Convivendo Natureza

A verdadeira floresta

De um modo geral, a humanidade evoluiu afastando-se da Natureza de tal modo que hoje a grande maioria das pessoas não sabe dar valor à Floresta ou até o que ela é.

Moro numa aldeia, e durante grande parte da minha vida era fascinada por viver perto da Floresta (ou achava eu que era Floresta). Vivia muito perto do famoso Pinhal de Leiria. A par do Pinhal, existem também o Eucaliptal, o Faial ou Choupal.

Só depois dos meus 30 anos é que vim a descobrir que essas matas não são exactamente uma verdadeira Floresta, e que, apesar de serem parte da Natureza, existem para um propósito exclusivamente económico.

Apesar disso, dá uma satisfação enorme passear por entre as árvores, sentir a frescura da sombra delas, no verão, ver a quantidade de arbustos que persistem em crescer, dando abrigo e alimento a animais, enriquecendo aquilo que naturalmente quer ser uma Floresta.

Uma floresta densa em árvores.
Valiphotos de Pixabay / Canva

Mas a nossa visão humana é que essas espécies “invasoras” competem com as árvores de interesse económico, e, por isso, só se plantam essas últimas e bem espaçadas para que cresçam grandes, e a rentabilidade seja maior.

A (Verdadeira) Floresta é composta por uma biodiversidade imensa de plantas: árvores, arbustos e plantas rasteiras de diferentes espécies, que interagem e cooperam entre si e servem de alimento e abrigo para animais.

A Floresta biodiversa enriquece o solo, atrai a chuva; a quantidade de raízes existentes no solo ajuda a água a penetrar nele; e a quantidade de biomassa existente ajuda a que a mesma água se conserve no solo. Esse coberto de plantas, de matéria orgânica retém muito mais a água.

As plantas consomem dióxido de carbono para fazer a fotossíntese e, nesse processo, libertam oxigénio, e, por isso, purificam o ar.
A Floresta biodiversa pode ser, segundo a Agrofloresta e a Permacultura, uma Floresta comestível, fornecendo alimento para os animais que lá habitam, mas também para nós humanos. Fornece também a madeira necessária para o enriquecimento do solo, para a construção de habitações e para o aquecimento, sem que seja necessária uma devastação.

Segundo a Permacultura, a Floresta biodiversa também pode ser vista como um jardim, dependendo do tipo de plantas que lá são plantadas ou que crescem espontaneamente.
Em termos psicológicos, os benefícios de viver perto da floresta ou de um jardim bem arranjado (e de cuidar dele) são imensos. Desde a contemplação da Natureza, aos passeios, às actividades na própria Floresta/jardim.

Coexistir com a Natureza ajuda a reduzir os níveis de estresse que tanto assolam este último século e pode para algumas pessoas funcionar como uma meditação, que contribui para o bem-estar geral do ser humano.

A Floresta biodiversa pode ser uma escola para uma criança, se assim o quisermos. As crianças podem interagir com as plantas, os animais selvagens, sentir o cheiro das flores, ouvir o canto dos pássaros, aprender a observar a natureza, a conhecer os seus ciclos, e a compreender os seus próprios ciclos (porque também fazemos parte da Natureza). As crianças aprendem também o quanto dependemos da Natureza e a preservá-la.

Crianças de braços erguidos no meio de um gramado.
Zurijeta / Canva

Estamos desconectados da Natureza e dos seus ciclos, e, por conseguinte, da própria Natureza do ser humano e dos seus próprios ciclos.

Há uma visão distorcida da Floresta pela nossa sociedade: tal como existe competição no mundo do trabalho, da escola, nas relações humanas, também olhamos para a natureza como se ela competisse, quando, na verdade, os seus intervenientes (animais, plantas, decompositores, micro-organismos e minerais) cooperam. A Natureza está em perfeita harmonia ou à procura desta.

