Saúde Integral

Brincar auxilia no desenvolvimento das crianças

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você acha que as brincadeiras são apenas uma forma de entretenimento para as crianças, está na hora de rever este conceito. O ato de brincar, principalmente para os pequenos, é um momento de aprendizagem natural.

Sem se dar conta disso, as crianças desenvolvem através das brincadeiras desde habilidades físicas e motoras até ensinamentos mais complexos como liderança e obediência às regras.

O ideal é que as crianças sempre tenham um tempo diário destinado às brincadeiras, mesmo quando forem mais velhas e já estiverem na escola. Nesta fase, inclusive, é importante que os pais sempre deixem uma lacuna de tempo livre entre as atividades extracurriculares. Esgotar as crianças com obrigações e aulas pode causar o efeito inverso do pretendido. Muitos dos estímulos de conhecimento só são corretamente absorvidos em momentos de lazer e descontração.

Os pais devem sempre que possível participar das brincadeiras e estimular que elas brinquem com outras crianças de idades próximas. Além da interação fortalecer os laços afetivos, também é uma ótima forma de conhecer melhor a personalidade dos pequenos.

O tipo de brincadeira também influi no desenvolvimento das crianças. No caso das mais novas, é importante que sejam estimuladas com brinquedos educativos que ensinem a encaixar, separar, localizar semelhantes e até mesmo descobrir as cores, formas e texturas diferentes. Para as crianças maiores, a partir de uns 3 ou 4 anos, as brincadeiras devem ser mais desafiadoras. Jogos e histórias que estimulem a imaginação, até mesmo levando à encenação, são boas pedidas.

A socialização também é um ensinamento básico que as crianças descobrem brincando.

Dividir seus brinquedos e suas vontades com outras crianças, bem como escolher amigos com gostos semelhantes é a primeira ideia de vida em sociedade de uma pessoa. Conceitos como cooperação, liderança, competição e obediência às regras também são estimulados durante as brincadeiras, e tudo isso de forma natural e até mesmo corriqueira.

Crianças que brincam bastante também tendem a ser mais felizes, realizadas e até mesmo mais seguras. A segurança parte da vivência, brincando com outras pessoas, expondo suas vontades e descobrindo suas habilidades desde pequenos. Por outro lado, crianças que brincam pouco ou sempre sozinhas são propensas ao isolamento, timidez excessiva e mau humor constante.

Atividades lúdicas estimulam as crianças durante todo seu desenvolvimento até chegar na fase adulta. Brincar é uma forma de crescimento social, psicológico e físico. Tenha em mente esta importância, estimule e encoraje sempre que possível as brincadeiras para a construção de uma pessoa mais completa e realizada.


  • Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]