Convivendo ONGs

As brincadeiras no instituto GRAACC

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



O hospital costuma estar vinculado a um lugar triste e com pessoas doentes. Não que esta não seja a realidade, claro que é, mas algumas mudanças internas de um hospital, instituição ou organização podem deixar o local mais harmonioso e aconchegante.

Um bom exemplo disso é a brinquedoteca do GRAACC. O GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer) atua no combate ao câncer infantil. Eles auxiliam com pesquisas, tratamentos e profissionais qualificados. A instituição é referência para América Latina em relação ao tratamento de câncer infanto- juvenil.

Modelo pioneiro no Brasil

Muitas crianças com câncer que vão fazer o tratamento na instituição vêm de outras cidades e dependendo do caso, acabam ficando meses por lá. O Graacc acaba sendo a sua segunda casa.

Logo que os pais ficam sabendo que seus filhos tem câncer, há uma mudança drástica em suas vidas. A vida dos pequenos não é mais a mesma. A rotina é outra, onde tratamento e doses de remédio acabam sendo incluídos na rotina e dificilmente a tristeza pode ser evitada.

Por isso, ter um espaço para brincar e se socializar com as outras crianças, acaba tornando este tempo na instituição menos doloroso. Como muitos dizem: “brincar é um remédio” e que nestes casos, pode diminuir a dor na alma destas crianças bem como a de seus pais.

Brinquetodeca: um espaço para o lúdico

A Brinquedoteca Terapêutica Senninha é um espaço que tem seu foco na Humanização Hospitalar, oferecendo atividades recreativas livres, Oficinas de Criatividade todas acompanhadas por um educador profissional. As orientações são também psicológicas e psicopedagógicas. Dessa forma também acabam fazendo um trabalho informativo voltado para a compreensão da doença e do tratamento.

Ocorre também na brinquedoteca todo um trabalho com artistas plásticos e artesãos que oferecem seu tempo e conhecimentos para os que frequentam o espaço. As mães que estão sempre presentes também podem participar, pois há trabalhos manuais orientados por voluntários que ali trabalham.

Os principais objetivos da brinquedoteca são: melhorar a qualidade vida dos pacientes, contribuir para as chances de sobrevida dos mesmos e ainda tornar-se um modelo para outras instituições e assim colaborar com a vida de crianças e adolescentes que tem câncer infantil.

Brincar é um remédio

Brincar é se esvaziar. É se completar através de uma nova brincadeira, é poder contribuir com o outro em uma nova prática. O brincar é especial na vida de qualquer criança. Elas simplesmente amam esse momento. E se compartilhado com os pais, melhor ainda.

Neste sentido, quando o Graacc oferece um espaço que proporciona esse brincar, acompanhado de profissionais e de um espaço lúdico, o mundo da criança se abre para as diversas possibilidades.

Projetos assim, deveriam se espalhar por todo o Brasil. Não acham?


  • Texto escrito por Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

*Crédito de imagem para GRAACC

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]