde, instintivamente, você deseja estar. E se você se detiver e tentar ficar sempre no mesmo lugar, você irá murchar.” (Gertrude Stein).

E para terminar…

O visionário nos orienta a sermos pessoas criativas, abertas às múltiplas maneiras de ver, a sermos fáceis, permitindo que a vida siga o seu rumo ou de irmos ao encontro de opções, ainda, não consideradas com bom humor, espontaneidade, autenticidade e integridade.

Boas reflexões e práticas!

No próximo mês, vamos conhecer o arquétipo do Curador.

Até breve!


Você também pode gostar de outros artigos da autora. Acesse: 4 Arquétipos para a Jornada Interior! Que caminho é este?

Sobre o autor

Anna Maria Oliveira

Anna Maria Oliveira

Sou apaixonada pelos processos de Educação e por tudo o que se refere ao desenvolvimento humano. Formada em Pedagogia, com especialização em Administração Escolar. Pratico meditação Raja Yoga e Yoga com Respiração Dinâmica.

Atuo como Palestrante, Coach Educacional, Instrutora de Yoga Lúdico na Educação e Consultoria Pedagógica para professores e escolas. Realizo atendimentos in company e em grupo. Graduada em cursos complementares como Arte Contemporânea, Xilogravura, Educadora Brincante, Instrutora de Yoga para Crianças e Jovens, Reiki Tibetano, Técnicas Corporais Ayurveda. Fundadora da Academia Confluência, criei a metodologia do Coaching Integrado Pedagógico em Grupo, método CIP, em parceria com Antônio Carlos Antunes. Escrevo artigos para o site e posts da Academia Confluência, no Facebook e Linkedin.

Atualmente, estou produzindo um livro para educadores e pais, com foco para a prática de Yoga com Crianças de 04 a 10 anos.

CONTATOS
www.academiaconfluencia.com.br
https://www.facebook.com/academiaconfluencia/
https://www.linkedin.com/in/anna-maria-de-oliveira-9b552327
https://www.linkedin.com/company/11367943/
e-mail: [email protected]