Convivendo

Como incentivar brincadeiras entre pais e filhos?

Mãe arrumando capa de super-herói da filha que está sorrindo
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Como incentivar brincadeiras entre pais e filhos?
Estamos em um mundo hiperconectado e vivemos cheios de tarefas e obrigações – trabalho, casa, pensar num futuro melhor. E quando esse futuro envolve filhos, sempre nos pegamos trabalhando ainda mais para proporcionar a eles uma vida melhor, geralmente mais afortunada do que a que tivemos.


E como se não bastasse essa ocupação de grande parte do nosso dia com trabalho, o mundo conectado, online, ainda nos rouba mais do pouco tempo de que dispomos. É muito comum a gente estender essa vida virtual para nossos filhos – seja porque estamos cansados por causa de um longo dia de trabalho, seja porque nos desconectamos da nossa infância e não sabemos mais como é ser criança, então acabamos introduzindo-os cedo ao mundo da internet, do YouTube e de outras redes.

Parece mais fácil, mas, a longo prazo, isso é muito prejudicial à saúde das nossas crianças: além de nos distanciar delas, esse hábito traz problemas físicos e emocionais. Elas deixam de interagir verdadeiramente, não conseguem usar muito a criatividade nem encontram soluções para problemas. Brincar é coisa séria. Em se tratando de desenvolvimento infantil, é fundamental, porque fortalece vínculos, acalma e incentiva o crescimento saudável.

Mulher levantando criança sorrindo no ar.

Além do mais, seu filho nunca vai entender que a sua ausência por trabalho é para o bem dele e para o futuro dele. Ele quer sua companhia, quer ter alguém para trocar experiência, em quem possa confiar. E a brincadeira permite tudo isso.

E, então, como encontrar meios para trazer sua criança à tona e arrumar um tempo para brincar com os pequenos?

Brincar é preciso

Criança segurando bola de futebol e abraçando perna do pai.


Vale a pena tentar, por uma infância sadia. Não à toa existe um dia especial para conscientizar os pais e os responsáveis sobre a importância do brincar, da liberdade e da formação social e educacional de uma criança: o Dia Mundial da Infância (21/03).

Instituída pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a data não tem o mesmo caráter comercial que o Dia das Crianças, mas preconiza o direito da criança a ter liberdade e dignidade e a viver em um ambiente sadio, sem exploração, violência, negligência ou discriminação.

As crianças são o futuro do mundo, mas para que elas sejam de fato o futuro precisam ser respeitadas e cuidadas no presente, precisam ter uma vida adequada e agradável. E os pais e responsáveis são as primeiras pessoas que devem garantir isso.

Experimente, faça diferente

Criança brincando com bambolê


Se você realmente se preocupa com a saúde emocional do seu filho (e física também, claro, já que muitas brincadeiras envolvem coordenação motora, movimento e exercício e gasto de caloria), experimente dedicar um tempo para brincar com ele. Vale a pena e você também pode aproveitar para se desligar do estresse, se distrair e entrar no mundo lúdico da criança.

Existem diversas brincadeiras que não precisam necessariamente de muito dinheiro, investimento ou mirabolâncias. Simplicidade é a chave, ainda mais quando ela pode proporcionar à criança a oportunidade de colocar a criatividade para funcionar.

Há diversas atividades que você pode fazer com seus filhos para estimular o desenvolvimento deles: pular corda, pique-pega, pique-esconde, artesanato, pintura, desenho, colagem, adivinhação, amarelinha… É uma infinidade de opções para planejar ao longo da semana.

Importância para o desenvolvimento

Duas crianças pulando na cama segurando travesseiros


Brincar é fundamental. Segundo estudiosos, pedagogos e psicólogos, a brincadeira tem um papel determinante para o desenvolvimento infantil. Abordamos aqui brevemente alguns dos mais famosos especialistas no assunto, mas recomendamos uma leitura mais aprofundada.

Segundo o psicólogo Lev Vygotsky, o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais e das condições de vida. Segundo sua teoria, o ato de brincar é uma atividade que constitui o psiquismo, e a brincadeira é o ponto de partida para essa constituição.