Nem na escola nem em casa somos encorajados a encontrar empregos que tenham a ver com a terra, como a agricultura, a defesa da Floresta, a jardinagem etc. Esse facto acontece devido a uma memória que ainda está presente de uma vida extremamente dura quando ligada à terra. Isso aconteceu e ainda acontece muito porque as práticas comumente feitas fazem empobrecer a terra a cada ano, e cria cada vez mais desânimo e pobreza.

A Natureza não separa o que é jardim, o que é floresta ou o que é agricultura; somos nós humanos que separamos, e muitos ainda acreditam que essa é a única forma.
Felizmente que a Permacultura e a Agroecologia têm demonstrado que existem outras formas de se fazer um jardim, uma Floresta e um campo agrícola.
Por que não pode uma floresta ser também um jardim? Ou também um jardim ser um campo agrícola?

A observação da Natureza permite uma clareza mental tanto ao nível pessoal como ao nível da nossa própria relação com a Natureza. Observar e contemplar sem ideias pré-definidas repõe o equilíbrio natural entre o ser humano e a Natureza, seja ela um jardim, um campo agrícola, uma floresta ou os três juntos.

Uma mulher contemplando uma floresta.
swissmediavision de Getty Images Signature / Canva

Na perspectiva da Permacultura, um jardim pode conter flores, plantas hortícolas, árvores, arbustos, entre outras plantas. Por isso, a Permacultura assume que um jardim pode resolver qualquer problema, seja ele de foro pessoal, de relacionamentos ou seja um problema de falta de alimentos, de poluição ambiental ou até de poluição mental.

As Florestas não são só conjuntos de árvores. A grande maioria das pessoas que tem a sorte de viver perto de matas pensa que a Floresta é um conjunto de árvores, como um Eucaliptal, um Pinhal ou um Choupal. Um Eucaliptal não é uma Floresta, é um conjunto de eucaliptos plantados pelo homem com fins económicos, apenas. O mesmo com o Pinheiro, o Choupo ou qualquer outra árvore que se plante em Monocultura.

É claro que, mesmo essa monocultura já dá uma alegria imensa de ver crescer, dá abrigo para pássaros, dá oportunidade a outras plantas arbustivas de crescerem no meio das árvores, enriquecendo o solo, abrindo espaço para a água da chuva entrar no solo, tornando-o fértil para a microbiologia que lá existe e para que outros animais e outras plantas se possam lá instalar.

A Natureza é de uma inteligência incrível, e ela faz de tudo para se manter diversa, cheia de vida, seja fauna, flora, vida microbiana etc.

O problema é que a maior parte da humanidade ainda não acordou para isso – o humano “adormecido” ainda olha para tudo aquilo que não plantou como praga em vez de bênção. E o que faz é matar tudo (excepto as árvores que plantou) com químicos que vão matar toda a vida no solo, e que serão arrastados pelas águas da chuva e chegando aos cursos de água, onde irão contaminar águas onde vivem peixes, plantas, algas etc. Esses químicos podem até chegar e infiltrar-se em aquíferos, as reservas de água potável do ser humano.

Você também pode gostar

Estamos tão cegos a correr atrás do ouro, do dinheiro, do lucro que não vemos que a verdadeira riqueza existe na Floresta. A verdadeira riqueza é a Floresta.

A verdadeira Floresta.

Sobre o autor

Daniela Crespo

Tenho formação superior na área de ciências agrárias (agricultura biológica), mas a minha área de estudo pessoal e autodidata vai muito além disso. As minhas áreas de interesse vão além da agricultura biológica/orgânica, natural, biodinâmica, permacultura. Interesso-me muito pela natureza, sustentabilidade ambiental, alimentação natural, cura natural pelas plantas e também por toda a área da cura energética, por meio do reiki, ioga, meditação, entre outras técnicas.

Acredito que todas essas áreas estão ligadas e que todas contribuem para a saúde e bem-estar do indivíduo e do planeta Terra.

A minha missão passa por ensinar, dar dicas de como ter uma vida melhor ao mesmo tempo que cuidamos de nós próprios e nunca esquecendo a nossa mãe, Gaia, que nos alimenta, nos nutre em vários sentidos e à qual devemos uma enorme gratidão.

Contato
Email: danielacrespo457@gmail.com