Energia em Equilíbrio Saúde da Mulher

Candidíase: o que você anda sufocando?

Mulher com coceira na virilha
Mônica Porto
Escrito por Mônica Porto

A Cândida Albicans é um fungo normalmente encontrado no nosso corpo, porém, quando há uma alteração no nosso organismo, como estresse, o nosso Sistema Imunológico é afetado diminuindo nossas defesas. Com isso, esse fungo espalha seus esporos ocasionando, no caso das mulheres, a cândida vaginal.

Esse fungo interfere na absorção de diversos nutrientes essenciais ao organismo, tais como as vitaminas do complexo B e o triptofano, tão importante para a saúde do cérebro e do corpo como um todo.

Por isso muitas mulheres com candidíase sentem-se cansadas, com pouca vitalidade, baixa motivação e, às vezes, confusão mental.

A candidíase vaginal atrapalha a vida das mulheres sob diversos aspectos e é um erro achar que se deve aprender a conviver com essa situação. Ela é uma forma do corpo sinalizar que há algo errado, é um grito de alerta para dar atenção às questões emocionais que esteja passando, sejam ligadas a relacionamentos pessoais, familiares, sociais, traumas e que, na maioria das vezes, não consegue se expressar e acaba sufocando, gerando desarmonia em todo o organismo.

É como se internamente se criasse um mofo, um bolor emocional, mental se expressando no físico.

Corpo de mulher nú com braço abraçando a perna visto de lado em preto e branco
Foto de Alexander Krivitskiy no Pexels

Não há pílula ou fórmula mágica quanto ao tratamento. Ele se dá a partir de um conjunto que passa por cuidados naturais, alimentares (fundamental), emocionais e clínicos.

É tratar a pessoa e não apenas a doença.

A farmacopeia brasileira é rica nos cuidados naturais para diversos problemas, incluindo a Candidíase Vaginal. Temos inúmeras plantas/ervas medicinais que sob a forma de chás, tinturas, emplastros, óvulos, banhos de assento, florais podem ser usadas, como a Tansagem (Plantago Major), dentre outras.

Você também pode gostar

Do ponto de vista da alimentação, um cuidado essencial é a diminuição no consumo de açúcar, principalmente o refinado, porque este altera o PH vaginal levando a proliferação do fungo. Orienta-se a retirada de doces em geral, produtos industrializados, adoçados, refrigerantes, sucos e muitas vezes até mesmo frutas muito doces. Outros alimentos também podem ser retirados por um período da dieta da mulher que apresenta candidíase vaginal, principalmente em quadros de repetição. Contudo, isso precisa ser avaliado individualmente de acordo com os hábitos alimentares de cada paciente. Esse é um ponto importante, porque cada pessoa é única e reage de forma diferente aos tratamentos. O que serve para uma pode não ser adequado para outra.

Procure sempre um profissional de sua confiança para que realmente acolha as suas necessidades e o problema seja sanado.

Sobre o autor

Mônica Porto

Mônica Porto

Fisioterapeuta há quase 40 anos. Mestre e doutora em neuropediatria. Ex-docente de três Universidades no Estado de São Paulo na disciplina de Neuropediatria, com cursos e estágios nos EUA e Europa. Terapeuta complementar e integrativa, com formação em ayurveda, ginecologia natural, aromaterapia, fitoterapia, florais de Bach e da Lua, pós-graduação em uroginecologia e em saúde da mulher, mestre reiki. Facilitadora de Roda de Mulheres. Ministro cursos, palestras e workshops em espaços holísticos e empresas. Foco de trabalho saúde da mulher.

Contato
Email: [email protected]