Para Maria de Montessori, educadora, médica e pedagoga – conhecida pelo seu famoso método montessoriano, utilizado em diversas escolas no mundo –, a brincadeira precisa ser livre, valorizando e estimulando a evolução natural da criança. O aprendizado precisa ser leve e divertido, encorajando a independência. Existem diversas atividades montessorianas que você pode reproduzir em casa e que vão incentivar o desenvolvimento dos seus filhos de forma descontraída.

Criança brincando com bolha de sabão


Jean Piaget, biólogo e psicólogo – e outra grande referência quando o assunto é o aprendizado –, via a brincadeira como uma forma de contribuir e enriquecer o desenvolvimento intelectual. Segundo ele, ela precisa ser livre e espontânea, além de prazerosa para a criança. É um processo de construção que insere o indivíduo no meio social. É no jogo e na brincadeira que a criança aplica tudo que aprende.

Na visão desses e de outros especialistas, o brincar exerce um papel fundamental na construção e no desenvolvimento do indivíduo, deixando de ser mero status de entretenimento e gasto de energia – o que também não é ruim, afinal a diversão, por si só, já é importante para o nosso emocional. Mas os efeitos do ato de brincar são muito mais complexos e significativos para a criança e para a forma como ela vai evoluindo para outras fases da vida.

Saiba se organizar

Criança desenhando com lápis de colorir


Se você quer começar a dedicar mais tempo com seu filho, mas não sabe como começar, uma boa dica é saber se organizar, pois a nossa rotina interfere na de nossos filhos. O ideal, para quem trabalha fora, é chegar em casa e esquecer completamente o trabalho, largar o celular e outros dispositivos. Entre na brincadeira. Traga material para vocês criarem juntos (cartolina, cola branca e colorida, glitter, lantejoulas, linhas e barbantes, canetinha, tinta guache, material para bolha de sabão). Mas é importante que vocês desenvolvam esses itens juntos.

Se você trabalha em home office, separe um tempo para brincar com seus pequenos. Não fique adiando a brincadeira por mais 5 minutinhos em frente ao computador. Uma boa dica é fazer pequenos intervalos (que são essenciais também para a sua saúde) e aproveitar para fazer brincadeiras rápidas. Agora, estabeleça um encerramento de expediente e cumpra! Não volte ao trabalho depois disso. Seu tempo, agora, é para você, para seus filhos e para o vínculo que você precisa construir com ele.

Dicas

Duas crianças lendo livro no sofá


Alguns canais do YouTube, plataformas e blogs voltados para atividades lúdicas podem ser de grande ajuda.

Criada com o intuito de estimular o livre brincar, a plataforma Vamos Brincar é um projeto em que pais, crianças e professores podem enviar fotos e vídeos sobre brincadeiras que aprenderam ou inventaram. Saiba mais aqui: https://vamosbrincar.org.br/.

Um blog muito conhecido e que também tem canal no YouTube é o Tempo Junto, que traz dicas de brincadeiras e atividades do tipo “mão na massa” e também ao ar livre. Surgiu com o intuito de promover mais tempo de qualidade entre pais e filhos. Vale a pena conferir o conteúdo e seus tutoriais: https://www.tempojunto.com/.

No Blog da Leiturinha (um clube de livros infantis cujo objetivo é estimular a leitura desde cedo e que funciona por meio de assinatura mensal), há diversas dicas sobre brincadeiras e atividades para fazer com os pequenos: https://leiturinha.com.br/blog/category/ideias-legais/brinquedos-e-brincadeiras/.

E por falar em leitura, não podemos deixar de mencionar a importância que ela tem na construção da imaginação, da empatia e da aquisição de conhecimento. Quanto mais cedo seus filhos começarem a ler, mais habilidades vão desenvolver. Existe uma livraria a preços bastante acessíveis e nos mais diversos formatos (pop-up, 3D, interativo, com som, táteis, com fantoches): https://www.todolivro.com.br.

A leitura transporta a gente para outros mundos, e quem sabe depois de ler seu filho não queira reproduzir ou mesmo inventar alguma brincadeira, inspirado na história que leu? Estimule a leitura e faça bloquinhos de desenho com eles. Quando já estiverem alfabetizados, que tal estimulá-los a criar seus próprios livros?

Você também pode gostar

Seja como for, esteja sempre presente e participe da vida de suas crianças. Você vai ver que é divertido e que a confiança entre vocês só vai aumentar. Além do mais, o que é mais importante para uma mãe e um pai do que estar ao lado da pessoa que eles mais amam neste mundo?

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]